Versos de Amor que Rimem

Cerca de 136 versos de Amor que Rimem

De todos os versos de amor
as rimas e frases reinventadas
as jogadas de efeito
os subterfúgios e os hai-kais
anotações de diário
de todos os nomes que dei
para crises de adolescência
e carências plagiadas
de todo o minimalismo
clichês e letras de música
de toda minha literatura
você ainda é a melhor página.

Martha Medeiros
MEDEIROS, M. Poesia Reunida. Porto Alegre: L&PM, 1999.

Queria saber escrever
E belas rimas criar
Para seu coração amolecer
E você eu conquistar.

O AMOR CHEGARÁ

Somos as rimas da canção
Somos o reflexo do luar
Somos mais que coração
Somos almas a navegar

Entre versos de poemas
Entre luzes a cintilar
Venceremos as tormentas
E o amor nos chegará...

Entre idas e vindas
escrevo minhas rimas,
descrevo o amor
sem esquecer da dor
sou animal pensante
eterno amante
Essa vida é bandida
e a morte a guarida.
Sou eu que escrevo
e ouço bastante
a experiência da vida
me proporcionou...
a vida é assim mesmo
um se vão
os outros ficam
mas sempre temos bons amigos
Agora solitário
neste instante ruim
só me resta
escrever, rimas sem fim
Tenho medo das sombras
é verdade
Deus me carrega nos braços
Ele me ensinou o amor
amor de verdade
respiro...
transmito...
eu,
esta realidade
Problemas existem
para mostrar o caminho
o lugar da felicidade
meus versos refletem
aquilo que sinto de verdade
Sigo confiante
tropeço e
sempre me levanto.
Sou teu seguidor,
sou cavaleiro errante.

Quando nos conhecemos, me apaixonei por ti e me preenchi de tanto amor e tanta ternura.
No primeiro momento não estava com medo de nada, pois o amor que pouco conhecia ainda não me assustava.
Agora viras as costas e me dizes adeus, não pronuncia nenhuma palavra. Não dizes qual foi o erro meu
Nesse período de aceitação, aprendi uma grande lição, você nunca me pertenceu.
Agora longe de mim estás, amas alguém verdadeiramente de ano em ano.
E eu aqui me enganando, pensei que nosso amor duraria mais do que isso, seria eterno, seria belo, seriamos dois aventureiros e viveríamos esse tal amor que tachamos de amor verdadeiro.
Não te culpo por não ter me amado verdadeiramente, e sim por ter está ferida, de teres me deixado vazia.
Agora aqui estou eu ironicamente escrevendo textos de amor sobre nós dois, com você ainda em meus pensamentos, porque você se foi, e no final de tudo, eu sim amei, mas eu amei por nós dois.

Choro!

Sem ninguém perceber
Pois é choro da alma
Que ninguém pode ver

Choro!

Por não estar com você
Por sofro por ti
Sem ninguém perceber

Choro!

Não por você
Mas por aquilo que sinto
Sem você perceber

Choro!

Não por causa de dor
Mas choro por algo
Que alguns chamam de amor...

Cordel Umbilical

Unir as rimas ao papel
É o mesmo que uma gestação
Gerar com amor um cordel
Dar asas à criação
De letras, filhos, rimados
Criados com muito amor
Meninos nada mimados
Meninas com cheiro de flor

Lindo é...

O corpo da mulher são os versos, são as rimas, poesias... amor com cheiro de flor,_
É perceber em um abraço da pessoa amada o mesmo amor...
Em um simples gesto reconhecer a amizade,
É desenhar no papel todos os sentimentos, fantasias e verdades...
É querer tudo que tenho vontade, lembrar das pessoas que amo e que vivo morrendo de saudades...

Por: Igor Barros

⁠►Dois Passos

Como um acaso do destino
Sem preparo nenhum
Eu te vi lá na borda do rio
Contemplando o céu azul.
.
Lá fiquei por um tempo
Admirando seus cabelos negros
Quando vi já estava sereno
Parti sem nunca esquecê-los.
.
Ao passar do tempo alucinei
Nunca mais a vi naquele lugar
Não sabe o quanto desejei
Que você novamente estivesse por lá.
.
Saudades meu coração carrega
O fardo o cansa a cada batida
Um nome em minha mente penetra
Lágrimas rolam a cada esquina.
.
Ao tardar senti um vazio
A vontade recaiu sobre mim
Não queria continuar sozinho
Sua falta me deixou assim.
.
Meu amor indescritível percorre
Entre morros, colinas e serras
Buscando incansavelmente seu Norte
Agonizando diante a espera.
.
O tempo não mais me ajuda
Perambulo de um lado para o outro
Preciso que você me acuda
Estou a dois passos ao fundo do poço.

