Enide Santos

226 - 250 do total de 341 pensamentos de Enide Santos

Quero poder amar alguém
Que não tenha medo de ser amado.
Pois minha capacidade de amar
É intensa e imensurável.

Enide Santos
Inserida por EnideSantos

Houve uma noite

Houve uma noite
em que toda a coragem
de mim se apossou.
E em minhas retinas
podia se ver
o mais puro furor.

Em mim bradavam-se gritos e gemidos
como os que bradam numa flor.
Vestidos de silencio
mas que o eterno alcançou.

E das veias desta minha existência
Recolhidas nas essências
o meu ego brotou.
Emergiu-se em fim
Se rasgando de mim
O profundo deixou.

Houve uma noite
Que não mais vou esquecer
Rompeu-se o enigma
De o meu inteiro poder.

Houve a noite em que pude me ver.

Enide Santos 07/10/14

Enide Santos
Inserida por EnideSantos

Chove por mim os teus olhos

Chove por mim os teus olhos
Abusando do instante que te dou
Retrata o teu espírito
E com ele todo teu amor

Delineando tua face
Expõe-se a gota da dor
Entoando com arte
Reverencia-se ao observador.

O cheiro do teu sentimento
Exibe-se todo enfim
E o gosto de teu pensamento
Impregna-se em mim.

Chove pôr mim os teus olhos
Furtando-me o mundo em que estou
Deixa-me repleto da culpa
Pôr por ti não ter amor.

Enide Santos 21/10/14

Enide Santos
Inserida por EnideSantos

Razão de meu silêncio

Há momentos que as palavras preferem não ser ditas.
Então...
Perceba o ardor que há em meu peito,
Sem que seja preciso soar um único verbo.
Sem que seja necessário ecoar um único som.

Há tantas palavras que precisam ser entendidas
Mas que não querem ser ditas.
São intensamente mais plenas
Quando traduzidas sem pronuncias.

Entenda o fragor que só o meu corpo pode dispor.
Ouça o retumbar que rasga o meu silêncio.
Alcance o som em mim que fala de ti.
Desbrave meu olhar, encontre-se lá.

Enide Santos 21/10/14

Enide Santos
Inserida por EnideSantos

De qual lembrança?

De qual embrança vem este som,
que não consigo reconhecer?
Remete-me a algo,
outro tempo,
outro espaço.
Não sei qual,
não sei onde.
Sei que saiu do meu corpo,
habito outra dimensão.

Lá onde recolho saudades,
e planto gratidão.
Lá posso voar,
dançar como se chuva fosse.
E das lamurias sofridas que ouço,
Faço vento, para planar.

Sou pedra,
montanha,
encostas do mar.
Sou lua
Estrada,
E a força de um cantar
Aquele que ouço
Mas não consigo identificar.

Enide Santos 07/11/14

Enide Santos
Inserida por EnideSantos

Tô capinando a minha sina

Tô capinando a minha sina,
fazendo nela,
minha obra prima.

Tô derribando aqui e ali
Vou abrindo brechas para sair.

Tô carpindo esta insígnia
levando dela,
tudo que a abomina.

Tô roçando esta ingrata,
ateando fogo nas suas faltas.

Tô abatendo este destino
que não me enobrece
e não me define.

Aceite desígnio
não guerreie enfim
visto que, sou dona de mim.

Enide Santos 08/0/11/14

Enide Santos
Inserida por EnideSantos

Livre arbítrio

Como posso ser o que nunca fui?
Descrever o que sentir, sem ser?

Queria eu ser a sensação
Da folha ao tocar no chão.
Também queria ser o chão
E dar-lhe majestosa recepção.

O som do trovão queria eu ser
E ecoar mostrando poder
E da noite ser a mão
Para a aurora dar proteção.

Tantas e tantas coisas queria eu ser.
Ser o silencio que só no ventre do vento há.
A distância que cada gota na chuva se dá.
Ser o burburinho na vida do ar.

Querendo ser sou.
Sou a musica que invento
E digo que quem gosta é o tempo.
Sou a sede da aurora
E para ela domo minha história.

