Textos sobre Amigas

Cerca de 6171 textos sobre Amigas

É a simplicidade de pessoas como tu que constroem amizades como a nossa!
Amiga, obrigado por tudo, obrigado pela força que me destes estes dias muito maus da minha vida!
Obrigado por existires na minha vida!
Obrigado por teres sempre uma palavra amiga!
Obrigado pelo teu sorriso!
Obrigado pelas tuas palavras!
Obrigado hoje e sempre!
Eternamente obrigado!
ADORO-TE!

Paulo César Adtreak
17 compartilhamentos

Melhores Amigas

Tanto tempo juntas,
Uma amizade sem igual,
Uma história louca, com início, meio, mas ainda sem o fim.
Momentos únicos, sorrisos múltiplos.
Coisa nossa.
Me arrisco a dizer que ninguém me conhece, talvez, melhor do que você,
Esse sentimento quero levar e ao mundo inteiro contar,
Que você foi a primeira amiga que conheci,
E a única que, com tanto carinho, momentos dividi.

Grazy Amstalden
155 compartilhamentos

Eu acredito na força interior, eu acredito no amor
Eu acredito nas pessoas (ainda)
Eu acredito que todo mundo merece uma segunda chance
Eu acredito que todos nascemos bons
Eu acredito na força da natureza
Eu acredito que o bem sempre pode vencer o mal
Eu acredito que tudo se transforma através do amor
Eu acredito em quem se acredita
E eu acredito que no fim o que todo mundo quer é ser feliz
E que existe um Pai amoroso que torce por nós
Por cada um de nós de modo único
Eu acredito que para todas as perguntas existem respostas
Eu acredito na amizade, na harmonia, na verdade
Eu acredito que posso ser melhor a cada dia
E mais que tudo isso, que eu posso aprender mais
A cada dia... eu acredito ....

acreditar feliz amizade dia
155 compartilhamentos

Amizade
Hoje em dia é tão raro se fazer amigos, a gente conhece diversas pessoas ao longo da vida, mas já parou pra pensar quantos amigos realmente tem? Amigo que eu digo, é aquele que não te vê, mas procurar saber como vc está, te liga, te manda mensagem perguntando como ta, pode ser uma vez mo mês, mas ele vai lembrar de vc e vai te ligar, aquele que está ali nos momentos de alegria, mas também nos momentos de tristeza, aquele que sabe te ouvir e sabe falar tb, aquele que você por mais que a vida te separe dele, você vai querer bem. Poucas pessoas sabem ser amigo, poucas dão valor aos amigos que realmente o são. Com a idade vamos vendo as pessoas que realmente são..to escrevendo isso pois estava eu aqui ajeitando meus "amigos" do facebook, separando, amigos de conhecidos, teve alguns que eu tinha como amigo q foram parar nos restritos, e outros que eram conhecidos que foram parar nos favoritos, que é onde ficam meus amigos. Agradeço a todos que fazem parte da minha vida, minha história aqui. Ter amigos é muito bom. Também é bom ter conhecidos, muitas das vezes é com eles que nos divertimos na noite, maravilha! Todos são importantes, cada um com seu valor.

amizade amigos valor verdadeiro conhecidos
343 compartilhamentos

O pouco do que eu queria

Eu adoro ser sua amiga...
Essa amizade que com o tempo se tornou muito pra mim.
Esse muito que não me abandona,
Esse muito que me encoraja,
Esse muito que me faz rir,
Esse muito que é meia felicidade,
Esse muito que é meu remédio,
Esse muito que faz falta quando não tenho a sua companhia.
Essa é a amizade que substituiu meu outro sentimento de antes.
O sentimento que se tornou pouco...
O pouco do que eu queria.

Esse pouco que faz tanta diferença,
Esse pouco em que eu perco a alma,
Esse pouco que, por menor que seja pra você, pra mim cresce a cada dia,
Esse pouco que às vezes é tão grande que se esconde pra não te preocupar,
Esse pouco que se mostra forte, mas que por trás apenas chora,
Esse pouco que um dia você quase achou,
Esse pouco que nunca existiu antes,
Esse pouco que se conforma,
Esse pouco que não acaba,
Esse pouco que escrito aqui, supera o muito,
Esse pouco que te ama... E se resume somente nesse amor,
Esse pouco que eu tanto queria

Desconhecido
226 compartilhamentos

A amizade é o amor sem asas.

