Walace Miguel: PRETINHA Minha mão soa frio sob a...

PRETINHA

Minha mão soa frio sob a difusão do arrepio.
Meu coração gela por ela, universo do meu mundo, contração de todo meu verso, minha Miss Favela.
Premonições envolvem vidas a se re-erguer...
Você não foi uma premonição do destino, mais me ensinou a viver.
Ao que vejo e não gostaria de ver, são instantes ininterruptos do abominavel estinto feminino indomável.
Te quero, te querendo o que queira sem era nem beira, de segunda a segunda-feira, pretinha do sorriso indomável.
As lágrimas das flores brisam a lentidão do ar puro.
Seja em mim, o amanhã o agora, o hoje, o presente e o futuro.
Seja pra mim a fresta de luz que me tira do escuro.
Seu sorriso de pedra lapidada me faz perceber que pro mundo você é tudo, e eu não sou nada.
Preta da pele semelhante a minha, tua voz arranha meus ouvidos e ecoa sobre os horizontes.
Sorria, sob o sol da liberdade...
Seu sorriso é o motivo da minha felicidade.
O perfume mais saboroso que pude inalar por tantos anos frios.
Seus cabelos longos me embolam e me enrolam fio por fio.
Nossas madrugadas sobre uma cama congelada visando sua pele de " Flor de lotos "
Mesmo com uma cama congelada, o amor faz de um vulcão em destintas erupções em nossos corpos.
Você me aquece, abomina o que aparece não se lamenta.
Comparece na minha vida, pequenina, mulher-menina ciumenta.
Pretinha do sorriso lapidado pelo destino obrigado por fazer um homem ser um menino.
Na verdade sinto saudade, daquela que transformou um menino, em um homem de verdade.

1 compartilhamento
Inserida por walacemiguel