Lucas Carneiro de Oliveira

1 - 25 do total de 71 pensamentos de Lucas Carneiro de Oliveira

Quando você sentir que suas pernas pesam toneladas, que os seus braços já não te dão mais forças, e sim lutam contra você, que seu suor não é mais salgado, não que ele tenha mudado de gosto, mas porque o único gosto que você sente na boca é de sangue, que o ar que entra em seus pulmões parece ser mais pobre de oxigênio do que sua mente de pensamentos positivos e que a unica coisa que você consegue ouvir é sua própria voz dizendo que não aguenta mais e que talvez não seja tão ruim desistir porque você "se esforçou"...quando você começar a acreditar nisso e achar que chegou ao seu limite,relaxa... você acaba de chegar no meio do caminho!O seu corpo jamais te levaria aonde não conseguisse voltar e sua garra jamais o deixaria desistir... não antes de voltar pra casa.

Lucas Carneiro de Oliveira
Inserida por Licocarneiro

Um lugar qualquer onde eu possa me sentir criança denovo brincar o dia todo como se não houvesse amanhã...
Um lugar qualquer onde agente possa ser feliz, numa cabana no mato, ou em paris...
Um lugar qualquer onde eu esqueça os meus problemas, onde só se lêiam poemas, e cartas de amor...
E nesse lugar não vai existir saudade, onde houver amor, vai existir verdade...
E se eu encontrar esse lugar qualquer, quero passagem só de ida, não quero saída, não quero voltar...!

Quem nunca teve vontade de fugir para um lugar qualquer?!

Lucas Carneiro de Oliveira
Inserida por Licocarneiro

"Na minha cabeça um monte de idéias confusas, emaranhadas com rancor, dúvidas e até medo." Medo de descobrir o porque de alguns por ques? "Eu não sei." Foi aí que ele me segurou pelos ombros, respirou fundo e me olhou nos olhos, não com ares de raiva, ou de superioridade, se quer de indignação ou imposição. Mas sim com olhos de quem sabia bem o que ia dizer ... e disse. "Meu rapaz, imagine que você está de pé agora, nesse exato momento. Agora imagine que a alguns metros de distância, poucos metros, há um homem empunhando uma arma, municiada. Ele a está mirando com um olho ligeiramente fechado. Neste exato momento, ele já segura a respiração, ele não quer errar o tiro, é um atirador experiente, quase um profissional.
Agora imagine que ele não está mirando em você, ou em qualquer parte do seu corpo, mas sim, ao seu lado, no vazio. Ele não vai te acertar... você daria um passo ao lado?" Eu olhei aquele velho e pensei que estava desperdiçando meu tempo ouvindo aquilo. "Claro que não! Eu tenho meus problemas, tudo bem. Mas eu penso que esse não é o jeito de resolver as coisas. Seria uma atitude totalmente imbecil!" "Tudo bem. Eu esperava que dissesse isso. Realmente pareceria uma burrice, não é? Mas vamos mudar um pouco essa história ... Imagine que você não está mais sozinho, ao seu lado agora está a pessoa que você mais ama no mundo, em outras palavras: ela. O atirador faz tudo igual, minucioso. Faz a visada , alça, massa, alvo. Fixa o olhar, segura a respiração. Ele não deve errar... Você daria um passo ao lado? Cometeria essa atitude imbecil?" Nada foi dito por alguns instantes... sem resposta. Não que ele não quisesse, ou que não tivesse o que falar. É que naquele momento ele precisou ouvir um pouco o silêncio. Quanto tempo? Não sei. O silêncio tem um estranho jeito de encarar o que chamamos de tempo. É como se ele tivesse seu próprio relógio. "Me diga, garoto! Ela não é o amor da sua vida?" "Sim. Claro! Eu tomaria um milhão de tiros por ela!" " Pois é... pareceria burrice agora? Pareceria uma atitude tão imbecil? Nada de diferente, nem pra mais nem pra menos. Somente um passo como na história anterior. "Não..." Foi um não que quase não saiu. Não porque não fosse convicto. Mas porque talvez nem precisasse ser dito. "Pois eu te digo que Sim. Porque realmente seria. Uma atitude Imbecil. Impensada. Uma burrice! Mas você jamais se arrependeria dela. Porque você fez o que precisava ser feito. E o que te direcionou, o que te guiou, foi seu amor. E muitas vezes nos questionamos muito com os porques, e com atitudes que não conseguimos entender e esquecemos que o amor tem suas próprias razões. É o que eu quero que entenda, garoto. Não se preocupe tanto em entender as atitudes. Preocupe-se mais em entender as razões. Afinal, o amor têm razões que a própria razão desconfia. Morô?" Eu não sei ... Ele cheirava mal, tinha a calça suja, principalmente nos joelhos. No lugar do cinto um barbante amarrado que também segurava suas chaves. A blusa era folgada, a ponto de caberem dois dele dentro. A barba branca por fazer e a toca cobria mais um lado da cabeça do que o outro. Provavelmente ele não tinha onde cair morto. Mas naquele momento, me pareceu o homem mais rico do mundo.