O silêncio é um amigo que nunca trai.

Não te esqueças que os estranhos são amigos que ainda não conheces.

“É muito egoísmo querer ter amigos; sem antes nos perguntarmos se algum dia, nós, os solitários do mundo, tivermos a disponibilidade de sermos amigos de alguém”.

O amor pode morrer na verdade; a amizade, na mentira.

Só existe uma coisa melhor do que fazer novos amigos: conservar os velhos.

Amigos são como melões; devo te dizer por que? Para encontrar um bom você precisa provar cem.

amiga

Amiga, minha melhor amiga, deixa eu te contar...
Não sei tudo sobre a vida, mas o que já vivi me fez ter a certeza do quanto ela tem sido especial. E você ajudou a torná-la assim.
Quantas vezes seu sorriso foi a alegria na minha dor. Quantas vezes eu chorei de saudades, e você foi a responsável pelo sentimento de achar que eu morreria por causa dela. Quantas vezes eu arrumei desculpas só para ouvir sua voz pelo telefone. Sem contar as inúmeras vezes que eu provoquei discussões só para ouvir que eu era sua melhor amiga. Quantas vezes o seu abraço substituiu palavras. Nas nossas brincadeiras eu lembrei de como era bom ser criança. Viajei nas suas histórias e construímos novas. Realizamos coisas difíceis e sonhamos sonhos quase impossíveis. Quantas vezes chorei com suas lágrimas, e aprendi que quem perdoa vive melhor. Nos seus defeitos aprendi a ter ainda mais paciência e nas suas virtudes aprendi o melhor!
Essa é a vida, não devemos ter medo de viver e se entregar a novas amizades, só vivendo é que veremos se valeu a pena ou não, mas viva, os acertos vêm com erros, e nem sempre o acerto dependerá do erro. Hoje, amiga, vejo que você foi um acerto certeiro, mas já imaginou se eu não tivesse arriscado e não tivesse me entregado a nossa amizade? Certamente hoje eu não poderia suspirar de alegria e dizer que valeu a pena!
Valeu a pena, amiga, ter arriscado, você valeu a pena!

Adriana Brazil
2.2 mil compartilhamentos

Alfabeto da amiga

Aceita você do jeito que você é. Bota fé em você. Chama ao telefone só pra dizer "oi". Dá amor incondicional. Ensina-lhe o que sabe de bom. Fica contigo quando você não está legal. Grava na memória só os bons momentos. Humor não lhe falta para lhe fazer sorrir. Interpreta com bondade tudo o que você diz. Jamais o julga, esteja você certo ou errado. Livra-o da solidão. Manda-lhe pensamentos de ternura e gratidão. Nunca o deixa em abandono. Oferece ajuda quando vê sua necessidade. Perdoa e compreende as suas falhas. Quer vê-lo sempre feliz. Rir com você e chora quando você chora. Sempre se faz presente nos momentos de aflição. Toma suas dores e evita que o maltratem. Um sorriso seu basta para fazê-lo sorrir. Vai com você a qualquer lugar. Xinga se for preciso e briga por você. Zela, enfim, pela joia que você lhe representa.

Ana Paula Silva
557 compartilhamentos

MELHOR AMIGA

Obrigada pelos momentos perfeitos. Obrigada por ser aquela que se faz inesquecível e mais importante a cada dia. Obrigada por me entender, justamente quando nem eu me entendo. Obrigada por me ajudar quando eu preciso. Obrigada por puxar minha orelha quando eu faço alguma burrada. Obrigada por existir! Nem o Céu e a Terra separam a gente, e nunca se esqueça disso. Te amo muito!
Você me ensinou o sentido da palavra amizade!
Você sempre esteve ao meu lado!
Te amo, irmã.

Débora Lins
2 mil compartilhamentos

Amiga essas são as coisas queu eu desejo pra ti.
Que você receba toda a felicidade do mundo ,
que seus sonhos se realizem dia pois dia,
que você seja feliz eternamente ,
tenha filhos ótimos, e seja a mulher mas feliz do universo .
Não te conheço pessoalmente
mas se conhecesse, com certeza eu seria aluguem que teria
uma perfeita amiga .
"inteligente ,carinhosa, bondosa, humilde,
delicada, amorosa, simpática , compreensiva , são tantas
coisas boas que se fosse escrever todas não teria espaço
amiga você e minha melhor amiga do orkut
por isso te digo hoje amanhã e sempre
Você e especial pra mim te adora...

