Douglas Domingos Américo: O CAMINHO QUE ME FAZ ESTAR AQUI Estar é...

O CAMINHO QUE ME FAZ ESTAR AQUI

Estar é uma condição que me garante a existência, portanto somente estar já pode ser uma dádiva.
O que me diferencia de tudo que está aqui ou ali, seja animado ou inanimado, me impulsiona a buscar algo além do apenas existir; saber que estou e de repente posso não está, causa algo inquietador e desafiador no meu âmago, onde uma busca incessante que transcende esta condição me leva a muitos caminhos.
Como e em que local encontrar o que busco, poderia ser a pergunta chave se eu soubesse responder por que, o que e para que tanta ânsia pelo desconhecido.
Através do pressuposto das minhas ações e das ações dos que são mais semelhantes a mim, suspeito que busco o prazer ou algo relacionado a ele, porém entro em choque quando constato que ele é incapaz de me satisfazer tão pouco momentaneamente, por não surtir efeito sem estar agregado, chego até relaciona-lo com um influente parasita.
Diante de tantas dúvidas, decido atribuir para consciência a responsabilidade de ser o diferencial que me distingui de diversas coisas que também estão, logo esta consciência me faz acreditar que estou aqui por ter ou por está buscando a tal felicidade e que esta ânsia por ela é devido eu ser de alguma maneira programado para ela.
Entretanto, a busca que faço neste “local” seja com vontade, sem vontade, gostando e não gostando, é por que hoje sou consciência que a existência é fundamental, mas não o suficiente para mim e meus semelhantes, pois existir para minha espécie deve provir segundo a consciência, a qual implica caminhar em busca de ser feliz.
Tenho aprendido que nos caminhos da vida existem vielas, ruas, estradas, avenidas e rodovias. Há placas que sinalizam experiências: sem saída, saliência, dê a preferência, pista irregular e siga em frente.
Quem na vida nunca se deparou com uma viela sem saída e teve que voltar atrás, com uma rua cheia de saliência e teve que ir devagar?
Quem na vida nunca esteve em uma estrada com paisagens lindas, mas a pista era irregular ou em uma avenida de ótimo fluxo, mas teve que dar a preferência?
Para bem trafegar nos caminhos da vida, é preciso respeitar as sinalizações e recomeçar quando não tiver saída, respirar quando encontrar saliências, pensar quando algo estiver irregular e amar para ser capaz de dar preferência.
Creio que sempre após o árduo percurso da diabólica metrópole, chegará a rodovia que conduz para simbólica cidadezinha, onde aparecerão as placas “FELICIDADE - siga em frente”.

1 compartilhamento
Inserida por Dougcrisma