Lucas Carneiro de Oliveira
Inserida por Licocarneiro
1 compartilhamento

Você é uma pessoa muito doce pra guardar essa lágrima tão salgada dentro de você.

Lucas Carneiro de Oliveira
Inserida por Licocarneiro

"Eu não quero te cobrar nada, nem posso te prometer nada, não agora. Mas tem uma coisa que eu quero que faça todo dia antes de dormir. Eu prometo que também vou fazer. Eu quero que pergunte pra si mesma: "Eu vou querer estar com ele amanhã?" Pense só no amanhã. Pisoteie o ontem. Jogue fora a semana que vem, o ano que vem, o próximo século. Preocupe-se só com o amanhã. Esse vai ser nosso termômetro. Nossa meta, nosso objetivo. O dia seguinte. E quando digo "estar" não é só fisicamente. Que seja uma ligação inesperada, uma mensagem, um bilhete. Sabe aquele lance de se importar? Até mesmo um simples pensamento, se ele for em mim e te fizer sorrir já vai levar as embora as dúvidas e trazer as certezas. Certas coisas não são explicáveis, mas se sente. E eu sei que no final de mais um dia quando deitar a cabeça no travesseiro a resposta pode não estar na ponta da sua língua, mas vai estar no seu coração. Hoje quando eu me deitar não vai restar dúvida que o que eu mais quero é que o amanhã chegue logo. E que você esteja comigo. Do meu lado, por telefone, fax, e-mail ou em pensamento que seja, não importa. Você vai estar comigo. E o nosso futuro vai ser construído de amanhãs. Dia a dia. Por isso eu não te prometo amor pra vida toda, te prometo ele só pra amanhã. Ele todo. Inteiro, apaixonado e careta, se for o caso. Intenso e caloroso. Bem-humorado e bobo, mas nunca sem graça. Amor pra vida inteira é dívida quase nunca paga, e eu aceitaria ficar te devendo qualquer coisa, menos amor."

Lucas Carneiro de Oliveira
3 compartilhamentos

"Grandes homens não estão preocupados com coisas grandiosas. Talvez seja esse o problema do mundo. E também a salvação pessoal de cada um desses homens."