Sabe, tá difícil amar, tá difícil esquecer, tá difícil achar alguém pra amar, mas que não seja você. Tá difícil chorar, tá difícil escrever, porque as lágrimas correm, na carta que escrevo pra você. Lagrimas malditas, que escorrem sem querem, chamam por teu nome, porque o que queria era te ver. Queria esquecer, e nunca mais lembrar, lembrar do teu sorriso, que ainda me faz viajar. Esquecer o teu olhar, queria esquecer você, mas é impossível esquecer, alguém que sempre vou amar, esse alguém sempre será você...

Enquanto no mesmo verso existir o amor e o ódio, as rimas serão tristes e as estrofes finais melancólicas. Tente substituir o ódio pela indiferença, essa que mata e maltrata a alma. O vazio é inevitável, sempre existe. Mas se tirarmos o ódio, sentimento igualitário ao amor, a vida se torna mais aceitável e logo nos apresenta novos desejos, sejam eles carnais ou sentimentais.

Para quem fala mal de mim eu quero é que se foda,
tem cuidado mete-te a cautela,se é que tens amor a vida.

Lá vinha ela!
Vindo sempre,
seduzindo.

Vestido vermelho,
de um tom
meio tinto...

Decote forte,
mas nela,
distinto.

Em suas mãos,
duas taças
e um tinto.

Um dia ela resolve mudar, decidiu o que fazer
deixou suas fantasias pra lá, e seus problemas resolver
Disse agora vou me socializar, pessoas novas eu vou conhecer
começo a trabalhar, ocupou sua mente com o que?
se mesmo trabalhando, ela vivia pensando em você
O que ela desejava era a tal liberdade pra viver
ter os pensamentos mais saudáveis, ser livre, mais livre de que?
Ela queria fugir, mas não sábia pra onde ir, a tal liberdade que ela procurava era se libertar de ser escrava de si.

A vida é como um poema.
Cheio de rimas e desejos.
Com caminhos e meios.
Com amor e paixão...
Até mesmo com perdão.

A vida é como uma criança livre e faceira,
Cheia de alegria e liberdade.
Vida essa que voa,
Voa para longe...
Destino nenhum.
Apenas...
Vida!

ROMÂNTICOS

Houve um tempo em que os poetas,
Ardiam de amor.
Catavam silenciosos, rimas,
Deliravam em febre e iam solitários,
Tudo em nome de qualquer amor.
Alguns escreviam deitados, e tomavam chá
De hora em hora, enquanto a amada chora,
Por desespero, por não amar,
Por não deixar-se amar.
A repulsiva sorte do pobre, a morte,
Ironicamente os inspiravam a falar de sorte.
Houve um tempo, tempo de delírios,
Dos moços, das tabernas infiltradas,
Das chuvas em mormaços,
De uma dor devastadora, que doía,
Uma dor que não suplantava
As mágoas do poeta em não ser amado.
Será que estar por vir esse mandamento,
Em que a poesia pede esse andamento,
Em vez de externar sua beleza, pureza,
Fica nas tranqueiras, no mal pensamento,
Viver só com a morte ao lado,
Morrer com a amada distante
Com a cama repleta de papéis cruzados,
De obras rimadas, de um corpo finado.
naenorocha

Eu sou rimas de amor
Que canta e encanta
Que escreve versos e cartas de amor
Que ler poemas e poesias com delicadeza
Para quem ama em cima da cama
Debaixo do cobertor.

⁠Entre rimas e versos
O meu amor declararei
Para uma pessoa especial
Que faz meu dia magistral.

Logo assim que o dia raia
Não paro de pensar
Que entre todas as coisas
A melhor é te amar.

Até a lua tem inveja
Do seu sorriso sem igual
Brilham mais que as estrelas
Com certeza é excepcional.

Raciocina aqui comigo
Como existe alguém assim?
Se eu pudesse, botava num potinho
Para ter você somente pra mim.

A primeira vez que te olhei
Foi uma coisa inesquecível
Meu coração queria te amar
Fui iludido só de olhar.

O amor pode ser cego
Como diz o dito popular
Mas eu tenho certeza
Não é coisa da minha cabeça
Eu só quero poder te amar.

Ass:Wj

Rimas do Amor

Sorriso e flores...rimam com amor.
Amor e sorriso, são beijos.
Flores e amor, são cheiros.
Imprescindíveis, quando o amor quer sonhar ao lado de alguém.

Inserida por daysesene

Sete duetos de amor

A cor dos olhos teus,
São rimas para a minha poesia.

O brilho, do sorriso teu
É letra, para a minha melodia.

O teu, eu por completo
É rima, poesia de afeto.

E anulam qualquer anormalidade,
Da triste realidade.

O beijo seu
É o antídoto

Que a humanidade
Precisa...

E eu tenho a sorte,
De ter só pra mim.

São Paulo, 30 de dezembro de 2015.

(O último poema do ano)

Inserida por Pedrokcalheiros