Clara Furtado: Não saio por aí amando todo mundo,...

Não saio por aí amando todo mundo, definitivamente. O Amor não é um brinquedo ou a roupa que trocamos todos os dias ou o produto à venda em prateleiras de lojas. Amor é coisa séria. Mas quando e quem eu realmente amo, eu amo mesmo, pra valer e de verdade. Pode ser Amor da amizade leal, pode ser Amor da paixão que nos completa, se eu sentir que é verdadeiro e genuíno, amo sem neuras e sem medo de demonstrar e afastando, assim, a cautela que, diante do real Amor, passa a ser dispensável e desnecessária.

Amo e não é que eu dependa de tais amores; isso nem seria possível, pois na verdade amar não é depender e porque sempre existe o Amor a Deus e a nós mesmos, sempre incontestáveis. Amo porque isso nos faz sentir sempre pessoas melhores ainda, melhores que nós mesmos, porque nos desperta a vontade de cuidar, proteger, zelar, de literalmente, amar.

Amo muito quem nasceu para que eu ame e quem eu sinto uma enorme vontade de amar, embora esse Amor todo não precise de esforço algum para acontecer, tampouco para existir e permanecer, porque de alguma forma, eles merecem que os ame e é sempre muito fácil perceber, porque esse Amor vem de volta, sincero como o meu. Amo essas pessoas especiais, as que fazem parte das nossas melhores orações e estão em todos os nossos momentos e pensamentos, aquelas que, quando citamos o Amor, sabem que estamos falando exatamente delas, as mesmas com quem queremos dividir nossas coisas, as agradáveis, porque queremos o melhor para esses nossos seres amados, e as não tão agradáveis assim, dos desânimos da vida, pois confiamos e nos sentimos seguros com estas mesmas pessoas que entregamos o nosso melhor, porque no fundo sentimos que é com estes que podemos contar, abaixo de Deus, pois sentimos também que eles vieram e existem em nossas vidas a mando dEle.

Amo e isso, é tão bom. Bom demais!!!

1 compartilhamento
Inserida por ClaraFurtado