Lucas Carneiro de Oliveira
Inserida por Licocarneiro

Já faz uns quatro anos, mas eu lembro como se fosse ontem, de um dia que eu chegando em casa depois de quase três semanas fora trabalhando, com as costas pesadas, em parte pela mala gigante e em outra também pela responsabilidade que, até então, era novidade. Cheio de pensamentos no futuro: o que fazer, onde investir o que poderia ganhar, o que estudar, a que me dedicar, como seria minha vida dali pra frente, enfim preocupações cotidianas que todo mundo tem. E quando desci no ponto eu olhei um morador de rua na frente do mercado deitado em um papelão, mas não era qualquer papelão. Era daqueles bem grandes provavelmente de uma máquina de lavar ou algo parecido, idêntica as que eu adorava brincar quando era pequeno, olhando pro céu com os braços cruzados atrás da cabeça e o sorriso largo. Do seu lado um papel amassado de pastel de feira que tinha acabado de devorar. Conseguiu provavelmente jogando uma lábia em alguém, ou fingindo que tomou conta de algum carro. O tempo, um sol de fim de tarde com um céu completamente azul. O vento, uma leve brisa. Pode, e com certeza vai, parecer muito lúdico e uma visão romântica demais da vida, mas a expressão no rosto daquele cara, pelo menos naquele instante, naquele momento, era de absoluta e pura felicidade. Talvez mais um pastel não cairia mal, mas era Como se não precisasse de mais nada. A simplicidade tem esse jeito sutil de dar um tapa na nossa cara. Olhei e Fui embora. Esse ano comprei uma máquina de lavar e sequer deitei na minha caixa de papelão king size... Nem reciclei nem nada, só joguei fora... Que desperdício rs

Lucas Carneiro de Oliveira
Inserida por Licocarneiro
1 compartilhamento

A única certeza que temos na vida é justamente a que nos causa mais medo. Irônico.

Lucas Carneiro de Oliveira
Inserida por Licocarneiro

"Quanto mais longe você chega é um sinal de que mais longe você pode ir."

Lucas Carneiro de Oliveira
Inserida por Licocarneiro

"Talvez o seu maior sonho fosse poder abrir os braços e voar. Sair correndo, abrir os braços e simplismente voar. Sem direção, sem objetivos planejados, sem destino. Somente se deixar ir pra onde o vento levar... Mas já parou pra pensar como o ser humano é? Muitos têm pássaros de "estimação" e sentem-se no direito de o deixar trancado em uma gaiola, pulando de um lado a outro... só isso, pulando. E lhe tirando o direito de fazer aquilo que nasceu pra fazer: Voar! Unicamente para poder ouvir seu bonito canto... É o nosso velho hábito de extrair das pessoas e das coisas, o que nos convém, extrair o melhor dos outros, o mais bonito, o que nos é útil, o que nos faz bem, SEMPRE em benefício próprio. Não pense que vida é só isso, o mundo é seu . E todo amor que tem nele também. A escolha é sua: Essa gaiola ou a Vida! Talvez você deva fazer igual as aves que são livres fazem. No inverno elas migram em busca do verão, do calor e do tempo bom. Alguns podem entender como covardia. Outros como sobrevivência. Ou talvez seja só uma busca pela felicidade. Seguida pelo encontro dela. Você deveria experimentar."

Lucas Carneiro de Oliveira
Inserida por Licocarneiro
1 compartilhamento

Eu aprendi que a felicidade plena, eterna, realmente não existe. Aprendi que estamos errados quando achamos que sabemos do que precisamos e mais ainda quando achamos que precisamos do que queremos. Aprendi que um dia tem 24 horas, mas só preciso de um segundo, um momento, pra sorrir nele o dia inteiro. Que posso viajar durante 30 dias, e dois ou três momentos inesquecíveis serão suficientes pra tornar a minha viagem inteira inesquecível. Aprendi que se conhecer 2 ou 3 pessoas realmente importantes, realmente únicas e especiais a minha vida toda terá válido a pena. Eu aprendi que a felicidade plena, eterna, realmente não existe. O que existe são momentos felizes que no fim, acabam compensando todo o resto.

Lucas Carneiro de Oliveira
Inserida por Licocarneiro

"Mulheres de atitude e com brilho próprio, que não vivem na sombra de homem nenhum... Cada vez mais difíceis de encontrar, mas cada vez mais fascinantes"

Lucas Carneiro de Oliveira
Inserida por Licocarneiro

"Até que o meu desejo vire a minha verdade,
Vire meu momento, minha realidade
E o presente então se torne passado
Daquele que não me machuca mais
Que não me entristece mais e nem se quer
Se lembra de mim... Será Recíproco."

