Frases de Amor de Carlos Drummond de Andrade

Cerca de 62 frases de Amor de Carlos Drummond de Andrade

O mundo é grande e cabe nesta janela sobre o mar. O mar é grande e cabe na cama e no colchão de amar. O amor é grande e cabe no breve espaço de beijar.

Carlos Drummond de Andrade , "Obra poética", Volumes 4-6. Lisboa: Publicações Europa-América, 1989.

Nota: Poema "O Mundo é Grande"

Se você sabe explicar o que sente, não ama, pois o amor foge de todas as explicações possíveis.

Carlos Drummond de Andrade

Nota: Autoria não confirmada. Possível paráfrase de trecho do livro "O Avesso das Coisas - Aforismos", de Carlos Drummond Andrade.

Nossa capacidade de amar é limitada, e o amor infinito; este é o drama.

Amar a nossa falta mesma de amor, e na secura nossa
amar a água implícita, e o beijo tácito, e a sede infinita.

Carlos Drummond de Andrade ANDRADE, C. D. Antologia Poética – 12a edição - Rio de Janeiro: José Olympio, 1978

Memória

Amar o perdido
deixa confundido
este coração.

Nada pode o olvido
contra o sem sentido
apelo do Não.

As coisas tangíveis
tornam-se insensíveis
à palma da mão

Mas as coisas findas
muito mais que lindas,
essas ficarão.

Carlos Drummond de Andrade , "Poemas". Rio de Janeiro: J. Olympio, 1959.

Há vários motivos para não se amar uma pessoa e um só para amá-la.

Carlos Drummond de Andrade

Nota: Adaptação de trecho do livro "O Avesso das Coisas - Aforismos", de Carlos Drummond Andrade.

O Dia dos Namorados para mim é todo dia. Não tenho dias marcados para te amar noite e dia.

Amar se aprende amando.

Que pode uma criatura senão,
entre outras criaturas, amar?
amar e esquecer,
amar e malamar,
amar, desamar, amar?
sempre, e até de olhos vidrados, amar?

Amor é bicho instruído.

Olha: o amor pulou o muro
o amor subiu na árvore
em tempo de se estrepar.
Pronto, o amor se estrepou.
Daqui estou vendo o sangue
que escorre do corpo andrógino.
Essa ferida, meu bem
às vezes não sara nunca
às vezes sara amanhã.

Carlos Drummond de Andrade , "Poemas". Rio de Janeiro: J. Olympio, 1959.

Entre as diversas formas de mendicância, a mais humilhante é a do amor implorado.

Carlos Drummond de Andrade , "O Avesso das Coisas. Aforismos". Editora Record. 2ª Edição. 1990

O chão é cama

O chão é cama para o amor urgente,
amor que não espera ir para a cama.
Sobre o tapete ou duro piso, a gente
compõe de corpo e corpo a úmida trama.

E para repousar do amor, vamos à cama.

Carlos Drummond de Andrade ANDRADE, C. D. O Amor Natural. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

Carlos, sossegue, o amor
é isso que você está vendo:
hoje beija, amanhã não beija,
depois de amanhã é domingo
e segunda-feira ninguém sabe
o que será.

Carlos Drummond de Andrade ANDRADE, C. D. Poesia completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2002.

Nota: Trecho de "Não se mate": Link

O amor é grande mas cabe no breve espaço de beijar.

Carlos Drummond de Andrade

Nota: Trecho adaptado do poema "Amar se aprende amando" de Carlos Drummond de Andrade. Link

O antigo amor, porém, nunca fenece
e a cada dia surge mais amante.

Mais ardente, mas pobre de esperança.
Mais triste? Não. Ele venceu a dor,
e resplandece no seu canto obscuro,
tanto mais velho quanto mais amor.

Amor nenhum dispensa uma gota de ácido

E sou meu próprio frio que me fecho
longe do amor desabitado e líquido,
amor em que me amaram, me feriram
sete vezes por dia em sete dias
de sete vidas de ouro,
amor, fonte de eterno frio

Ser feliz sem motivo é a mais autêntica forma de felicidade.

Carlos Drummond de Andrade , "Avesso das Coisas. Aforismos". Editora Record. 2.ª Edição. 1990

A minha vontade é forte, porém minha disposição de obedecer-lhe é fraca.

Carlos Drummond de Andrade

Nota: Trecho do livro "O Avesso das Coisas", de Carlos Drummond de Andrade.

Os homens distinguem-se pelo que fazem; as mulheres, pelo que levam os homens a fazer.

Carlos Drummond de Andrade , "O Avesso das Coisas: Aforismos". Rio de Janeiro: Editora Record, 1990.