José Marcos Barbosa

Encontrados 4 pensamentos de José Marcos Barbosa

O LOUCO

“Parado...feito pedra,
Calado, surpreso...feito gente,
Num canto qualquer
Deste covil de lobos,
Neste ninho de cobras.

Medos...como num barco à deriva,
Num mar de impossibilidades
Sozinho...solitário.

Não existem mais crenças,
Nem sentenças a serem proferidas,
O vazio...sem dimensão.

O poder se foi com os diamantes,
Agora... não se tem mais sorrisos.
Como ser respeiado?
Como ser compreendido?

Sorrisos, que um dia mascararam
A verdadeira essência humana,
Compreensão, respeito,
Que um dia nos tornaram
Mais dependentes que já somos.

Não me salves...
Ainda não estou perdido,
Não me perdoes,
Mais te amarei por me aceitares
Eu...
E minha loucura”.

José Marcos Barbosa
Inserida por ze.marco

DIVINDADE

Vossa Divindade mora ao lado.
Brinca com vossos filhos,
Sorri-vos sorrisos de lírios e rosas,
Censura-vos em raios de tempestade
E vos acaricia em brisas de mar.

Vossa Divindade cavalga nuvens brandas,
Aproxima-se no relâmpago,
E vos abraça na chuva.
Vagueia por prados e campos,
Conversa com árvores e pássaros,
E através de todos,
Sorri para a humanidade.

Ouça, pois, vossa Divindade:
|Não comprarás vosso céu,
Com o quinhão que vos sobra,
Pois na verdade nada vos sobra,
Pois nada vos pertence.

Terás efetivamente repartido vosso pão
Quando deres de ti mesmo
Em prol da justiça social.
A distinção e a discriminação
Não habitam a morada de vosso Pai.

Lembrai-vos de que:
A esmola e a justiça,
Não são irmãs e não repousam
À sombra de uma mesma palmeira.

José Marcos Barbosa
Inserida por ze.marco

CICLOS


...E então Ele teria proclamado:
Nada temas irmão amado,
Tudo que imaginavas perdido,
Não se perdeu ainda
E nem se perderá jamais.
O fim do mar,
Não lançará sua derradeira onda
E a terra não dará seu último fruto.
Não aceites como sendo o fim
Aquilo que poderá ter sido apenas
O início de um novo ciclo.
Milênios e milênios se passarão
E nada terá se alterado.
Tu, irmão, procurarás
Viver de forma harmoniosa
Com as coisas divinas
Pois jamais se separarás delas.
Quando a morte vos abraçar,
Terás cumprido apenas parte
De sua caminhada,
Novamente a natureza te sorrirá
E terás voltado ao convívio
Com os feitos do Criador,
Ainda que em outras esferas.

José Marcos Barbosa
Inserida por ze.marco

TRIBUTO A CHICO XAVIER


Quanto mais te olho,
Tanto mais me observo.
Quanto mais te aceito,
Tanto mais me entendo.

Tuas palavras, irmão querido,
Não são tuas palavras,
São pensamentos articulados
De outros Deuses.

Vives comigo, contudo
Não habitas minha morada,
Vagas por prados e campos
De outras esferas.
Tua dimensão é a dimensão do amor
Que gostaria de visitá-la
Ainda que fosse em sonhos.

Diga-me, irmão querido:
Quem coloriu de serenidade tua aura?
Quem te legou esta leveza tanta
E esta humildade santa?

Ah! Irmão, me diz uma canção bonita,
Destas que a gente acredita existir
Como um mantra,
Para proteger da tempestade,
O irmão dileto, para lhe fortalecer
No pântano das convicções enganosas,
Para lhe mostrar,
Uma brecha no nevoeiro...

Tributo a Chico Xavier – (1910+2002)
Escrita em 2002 (Chico já hospitalizado)

José Marcos Barbosa
21 compartilhamentos