Lucas Carneiro de Oliveira
Inserida por Licocarneiro

"Me deixa sentir tua falta, me faz lembrar do teu cheiro e de quanto eu gosto dele. E depois vens. Sem demora e sem amarras. Sem receios e sem perguntas, só você. Você mesma. Se derrama em mim e me leva a crer que você nunca partiu, nem por um instante. Você havia se escondido dentro de mim... E quem é que consegue enxergar dentro de si mesmo?"

Lucas Carneiro de Oliveira
Inserida por Licocarneiro

Se você é valente contra uma formiga, seja valente contra um elefante

Lucas Carneiro de Oliveira
Inserida por Licocarneiro

Eu nunca tive muita fascinação pela serenidade de vidas paralelas. Eu prefiro vidas que de algum modo, desordeiro ou insensato, terno ou avassalador, cruzam-se com a minha.

Lucas Carneiro de Oliveira
Inserida por Licocarneiro

Ele vinha andando pelo meio-fio. De cabecinha baixa, camisa degolada e os chinelos presos nas mãos, sem algum motivo aparente. O tempo era nublado e garoava. Nuvens cinzas, ventos cinzas e chuva cinza. Ele sequer demonstrava frio, mas deveria. O seu olhar perdido no vazio, os braços abertos buscando equilíbrio e o rostinho magro com olhos fundos e piscantes. Só uma criança, aparentemente. Uma criança que mora com a mãe. E mais sete irmãos. Mas isso não o incomoda. Dividir o mingau de fubá nunca foi problema pra ele. Muito menos o revezamento de quem calçaria o sapato. O problema está justamente no outro morador da casa. Seu padastro. Não, não é uma criança, é um gigante. Um herói. É muito fácil encarar o mundo quando já se tem uma noção desse cenário de dementes em que fomos enviados sem nosso consentimento. Quando já lhe foi ensinado que tudo vai passar, que há luz no fundo túnel. Mas e quando a luz do fim do túnel é a de um trem? E quando quem devia te proteger te abusa? Te confunde, te desmorona. Uma pequena montanha, mas uma grande queda. Só uma criança. Mas ele continua ali, firme. Andando no meio-fio, sem se desiquilibrar. Nem pra um lado nem pro outro. É o orgulho da mãe. As vezes condizente com o que não devia, mas será que ela pode ser culpada? Será que ela pode ser errada? Mas ele, ele É só uma criança. Não um morador de rua, não um animal, não um rato. Uma criança frágil e indefesa. Em algum lugar dentro de si com certeza ela ainda é. O farol ainda está fechado, meu carro ainda está parado e ela se aproxima com alguns papéis na mão. Eu já podia prever o texto. Mas jamais acertaria. Sua mãozinha pequena me entregou o papel com uma timidez quase que forçada. Quando li o papel entendi o motivo : "Vende-se sorriso. O meu está na promoção 50 centavos". ... Entendi não só o motivo da timidez forçada como o porque da promoção. Fazia parte do plano, da estratégia, me surpreender com sua mais poderosa arma. O sorriso. Era o mais banguela, brilhante e estridente sorriso que já havia visto. E me contaminou. sorri sem perceber. Que criatividade. Passei a mão próximo do câmbio pra buscar umas moedas, e então eu tive um estalo, e então me perguntei, o que estou fazendo? É o que eu tenho a oferecer? Umas merdas de moedas? Não. Com certeza não são dessas porcarias que ela precisa. Talvez eu devesse descer comprar algum brinquedo e brincar com ele o resto do dia. Talvez ensiná-lo a soltar pipa. A ler , escrever. Eu poderia o levar na sorveteria. Que criança não adora tomar sorvete no frio? Quem sabe o ensinar a jogar bola. Lhe dar o mínimo de atenção, faze-lo sentir-se uma pessoa, não um bicho, uma atração circense. Talvez ele só precise de um cafuné, um abraço, se sentir amado. Confiante. Mas invés disso eu lhe dei as minhas moedas nojentas. Todas elas. Fechei o vidro e saí. Como quem nada fez e ainda se sentiu útil por isso. Ele me olhou indo embora, guardou os papéis em um bolso. As moedas no outro. E continuou seu caminho. Ele, só uma criança, andando no meio-fio...

