Félix Augusto Lopes Andrade Junior: No Algoz do Navio Negreiro Eu...

No Algoz do Navio Negreiro Eu escritor,poeta e passageiro, Acordei em meio ao algoz de um navio negreiro, Observando cada sofrimento de um povo, Em meio a um de... Frase de Félix Augusto Lopes Andrade Junior.

No Algoz do Navio Negreiro

Eu escritor,poeta e passageiro,
Acordei em meio ao algoz de um navio negreiro,
Observando cada sofrimento de um povo,
Em meio a um devaneio,
Qual será o objetivo tão plena perversão?
Gritos de arrepiar os cabelos,
Seres humanos jogados em meio ao mar,
Por mera ineficiência,
E eu ali assistindo este sofrimento, estas mortes e estes maus tratos,
Sem saber o que fazer,
Rezei para as noites sombrias que avistassem uma terra firme,
Fixei meus joelhos rentes ao solo da caravela,
E avistei terra firme.
Oh ,povo sofrido,
Deram-lhe suas almas para o lucro e o aconchego dos burgueses,
Meu sofrimento também deste povo,
Em meio a minha veia a rastro de sangue negro,
Resolvi escrever em meio de minhas poesias,
A luta de um povo sofredor, batalhador,
Que nunca se entregou ou muito menos se abalou.

1 compartilhamento
Inserida por felixjunior