Sou a morte do grito
O fim de seu rito
Sou a fome a sede da vida
Sou o punho cerrado
Do livre arbítrio.
Eu sou um mito.

Sou poeta
E querendo ser
Eu sou.

Enide Santos 22/11/14

Enide Santos
Inserida por EnideSantos

A poesia que fala de ti

A poesia que eu teria pra te dizer
dorme dentro de mim
aconchegada a você.

Dela não ouço gritos
sinto alguns toques
pequenos bramidos.

A poesia que fala de ti
que exprime meu amor
que traduz o meu sentir.

Esta sonhando agora
Aperfeiçoando-se por hora
desejando existir.

Enide Santos 26/11/14

Enide Santos
Inserida por EnideSantos

Apenas eu e você.

Apenas eu e você,
Nada mais havia
Exceto esta fotografia...

No escuro seu contorno me dizia:
Olha em torno sinta esta magia!
E quando não mais juntos estivermos
Guarde na lembrança este momento terno.
Ah! Sua voz estava tão doce e macia
E o teu braço com ternura me envolvia
E com o outro apontava a bela fotografia.

Olhe bem para lá,
Lembre-se do brilho de cada lugar
(Piripa, Cordeiro, Condeúba e Jânio)
E quando não for mais este momento
Volte para cá, onde nos dois
Para sempre vamos estar.

Guarde na lembrança
Nunca o deixe se esgotar.
Esta é a maneira
De nunca nos separar.

O melhor momento de minha vida
Faz-me chorar
Ele aponta para onde jamais quero estar.

Enide Santos 26/11/14

Enide Santos
Inserida por EnideSantos

Agora dói

Agora dói acordar.
A razão pra me vivificar
Já não posso mais alcançar.

Abandono-me ás recordações.
Descuido-me das emoções
Penetro-me em pensamentos.

Agora dói respirar.
O ar que me visita,
Agora sai, como que pra te buscar.

Soluços, lágrimas, gemidos,
nada consome a dor
que me impõe este castigo.

Agora dói continuar.
É mesmo uma penitencia
Tentar deixar de te amar.

Enide Santos 22/06/14

Enide Santos

Retrato de mamãe

Uma lata ela abria
Retirando toda a tampa
Tão doce parecia
O seu belo semblante.

Criança, eu não entendia.
Que mamãe criara poesia
Cantarolava e a lata abria
Com carinho o vaso surgia.

Sobre a mesa a lata estava
Abarrotada de flor
Toalha de chita
Combinando com louvor

E com um terno sorriso
A casa mamãe enfeitou
E da minha infância, te digo...
Só recordo com amor.

Enide Santos 04/12/14

Enide Santos
Inserida por EnideSantos

Ai, saudade de mim
Ai, que saudades
de ir dentro da minha alma
e arrancar de lá minha poesia!
E rasga-la inteira
vê-la sangrando
derramando de mim.
Ah, não encontro o caminho
me perdi
dentro de mim
me perdi
Há apenas um som
e não são palavras
ou não consigo as interpretar!
Não encontro a minha poesia
me perdi dela
e não sei se saberei viver assim.
Levantando sentimentos
escarafunchando em pensamentos
retorcendo aborrecimentos
em busca de mim.
Ah, minha poesia, volta pra mim?

Enide Santos.07/12/14

Enide Santos

Peleja com a saudade

Quase insuportável
Hoje ela esta
Tenta devora-me
Arrisca devorar-se
Ajeita-se
Enfeita-se
E me chama pra peleja.

Ah, como é bom confronta-la!
Fazer pilera
De suas mazelas.
E nessa luta
De rusga tão muda
Seu grito em mim é infinito.

Ah, esta saudade enfim!
Gosta de se manter assim
Intensa e sádica
Aflorando ate na hora
Que teus braços embrulham-se em mim.

Ah, saudade deixa de munganga,
E vai embora daqui.

Enide Santos 03/12/14

Enide Santos
Inserida por EnideSantos

O outro lado de mim

O outro lado de mim
Aquele que tem cobiça
Mas finge não ser assim
Aquele que do nada se irrita
E esconde seu lado ruim

O outro lado de mim
Que gosta da gula
Inveja e usurpa
Mente e insulta
Fuzila fitando
Cospe rosnado
Pisa matando.