Lucas Carneiro de Oliveira
Inserida por Licocarneiro
1 compartilhamento

Amadurecimento é o perfeito equilíbrio entre razão e emoção

Lucas Carneiro de Oliveira
Inserida por Licocarneiro

Ele vinha andando pelo meio-fio. De cabecinha baixa, camisa degolada e os chinelos presos nas mãos, sem algum motivo aparente. O tempo era nublado e garoava. Nuvens cinzas, ventos cinzas e chuva cinza. Ele sequer demonstrava frio, mas deveria. O seu olhar perdido no vazio, os braços abertos buscando equilíbrio e o rostinho magro com olhos fundos e piscantes. Só uma criança, aparentemente. Uma criança que mora com a mãe. E mais sete irmãos. Mas isso não o incomoda. Dividir o mingau de fubá nunca foi problema pra ele. Muito menos o revezamento de quem calçaria o sapato. O problema está justamente no outro morador da casa. Seu padastro. Não, não é uma criança, é um gigante. Um herói. É muito fácil encarar o mundo quando já se tem alguma noção desse cenário de dementes em que fomos enviados sem nosso consentimento. Quando já lhe foi ensinado que tudo vai passar, que há luz no fundo túnel. Mas e quando a luz do fim do túnel é a de um trem? E quando quem devia te proteger te abusa? Te confunde, te desmorona. Uma pequena montanha, mas uma grande queda. Só uma criança. Mas ele continua ali, firme. Andando no meio-fio, sem desiquilibrar. Nem pra um lado nem pro outro. É o orgulho da mãe. As vezes condizente com o que não devia, mas será que ela pode ser culpada? Será que ela pode ser errada? Mas ele, ele É só uma criança. Não um morador de rua, não um animal, não um rato. Uma criança frágil e indefesa. Em algum lugar dentro de si com certeza ela ainda é. O farol ainda está fechado, meu carro ainda está parado e ela se aproxima com alguns papéis na mão. Eu já podia prever o texto. Mas jamais acertaria. Sua mãozinha pequena me entregou o papel com uma timidez quase que forçada. Quando li o papel entendi o motivo : "Vende-se sorriso. O meu está na promoção 50 centavos". ... Entendi não só o motivo da timidez forçada como o porque da promoção. Fazia parte do plano, da estratégia, me surpreender com sua mais poderosa arma. O sorriso. Era o mais banguela, brilhante e estridente sorriso que já havia visto. E me contaminou. sorri sem perceber. Que criatividade. Passei a mão próximo do câmbio pra buscar umas moedas e então tive um estalo, e me questionei. O que estou fazendo? É o que eu tenho a oferecer? Umas porcarias de moedas? Não. Com certeza não são dessas porcarias que ele precisa. Talvez eu devesse descer, comprar algum brinquedo e brincar com ele o resto dia. Talvez ensiná-lo a soltar pipa. A ler, escrever. Eu poderia o levar na sorveteria, que criança não adora tomar sorvete no frio? Quem sabe ensiná-lo a jogar bola, lhe dar o mínimo de atenção. Fazê-lo sentir-se uma pessoa não uma bicho, uma atração circense. Talvez ele só precise de um cafuné, um abraço. Se sentir amado, confiante. Mas ao invés disso eu lhe dei minhas moedas nojentas. Todas elas. Fechei o vidro e saí. Como quem nada fez e ainda sentiu-se útil por isso. Ele me olhou indo embora. Guardou os papéis em um bolso. As moedas no outro. E continuou seu caminho. Ele, só uma criança, andando no meio-fio...

