John Green

51 - 75 do total de 165 pensamentos de John Green

Meu amor, você não imagina o tamanho da minha gratidão pelo nosso pequeno infinito. Eu não o trocaria por nada nesse mundo. Você me deu uma eternidade dentro dos nossos dias numerados, e sou muito grata por isso.

(A Culpa é das Estrelas)

John Green
89 compartilhamentos

É possível amar muito alguém, ele pensou. Mas o tamanho do seu amor por uma pessoa nunca vai ser páreo para o tamanho da saudade que você vai sentir dela.

(O Teorema Katherine)

John Green
54 compartilhamentos

Quando os adultos dizem: ‘Os adolescentes se acham invencíveis’, com aquele sorriso malicioso e idiota estampado na cara, eles não sabem quanto estão certos. Não devemos perder a esperança, pois jamais seremos irremediavelmente feridos. Pensamos que somos invencíveis porque realmente somos. Os adultos se esquecem disso quando envelhecem. Ficam com medo de perder e fracassar. Mas essa parte que é maior do que a soma das partes não tem começo e não tem fim, e, portanto, não pode falhar.

John Green
22 compartilhamentos

Os verdadeiros heróis, no fim das contas, não são as pessoas que realizam certas coisas; os verdadeiros heróis são as que reparam nas coisas.

John Green
22 compartilhamentos

Talvez seja mais como o que você falou antes, rachaduras em todos nós. Como se cada um tivesse começado como um navio inteiramente à prova d’água. Mas as coisas vão acontecendo… as pessoas se vão, ou deixam de nos amar, ou não nos entendem, ou nós não as entendemos… e nós perdemos, erramos, magoamos uns aos outros. E o navio começa a rachar em determinados lugares. E então, quando o navio racha, o final é inevitável. Quando começa a chover dentro do Osprey, ele nunca vai voltar a ser o que era. Mas ainda há um tempo entre o momento em que as rachaduras começam a se abrir e o momento em que nós nos rompemos por completo. E é nesse intervalo que conseguimos enxergar uns aos outros, porque vemos além de nós mesmos, através de nossas rachaduras, e vemos dentro dos outros através das rachaduras deles. Quando foi que nos olhamos cara a cara? Não até que você tivesse visto através das minhas rachaduras, e eu, das suas. Antes disso, estávamos apenas observando a ideia que fazíamos um do outro, tipo olhando para sua persiana sem nunca enxergar o quarto lá dentro. Mas, uma vez que o navio se racha, a luz consegue entrar. E a luz consegue sai.

(Quentin Jacobsen - Cidades de Papel)

John Green
23 compartilhamentos

Batalhas foram ganhas em guerras que com certeza seriam perdidas.

John Green
24 compartilhamentos

Isso sempre me pareceu tão ridículo, que as pessoas pudessem querer ficar com alguém só por causa da beleza. É como escolher o cereal de manhã pela cor, e não pelo sabor.

(Margo Roth Spielgeman - Cidades de Papel)

John Green
28 compartilhamentos

Talvez seja mais como o que você falou antes, rachaduras em todos nós. Como se cada um tivesse começado como um navio inteiramente à prova d’água. Mas as coisas vão acontecendo… as pessoas se vão, ou deixam de nos amar, ou não nos entendem, ou nós não as entendemos… e nós perdemos, erramos, magoamos uns aos outros. E o navio começa a rachar em determinados lugares. E então, quando o navio racha, o final é inevitável.

(Quentin Jacobsen - Cidades de Papel)

John Green
2 compartilhamentos

Se ao menos conseguíssemos enxergar a infinita cadeia de consequências que resulta das nossas pequenas decisões. Mas só percebemos tarde demais, quando perceber é inútil.

John Green
35 compartilhamentos

Você está tão ocupada sendo você mesma que não faz ideia de quão absolutamente sem igual você é.

John Green
46 compartilhamentos

Sem dor, como poderíamos reconhecer o prazer?
A existência do brócolis não afeta em nada o gosto do chocolate.

John Green
3 compartilhamentos

Vocês fumam para saborear. Eu fumo para morrer.

(Quem é você, Alasca?)

John Green
12 compartilhamentos

Ela me olhou e abriu um sorriso largo, e um sorriso assim tão largo em seu rosto estreito talvez lhe desse um ar meio tolo não fosse a inquestionável elegância de seus olhos verdes. Ela sorriu com todo o encantamento de uma criança na noite de Natal e disse: "Vocês fumam para saborear. Eu fumo para morrer".

(Quem é você, Alasca?)

John Green
2 compartilhamentos

Você ama a garota que faz você rir, que vê filmes pornográficos e bebe com você. Mas não a garota tristonha, mal-humorada, maluca.

(Quem é você, Alasca?)

John Green
2 compartilhamentos

Estava com medo, é claro. E talvez estivesse com medo de que o medo a paralisasse novamente.

(Quem é você, Alasca?)

John Green
2 compartilhamentos

Você precisa entender que eu sou uma pessoa profundamente infeliz.

(Quem é você, Alasca?)

John Green
Inserida por SabrinaNiehues

O que estava sentindo não era bem tristeza, era dor. Aquilo doía, e não é um eufemismo. Doía como uma surra.

(Quem é você, Alasca?)

John Green
2 compartilhamentos

Depois de todo esse tempo, acho que 'rápida e diretamente' é o único jeito de sair - mas prefiro o labirinto. O labirinto é uma droga, mas eu o escolho.

(Quem é você, Alasca?)

John Green
20 compartilhamentos

Às vezes, ainda acho que a "outra vida" é algo que inventamos para apaziguar a dor da perda, para tornar nosso tempo no labirinto suportável.

(Quem é você, Alasca?)

John Green
16 compartilhamentos

Somos capazes de sobreviver a essas coisas horríveis, pois somos tão indestrutíveis quanto pensamos ser.

(Quem é você, Alasca?)

John Green
20 compartilhamentos

Pensamos que somos invencíveis porque realmente somos.

(Quem é você, Alasca?)

John Green
20 compartilhamentos

Não sei com o que eu me pareço, mas sei como me sinto: Jovem. Estúpido. Infinito.

(Quentin Jacobsen - Cidades de Papel)

John Green
2 compartilhamentos

É muito difícil ir embora – até você ir embora de fato. E então ir embora se torna simplesmente a coisa mais fácil do mundo.

(Quentin Jacobsen - Cidades de Papel)

John Green
48 compartilhamentos

Ir embora é uma sensação boa e pura, apenas quando você abandona uma coisa importante, algo que tem significado. Arrancando a vida pela raiz. Mas só se pode fazer isso quando sua vida já criou raízes.

(Quentin Jacobsen - Cidades de Papel)

John Green
3 compartilhamentos

O para sempre é composto de agoras.

(Margo Roth Spiegelman - Cidades de Papel)

John Green
15 compartilhamentos