Paulo Sérgio
296 compartilhamentos

Amigas verdadeiras!

Um dia uma pessoa me perguntou
se ela era minha amiga verdadeira
e eu respondi sinceramente!

Você é minha amiga verdadeira
e eu nunca vou te substituir
por nenhuma outra!

Você sempre será a única no meu coração!
Quando mais preciso, você está do meu lado
Nas horas felizes e tristes!!

Que Deus te abençoe!
o seu coração é sincero,
puro, sensível, carinhoso,etc

Num tenho nem palavras pra te dizer!!
Te adoro amiga!

Thalia Catarina
1.1 mil compartilhamentos

Melhores amigas
são aquelas que mesmo na distância não deixam a gente,
são aquelas que independentemente de tudo vão te apoiar,
são aquelas que passam pelos bons e maus momentos,
são aquelas que te fazem sorrir não em alguns momentos, mas sim em momentos difíceis pra não te ver chorar.
São aquelas que fazem idiotices juntas, que a brincadeira nunca tem fim.
São aquelas que fazem pequenos momentos valerem muito,
simplesmente é quem nos ensina o valor da confiança.
Melhores amigas são pra sempre e sempre <3
Amo que amo essa galera *-*
Amigas são um presente de Deus, e agradeço sempre pela sua amizade.

NilzaB
998 compartilhamentos

Velhas amigas

Minha avó tinha uma inimiga ferrenha chamada Marina. Elas se mudaram para casas próximas na pequena cidade onde tinham ido viver. Não sei quem começou a guerra, pois foi muito antes de eu nascer, e não sei se quando nasci, uns quarenta anos depois, elas mesmas se lembravam de quem havia começado. Mas o duro combate continuava, com amargas batalhas. Era uma contenda travada sem um pingo de educação. Era uma guerra entre senhoras, o que representava guerra total. Nada na cidade escapou das consequências. A igreja de quatrocentos anos quase desabou quando a vovó e a senhora Marina travaram a batalha pela presidência de uma Sociedade local. Vovó ganhou este combate, mas foi uma vitória sem valor, pois a senhora Marina derrotada, demitiu-se da Sociedade num acesso de pura raiva. E qual é a graça de você dirigir alguma coisa se não puder humilhar sua inimiga mortal? A senhora Marina venceu a batalha da Biblioteca Pública, conseguindo que sua sobrinha Fernanda fosse indicada bibliotecária no lugar de minha tia Amanda. No dia em que Fernanda tomou posse, vovó parou de apanhar livros na biblioteca, dizendo que estavam "cheios de germes", e começou a comprar os livros que queria ler. A batalha da Escola Secundária terminou empatada. O diretor conseguiu um emprego melhor e saiu antes que a senhora Marina o tirasse de lá ou vovó conseguisse mantê-lo lá para sempre. Além dessas batalhas mais sérias, aconteciam constantes ataques e recuos na linha de tiro. Quando éramos crianças e visitávamos vovó, parte da diversão consistia em fazer caretas para os terríveis netos da senhora Marina que revidavam com igual truculência. Corríamos atrás das galinhas e púnhamos bombinhas nos trilhos do bonde bem em frente à casa da senhora Marina com a doce esperança de que, ao passar, o bonde provocasse uma explosão que a fizesse morrer de susto. Num dia histórico, pusemos uma cobra na calha de chuva da senhora Marina. Minha avó ainda ensaiou um protesto, mas sentimos sua solidariedade, bem diferente dos veementes "nãos" de mamãe, e prosseguimos na nossa carreira de crianças endiabradas. Não pense, nem por um minuto que só havia um lado nessa guerra. Lembrem-se de que a senhora Marina também tinha netos bem mais valentões e espertos do que os netos de vovó. Os pestinhas puseram gambás no porão de sua casa e esta foi a agressão mais suave. O fato é que qualquer incidente na casa de vovó foi atribuído aos parentes da senhora Marina. Não sei como vovó poderia ter suportado todos esses problemas se não fosse pelo caderno feminino do jornal diário. A página era uma instituição maravilhosa. Além das usuais dicas de cozinha e conselhos sobre limpeza, havia uma seção de troca de cartas para que as leitoras pudessem desabafar seus problemas. Para que o anonimato fosse mantido, as cartas vinham assinadas com um pseudônimo. O de vovó era Serena (que ironia!!!). Outras pessoas que tivessem o mesmo problema respondiam, dando a solução encontrada e também usando seus pseudônimos. Muitas vezes, exposto o problema, as leitoras ficavam trocando cartas por anos através do jornal, falando sobre filhos, doces em conserva ou a mobília nova da sala de jantar. Foi isso que aconteceu com vovó. Ela e uma mulher chamada Andorinha se corresponderam por vinte e cinco anos, e vovó dizia a Andorinha coisas que jamais confessara a ninguém, como a vez em que contou que pensava estar grávida (e não estava) ou quando meu tio Célio pegou piolho na escola e vovó ficou profundamente humilhada. Andorinha era sua amiga do coração. Quando eu tinha dezessete anos, a senhora Marina morreu. Numa cidade pequena, mesmo que você deteste a vizinha, faz parte das regras de educação se oferecer para ajudar a família enlutada no que for necessário. Vovó atravessou o gramado, deu os pêsames às filhas e começou a ajuda-las a limpar a já imaculada sala de visitas para o funeral. De repente, viu aberto sobre uma mesa, num lugar de destaque, um enorme álbum de recortes. Para seu mais absoluto estarrecimento ali estavam coladas, em colunas paralelas, as cartas dela para Andorinha e as de Andorinha para ela. A maior inimiga de vovó fora, na verdade, sua melhor amiga. Foi a única vez que me lembro de ter visto minha avó chorar. Eu não sabia naquela época por que ela estava chorando, mas agora sei. Chorava por todos os anos perdidos que não poderiam ser recuperados. Naquele momento fiquei tão impressionado com as lágrimas de minha avó, que não me dei conta da descoberta fundamental que começava a fazer. Uma descoberta que se transformou em convicção e que tem me ajudado imensamente a viver.