Lucas Carneiro de Oliveira
Inserida por Licocarneiro
1 compartilhamento

"Louco é quem se contenta com o a alegria da chegada e esquece do prazer da partida. Louco é quem se contenta em ver somente até onde a vista alcança. É quem acredita que amores tem que ser eternos, quando eles só tem que existir. É quem se aquieta com seu lugar na fila da linha de produção, com o pão da padaria ou com o pastel da feira de domingo. Louco é quem se contenta comigo, com você. É quem se contenta com qualquer outra coisa que não seja consigo mesmo. Louco é quem se contenta com pouco."

Lucas Carneiro de Oliveira

"Seus olhos sorriem pra mim. E os meus dão risada, ao te ver chegar. Sua boca me diz que não, seu corpo me seduz e ao mesmo tempo me confunde. Mas seus olhos, Ahh seus olhos. Meus eternos cúmplices. Esses sim nunca me enganaram. Nem sequer tentaram. Me dão muitas certezas e apenas uma dúvida: Como podem ser tão pequenos e guardar uma imensidão?"

Lucas Carneiro de Oliveira
Inserida por Licocarneiro

"Tem gente que viaja o tempo todo, mas sempre sabe onde está. Tem gente que nunca saiu do lugar e mesmo assim, até hoje, continua perdido."

Lucas Carneiro de Oliveira
Inserida por Licocarneiro

"Entra e sobe que a porta tá aberta. So que não vem de mansinho, não. Quero ouvir o seu salto batendo no chão, o seu olho piscando e sua boca me chamando. Pode entrar, trancar e jogar a chave fora. Porque daqui voce só sai quando o dia clarear e o passado for agora. Tira sua roupa, seus problemas, suas angústias e tudo mais que não serve pra nada. Joga eles alí, na lata do lixo. Você, pode se jogar em mim. Na minha cama, no meu sofá, na minha vida. Até transbordar. Sorri pra mim, mas só se você quiser. E eu sei que quer, sorriso verdadeiro a gente não só vê, sente. E assim eu te degusto, como uma taça de vinho em um fim de tarde de inverno, a meia luz. E então não é mais minha mão que enrola no seu cabelo, mas sim o caminho inverso. E ela faz dos meus lençois uma cortina de teatro, não aberta, mas sim fechada. Porque atrás das cortinas que as pessoas se revelam. É na cochia que as mascaras caem. É nessa hora que a sua maquiagem fica na sujeira do algodão. E as dores passadas também. E ela me pergunta então, Quem sou eu? E eu te respondo " Faz diferença?" Nomes são palavras. E palavras são dispensáveis quando os corpos se atraem, de um modo indomável, inevitável. Como os lados positivos e negativos de um imã. Como rios que desaguam em um oceano. Como... Eu e voce?

Lucas Carneiro de Oliveira
Inserida por Licocarneiro
1 compartilhamento

Estará o facebook colaborando para que cada vez mais pessoas tenham contato com a religiosidade, em suma mais importante do que a adoção e a crença em uma religião qualquer que seja, pelas diversas frases e pensamentos compartilhados a cada segundo, ou simplesmente tapando buracos de fraquezas de pessoas que ao invés de acreditarem que a solução parte de cada um, de dentro pra fora, o mais certo seja simplesmente confortar-se com a idéia de esperar que uma força divina resolva seus problemas?

Lucas Carneiro de Oliveira
Inserida por Licocarneiro

"Corajoso não é aquele que tem a aitude de contestar os atos de um superior. Não é aquele que rema contra a maré visando seus ideias ou até mesmo aqueles que nunca se abatem diante das adversidades. Coragem, de fato, pode se atribuir ao homem que assume a autoria de um peido em meio a multidão"

Lucas Carneiro de Oliveira
Inserida por Licocarneiro