O outro lado
Que é prisioneiro
Metido a matreiro
Tenta fugir.

Todos têm seu lado bom
Seu lado ruim
Comigo também é assim
Mas o Deus que há em mim
Sempre me ajuda a resistir.
Ao outro lado de mim.

Enide Santos 10/12/14

Enide Santos
Inserida por EnideSantos

Meu primeiro refúgio


Meu primeiro refúgio
Minha perfeita morada
Diante dos teus olhos
Principiei a caminhada

Sua voz ainda é música
Ecoa dentro de mim
Ah, minha mãe querida!
Não entendo porque cresci
Ainda sinto o murmurar
De a minha infância te chamar
E nas minhas noites de medo...
Sinto os teus passos, sua forma de respirar.
Vestes tu com elegância
O destino que Deus a encarregou
E como mãe és primorosa
Pra cada filho doou seu calor

Por todas as horas de tua vida
Que a minha dedicou
Agradeço-te dama de minha vida
Venero-te com todo meu amor.

Minha doce rainha
Meu templo de perfeição
Ampara-me
Proteja-me
Embala-me
Esconda-me no teu ventre
E nunca...
Nunca me abandone
Mãezinha do meu coração.

Enide Santos 20/12/14

Enide Santos
Inserida por EnideSantos

Ter uma alma que quer o tempo todo se mostra
Não é nada fácil
Ainda porque ela nem sabe como se faz isso
e me deixa a mercê deste seu egoismo.

Enide Santos
Inserida por EnideSantos

Foi só o sentimento que vazou

Desculpe-me...
Por este meu suspiro forte...
Por minha voz embargar...
Por meu corpo tremer...
Minha mão transpirar.

Perdoe esta minha saudade,
Que tanta força faz pra te chamar.
Banha-me de silêncio
Para apenas o pensamento exaltar.

Absolva este meu desejo veemente
Que por vezes, é vil e imprudente.
Que rasga as paredes de o meu ser
E o teu corpo, o tempo todo quer ter.

Atenue, alivie, amenize
Não foi por querer
Foi o sentimento que vazou
Procurando por você.

Enide Santos 2712/14

Enide Santos
Inserida por EnideSantos

A última poesia

A última poesia
Dos olhos a correr
Dolorosas lágrimas
Sem nada dizer

Camuflados pensamentos
Largados na algibeira do tempo
Debruçados a sós
Vagam os sentidos
No profundo de nós

Ainda havia tanta coisa a dizer
Tanta poesia à fazer
Ainda havia um mundo inteiro
Dentro do meu ser.

O fim do laço a sua perfeição
O fim dos aplausos a sua entoação
O fim do grito de som aturdido
O final do capitulo do meu destino.

Enide Santos 28/12/14

Enide Santos
Inserida por EnideSantos

Ano de 2014

Ao ano que se foi dedico-lhe o meu amor
Ao ano que tanto e tanto me ensinou
Agradeço tudo tudo que em mim deixou.
Agora dorme complacente a tudo que me diz.
Agora dorme com a certeza de que se fez, de que me fez.
Ainda ouço o seu ressonar tinindo no dia de ontem.
mesclando de lutas as paisagens dos meus dias
vai tempo, vai...
leva-me contigo
pois é ai o meu lugar!!!

Enide Santos

Do coração da poesia

É do coração da poesia
Que ouço os mais belos gritos.
E dos seus segredos
Colho pequenos viscos.

Há um oásis no tempo
Em que o verso se cria
E desta fonte de redenção
Despe-se o sentir da emoção

Toma-me, ó dor de poesia,
Inflama-me o corpo
Revista-o,
Soterra-o de amor.

Debulha este meu sofrer
Deixe-me em teus braços enternecer.
Doa-me seus rios
Infeste em mim seus brios

Empresta-me a tua cor
O teu semblante
O teu olor.
Resgata-me desta ilha

Regozija o meu falar
Apure o meu paladar.
Deixe o teu coração, ó poesia!
Com o meu orar.

