Atila Andre de Negri Fonseca: TENHO VERGONHA DE TI Tenho vergonha de...

TENHO VERGONHA DE TI





Tenho vergonha de ti...

Que ignoras a verdade e coaduna com a mentira de poucos.

Que durante anos lutou pela liberdade de expressão e pensamento,

E hoje vive escravo de uma democracia, que oprime a muitos.

Que diz ser brasileiro não por amor a sua terra,

Mas por conta de um misero grito de gol.

Que se enrola na bandeira, e diz ter orgulho de um time.

E o seu País ?

Um povo que mal sabe cantar e honrar o seu hino.

Que vende sua terra por trocados, para salteadores, que se travestem de homens públicos.

Rui Barbosa, vibrava ao ouvir o seu hino, e jamais se enrolou na sua bandeira.

Muitos não sabem o grande homem, cidadão, patriota que era Rui.

Muitos não sabem nem o que é Constituição Federal....

Não sabem a capital dos estados da Federação

Não sabem nada..

Sabem sim, o nome de cada guerreiro que vai disputar um mundial futebolístico,

E estes são os heróis da nossa Patria ?

E os heróis que sobrevivem com salário que mal dá para alimentar-se ?

E os heróis que não tem educação, saúde e emprego ?

E os heróis que não tem dignidade ?

E os Direitos Fundamentais, são desprezados.

Realmente, O POVO é herói.

Por isso que um pouco de comida e dinheiro,

Faz surgir novos senhores feudais contemporâneos,

Que tomam o poder, e engavetam interesses coletivos,

Em prol dos seus interesses particulares.

Rui Barbosa sentia vergonha:

“Tenho vergonha de mim
pois faço parte de um povo que não reconheço,
enveredando por caminhos
que não quero percorrer… “

Eu, tenho vergonha de ti,

Que não sabem a força que tem.

Que não sabem pleitear os seus direitos.

Que jogam fora a sua soberania.

Deixamos os valores se perder.

O corrupto, controla o poder.

O honesto foge para não morrer.

Rui Barbosa tinha do que se envergonhar:

” De tanto ver triunfar as nulidades,
de tanto ver prosperar a desonra,
de tanto ver crescer a injustiça,
de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus,
o homem chega a desanimar da virtude,
a rir-se da honra,
a ter vergonha de ser honesto “.

Eu, tenho vergonha de ti, e me envergonho,

Ao lutar pela verdade,

De fazer valer a justiça,

Resgatar valores perdidos,

Honrar a pátria amada.

Mas Rui Barbosa, sentiu o mesmo sentimento que eu:

“ Ao lado da vergonha de mim,
tenho tanta pena de ti,
povo brasileiro !”



AUTOR: Atila André de Negri Fonseca.

1 compartilhamento
Inserida por ATILANEGRI