Frases de Machado de Assis

Cerca de 450 frases de Machado de Assis

Depois, querida, ganharemos o mundo!

Machado de Assis

Nota: Trecho de carta para a esposa, Carolina, escrita em 2 de março de 1869.

Não é a ocasião que faz o ladrão, dizia ele a alguém; o provérbio está errado. A forma exata deve ser esta: "A ocasião faz o furto; o ladrão nasce feito".

Machado de Assis
Esaú e Jacó (1904).

A borboleta, depois de esvoaçar muito em torno de mim, pousou-me na testa.

Machado de Assis
Memórias Póstumas de Brás Cubas. Rio de Janeiro: Typografia. Nacional, 1881.

As nossas paixões não aceleram nem moderam o passo do tempo.

Machado de Assis
A mão e a luva (1874).

Creiam-me, o menos mal é recordar; ninguém se fie da felicidade presente; há nela uma gota da baba de Caim.

Machado de Assis
Memórias Póstumas de Brás Cubas. Rio de Janeiro: Typografia. Nacional, 1881.

Será mesmo digna em todas as manhãs esta estranha sensação de estar-se perdendo a cada noite de sono?

Machado de Assis

Nota: Autoria não confirmada.

As pessoas valem o que vale a afeição da gente.

Machado de Assis
Dom Casmurro (1899).

Estávamos ali com o céu em nós. As mãos, unindo os nervos, faziam das duas criaturas uma só, mas uma só criatura seráfica. Os olhos continuaram a dizer coisas infinitas, as palavras de boca é que nem tentavam sair, tornavam ao coração caladas como vinham...

Machado de Assis
Dom Casmurro (1899).

Já lá dizia o poeta que a verdade pode ser às vezes inverossímil.

Machado de Assis
Memorial de Aires (1908).

Bem diz o Eclesiastes: Algumas vezes tem o homem domínio sobre outro homem para desgraça sua. O melhor de tudo, acrescento eu, é possuir-se a gente a si mesmo.

Machado de Assis
Obra completa em quatro volumes. Rio de Janeiro: Nova Aguilar.

A vida é boa.

Machado de Assis

Nota: Acredita-se que essas tenham sido as últimas palavras de Machado antes de morrer.

Não é mau este costume de escrever o que se pensa e o que se vê, e dizer isso mesmo quando não se vê nem pensa nada.

Machado de Assis
Memorial de Aires (1908).

O vício é muitas vezes o estrume da virtude.

Machado de Assis
Memórias Póstumas de Brás Cubas. Rio de Janeiro: Typografia. Nacional, 1881.

Um homem consola-se mais ou menos das pessoas que perde.

Machado de Assis
Dom Casmurro (1899).

Era homem como os outros; outros Aquiles andam por aí que são da cabeça aos pés um imenso calcanhar.

Machado de Assis
Conto "Miss Dollar" (1870).

O tempo corre, e as nossas sensações com ele se modificam.

Machado de Assis
Histórias da meia-noite (1873).

Nota: Trecho do conto A parasita azul.

...Mais

A perfeição no amor consiste no sacrifício dos desejos do amante que deseja somente agradar à pessoa amada.

Machado de Assis

Nota: Autoria não confirmada.

Há uma grandeza, há uma glória, há uma intrepidez em ser simplesmente bom, sem aparato, nem interesse, nem cálculo; e sobretudo sem arrependimento.

Machado de Assis
Obra Completa de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, vol. III, 1994.

Nota: Publicado originalmente no jornal "O Cruzeiro", em 2 de junho de 1878.

...Mais

Importuna coisa é a felicidade alheia quando somos vítima de algum infortúnio!

Machado de Assis
Conto "A parasita azul".

O tempo é um tecido invisível em que se pode bordar tudo.

Machado de Assis
Esaú e Jacó (1904).