As pessoas podem parecer insuportáveis. Podem parecer egoístas, mesquinhas e hipócritas. Mas, se não procurarmos olha-las sob outra ótica, nunca seremos capazes de descobrir que são também generosas, amorosas e bondosas. E, se não lhes dermos a oportunidade de revelarem seus segredos e aspectos positivos, procurando sempre falar com elas e não delas, ficaremos sempre privados do bem que elas poderão nos proporcionar.

Desconhecido
40 compartilhamentos

Pode ser que um dia tudo acabe...
Mas, com a amizade construiremos tudo novamente,
Cada vez de forma diferente.
Sendo único e inesquecível cada momento
Que juntos viveremos e nos lembraremos para sempre.

Há duas formas para viver a sua vida:
Uma é acreditar que não existe milagre.
A outra é acreditar que todas as coisas são um milagre

Desconhecido
146 compartilhamentos

Sabe,
Eu só queria uma amizade que não mentisse pra mim ou inventasse histórias. Uma amizade que eu pudesse confiar, que não me desaponte e eu não precise ficar tentando me reconstruir a todo tempo, porque isso não dá certo. Sabe quando um vaso quebra e você tenta colar ele de volta para ser o que era antes? Pois é, ele nunca vai ser o mesmo por dois motivos: irá faltar alguns pedaços, mesmo que pequenos nele; ele foi quebrado. É tão difícil achar um amigo que não minta hora nenhuma. Que não minta, por mais que para nos proteger, pois na verdade não estão nos protegendo. Porque dói, e eu sei da verdade. Não quero que rebloguem esse texto, é só um desabafo, sei lá… Não sei mesmo. Só sei que dói, porque não importam quantas vezes você me machuca e me desaponta, parece que nunca vai ser o bastante enquanto não me vir chorando. Sim chorando. Aquela pessoa que não odeia chorar e não chora por nada acaba chorando de tristeza. Me desaponta. Me machuca. Me corrói. Me maltrata. Sim, pode parecer drama, mas só quem já sofreu isso sabe como dói e sabe que não é. São só algumas coisas que eu queria falar… Obrigado por ter lido.

