Bruno M. Tôp: -O amor nasce, sem anunciar sua...

-O amor nasce, sem anunciar sua presença, ele cresce, sem mostrar sua verdadeira face, se fantasiando de amizade, admiração, paixão ou atração, e aí, quando chega a hora da verdade, quando se depara com a saudade, ele inflige dor, uma dor que só é gerada por amor.
É como um parasita, que entra sem ser convidado, se alimenta sem ter permissão, e vai ficando por ali. E como todo parasita, chega uma hora, que ele começa a destruir seu hospedeiro. Pelo menos ele normalmente é assim, só que a mágica do amor, está justamente nisso.
Ele tem a habilidade única, de transformar seu hospedeiro, em uma pessoa melhor, normalmente, ele é como qualquer doença, que só destrói, mas em casos raros, ele só faz o bem, quando a saudade vem, ele torna tudo mais bonito.
-Mas o amor acaba machucando. e a saudade que vem desse tipo de amor, dói. e dói muito.
-Claro, mas, às vezes, em casos raros, o amor não gera dor, gera cor, traz alegria, e a saudade, se torna nostalgia.
-Mas sabe o que é pior? É quando sente nostalgia de algo que não te fez bem. Se bem que a nostalgia me traz os melhores momentos.
-Nostalgia por definição é algo bom; Saudades por definição é algo que nos faz falta. Saudade ou é agonia, ou é nostalgia.

1 compartilhamento
Inserida por brunomtop