Enide Santos 04/01/15

Enide Santos
Inserida por EnideSantos

Vaso oco do tempo

Vaso oco do tempo
Dono de todas as cores
Morto de sentimento

Abarrotado do nada
Enferruja caminhos
Desmorona estrada

Vaso fundo do tempo
Mestre da lembrança
Aprendiz na distância

Rígido com as horas
Rico de histórias
Rouco de memória

Vaso fino do tempo
Intransferível
Insubstituível
Indefinível.

Enide Santos 06/01/15

Enide Santos
Inserida por EnideSantos

Epístola – 20
São Paulo, 11 de janeiro de 2015.

Fragmentos de mim

A primeira vez que nos possuímos, foi uma experiência incrível.
Incrível mesmo, pois você não sabia, mas estava realizando alguns dos sonhos a muito desejados por mim, é por isso que faço questão que saiba o quanto fora importante.
Desde que nos conhecemos eu percebi que poderia mesmo realizar sonhos.
Poder amar você já era a realização de um sonho.
Descobri que você possui a mesma estatura que o homem dos meus sonhos.
Que os encaixes de seus braços moldam meu corpo com perfeição, idêntica aos dele.
Você exibe o mesmo tom de voz, a mesma textura na pele, o mesmo fascínio em locomover-se, a mesma forma de me olhar, banha meu corpo fitando-me.
O meu lugar preferido de todo o mundo, pertence ao homem dos meus sonhos.
É um lugar aconchegante onde me sinto protegida tanto o corpo como a alma,
e você é portador de algo semelhante.
Ao tocar-te, beijar-te, olhar-te a mesma sensação me toma o ar, igualzinho, igualzinho ao homem do meu sonhar.
Há um oásis em minha realidade que difere o meu desejo de sonhar.
Como pode na realidade não me amar, se em meus sonhos sou eu quem lhe toma o ar.

Enide Santos 11/01/15

Enide Santos
Inserida por EnideSantos
1 compartilhamento

É preciso aprender ser só

É preciso aprender
Ser só
Estar só
Não é o que queremos
Não é o que sonhamos
Mas se temos que passar por isso
Então façamos ser da melhor forma possível.

Em meus dias de ilha
Em tempos repletos de abismos
Visto a minha fragilidade do avesso
Para que a vida retorne aos meus olhos
Isso com muita sutileza
Para não ferir meu silêncio.

Careço também dele
Mas demarco fronteiras
Enclausuro a dor em lembranças.
E na brusquidão destes dias
Dou-me o direito de ser imensidão
Dou-me o direito der ser fenda
Para que escoe de mim
A aversão que sinto pela solidão.

Enide Santos 01/01/15

Enide Santos
Inserida por EnideSantos

Não me impeças de chorar

Não me impeças de chora
Chorar não é sinônimo de fraqueza
Sinônimo de fraqueza é covardia.
E nesta guerra diária que luto dentro de mim
Apenas o choro é meu refúgio

Não me impeças de chorar
Porque tenho a coragem de saber de minhas fraquezas
E que na busca para vencê-las
Danifico parte de minha alma
E só com lágrimas posso purifica-la

Nem se atreva a tentar me impedir de chorar
Porque és tu que não suportas
Ser a fonte de este meu prantear.
Não me iniba...
Não me detenhas...
Apenas observe e absorva.
Como uma faz uma fera para se recuperar.

Enide Santos 24/01/15

Enide Santos
Inserida por EnideSantos

Fascinação

Me apaixonei por você...
Quando sua boca me chamou pela primeira vez
Te olhei e meus olhos sorriram
Sorriram porque percorreram sua imensidão em instantes
Já te desejamos.
Não por mim que sou forte!
Mas meus olhos
Minha boca
Minhas mãos não se contentam
Não se controlam.
Armam motim,
Induzem o resto de mim.

Não, não sou eu!
Eu apenas me apaixonei,
Com delicadeza te desejei.
De primeira mão...
Apenas quis te dar carinho
O resto de mim
Quem montou este burburinho.

Agora rola de tudo
Libido e amor
Travessuras sem pudor
Tacos de sentimentos
Toras de emoção
Mas no fundo no fundo
É tudo fascinação
Pobrezinho do meu coração.

Enide Santos 03/02/15

Enide Santos