Tumblr
27 compartilhamentos

"Fiz muitas inimizades, e o ódio substitui a amizade (se é que há amizade entre os maus), e nem sou amigo de mim mesmo. Fiz os maiores esforços para sair da multidão e fazer-me notar por alguma qualidade: o que tenho feito senão oferecer-me como um alvo e mostrar à maldade onde poderia me machucar?"
Da Felicidade

Sêneca
38 compartilhamentos

Sete. Sinônimo de azar?
Praia. Um ótimo lugar pra fazer novas amizades, conversar com pessoas bacanas, pegar um corzinha. Um ótimo lugar pra quem quer perder a esposa. Ainda mais se for com o melhor amigo da família. Foi o que aconteceu comigo em sete de julho de mil novecentos e setenta e sete. Uma data inesquecível para quem perdeu o grande amor da vida. É muito difícil para eu contar uma história onde o equivocado fui eu, onde o ludibriado fui eu, onde o “corno” fui eu. Eu fui traído pelo meu melhor amigo francês e pela minha linda negra mulher, Verônica e Sthéphan. Uma afro-descendente com um moderno francês. Não combinariam. Era dia de muito calor; estávamos em 1977, era sete de julho, estávamos de férias do trabalho; Sthépan me liga e me propõe um banho de mar em Copacabana, confirmo a presença de minha família ao encontro. Desligo o telefone. Apreço Maria Isabel, minha filha, e minha mulher, Verônica. Pego meu Volvo 76, e saímos em partida ao nosso chalé em Copacabana, chegamos por volta das 13h40. Avistamos Sthépan sentado na cadeira de montar bebendo uma água de coco. Ele nos oferece. Dizemos não. Agradecemos. Pedimos dois guarda-sóis e outras cadeiras. Ele está hospedado no Palace Hotel, que á dois meses foi comprado por meu avô. Sthépan é filho de um grande amigo de meu pai, por isso ele está pagando metade da diária. O sonho de Verônica sempre foi conhecer Paris e andar em um transatlântico. Mas todas as vezes que lhe propunha viajar ela preferia gastar em joias e roupas de grifes, e ela nem sabia o que era isso. Verônica pede para ver as fotos novas que ele tirou em paris durante esses anos. Então ele pede para que ela o acompanhe até o Hotel, pede para que eu e minha filha olhemos as coisas, para que eles fossem ver as fotos. Concordamos. E eles se foram. Sthépan sempre ficou admirado com a beleza de minha esposa, pois ele nunca tinha visto uma negra tão linda como Verônica. Em mil novecentos e cinqüenta quando eu me noivei com Verônica, ele morava aqui no Brasil. Sempre nos finais de semanas íamos à praia. E eu percebia como ele olhava para o grande busto de minha mulher, ficava impressionado com o tamanho de seus seios, ficava bobo de ver que aqueles grandes pomos eram “frutos” de uma pele negra. Ele adorava vê-los. Verônica sabia disso. Eu ainda não. Também já estava desconfiado de como ele não se casava de segui-la, sempre que ela ia para o nosso chalé preparar alguma coisa para comermos na praia ele ia atrás. Podia ser uma urgência urinária, um reforço na bebida, não importava o que fosse tudo era pretexto para ele se engraçar com ela. Aposto que o caso começou daí, ela farta das pobres cantadas dele, não se importou de lhe abrir a blusa e lhe conceder alguns momentos de prazer em minha casa - que ficava ao lado do Hotel de meu avô. – E pronto. Não custou tanto assim satisfazer aquele grande homem, meio sem-vergonha, mais algumas vezes. E daí não teria o porquê de recusar visitas intimas na casa dele. Não sei se felizmente ou infelizmente nunca peguei os dois se deleitando. Revirando o baú da memória, enquanto Maria Isabel se banhava nas águas salgadas de Copacabana me lembrei de tudo isso e me perguntei se eles depois de tantos anos poderiam ainda me trair. Se dependesse daquele crápula com certeza sim. Mil vezes sim. Não esperei nem mais um segundo. Atravessei a Avenida Copacabana sem olhar para os lados. Cheguei às portas do hotel, subi as escadas. Todas as 264 escadas em poucos minutos. Nem um empregado ousou a me parar, estava disposto a atropelar qualquer um que tivesse tamanha estupidez. O pouco tempo que levei para subir a escadaria fiquei pensando no que os dois estariam fazendo. E se não fosse nada daquilo que imaginei? E se fosse somente alucinações? E se os dois apenas estivessem vendo fotos de Paris? Mas para saber era preciso ir até lá. Pagar esse preço que talvez seja o mais alto que temos que pagar na vida. Subi. Cheguei. Esmurrei a porta. Berrei: POLÍCIA. Ele abriu. Vi Verônica se escondendo atrás do lençol. O que não adiantou. Reconheceria aqueles pés tamanhos 33 com as solas encardidas de areia e sal em qualquer lugar. Com um safanão arranquei o lençol que ela estava embrulhada. Simultaneamente Sthépan me chamou de covarde tipo selvagem. Iria lhe responder rispidamente, mas nem isso ele merecia. E Verônica só sabia chorar. Eu a agarrei e a levantei pelos cabelos. Arrastei-a pelas escadas, humilhei-a perante os porteiros, faxineiros, recepcionistas do hotel. Bati-lhe entre os bêbados das ruas e avenidas. E com isso ela veio ao falecimento, e eu ao sabor da vitória de que uma vez na vida fiz o que achei conveniente. Condenado a prisão eu fui. Depois eu nunca mais vi Sthépan, o fim dele certamente foi a morte por uma baiana infeliz.

Carlos Drummond de Andrade
81 compartilhamentos

"Porventura tem a amizade um coração tão fraco, que numa noite ou pouco mais se muda?"

"É preferível não ter amigos do que os ter mais nocivos que inimigos."

"Por que precisaríamos de amigos, se nunca tivéssemos necessidade deles? Seriam as criaturas mais inúteis do mundo (...) e se assemelhariam a esses instrumentos agradáveis que permanecem nos estojos, guardando consigo suas harmonias."

"Tem amigos quem nunca aos outros importuna."

"O amigo comprovado, prende-o firme no coração com vínculos de ferro, mas a mão não calejes com saudares a todo instante amigos novos."

"Sempre que a amizade adoece (...) lança mão de fórmulas forçadas."

William Shakespeare
47 compartilhamentos

“Outro dia uma amiga me perguntou o que você tinha me ensinado. A gente estava conversando sobre os legados que as pessoas deixam em nossas vidas, e ela quis saber qual tinha sido o seu. Que raios me ensinou? Fiquei sem saber na hora, fiquei sem saber o que responder. Mas hoje, posso dizer que foi você quem me ensinou a lição mais importante da minha vida: você me ensinou a sofrer.”

Tati Bernardi
40 compartilhamentos

Celebração da amizade/2

Juan Gelman me contou que uma senhora brigou a guarda-chuvadas, numa avenida de Paris, contra uma brigada inteira de funcionários municipais. Os funcionários estavam caçando pombos quando ela emergiu de um incrível Ford bigode, um carro de museu, daqueles que funcionavam a manivela; e brandindo seu guarda-chuva, lançou-se ao ataque.
Agitando os braços abriu caminho, e seu guarda-chuva justiceiro arrebentou as redes onde os pombos tinham sido aprisionados. Então, enquanto os pombos fugiam em alvoroço branco, a senhora avançou a guarda-chuvadas contra os funcionários.
Os funcionários só atinaram em se proteger, como puderam, com os braços, e balbuciavam protestos que ela não ouvia: mais respeito, minha senhora, faça-me o favor, estamos trabalhando, são ordens superiores, senhora, por que não vai bater no prefeito?, senhora, que bicho picou a senhora?, esta mulher endoidou...
Quando a indignada senhora cansou o braço, e apoiou-se numa parede para tomar fôlego, os funcionários exigiram uma explicação.
Depois de um longo silencio, ela disse:
— Meu filho morreu.
Os funcionários disseram que lamentavam muito, mas que eles não tinham culpa. Também disseram que naquela manhã tinham muito o que fazer, a senhora compreende...
— Meu filho morreu — repetiu ela.
E os funcionários: sim, claro, mas que eles estavam ganhando a vida, que existem milhões de pombos soltos por Paris, que os pombos são a ruína desta cidade...
— Cretinos — fulminou a senhora.
E longe dos funcionários, longe de tudo, disse:
— Meu filho morreu e se transformou em pombo.
Os funcionários calaram e ficaram pensando um tempão. Finalmente, apontando os pombos que andavam pelos céus e telhados e calcadas, propuseram:
— Senhora: por que não leva seu filho embora e deixa a gente trabalhar?
Ela ajeitou o chapéu preto:
— Ah! Não! De jeito nenhum!
Olhou através dos funcionários, como se fossem de vidro, e disse muito serena:
— Eu não sei qual dos pombos é meu filho. E se soubesse, também não ia levá-lo embora. Que direito tenho eu de separá-lo de seus amigos?

p. 239

Eduardo Galeano
3 compartilhamentos