Bruno M. Tôp: Ela é uma garota perspicaz, Está...

Ela é uma garota perspicaz,
Está sempre fazendo o impensável,
Eu acho que não escolha,
A não ser viver girando ao seu redor,
Atraído por ela, por uma força gravitacional.

O problema maior, é que ela não é maleável,
Muito intolerante,
E o pior,
Eu sei que sou incapaz,
De tomar uma atitude racional.

Ela gosta de ficar alcoolizada,
Nada de errado nisso certo?
Afinal, estou sempre por perto,
Mas sinto que ela se sente culpada,
Por não saber o que sente por mim,
Pobre Bianca errante.

Pare de chorar,
Eu sei que você adora o gosto,
Das lágrimas que descem pelo seu rosto,
E acabam ne perdendo em nossos lábios,
Enquanto trocamos beijos estranhos.

'Eu lembro dele?'
'Não, você o faz parecer tão ruim'
'Então qual o problema?'
'É que eu não consigo tirá-lo de mim'
(...)

'Mas não é pra você tirar'
'Como não, ele só me fez chorar'
'Justamente... Ele é uma degrau,
Que você teve que escalar,
Para a felicidade alcançar'
(...)

'Ouch, sua violenta! Porque etá sorrindo?'
'Você é tão idiota, que acho que talvez,
Meu coração esteja se abrindo,
Voltando a baixar seus espinhos'
'Consegui isso com muito suor,
Tapa, beijos e carinho'
'Cale a boca'

Tudo está se equalizando,
Acho que ela está se sentindo melhor,
Depois de uma manhã de ressaca,
Ela se sente nova em folha,
Até parece que a dor de cabeça foi estourada,
Como se fosse uma bolha,
Ela realmente é especial.

'Não sei pra que tanta frustração,
Ela escolheu sua opção'
'Não gosto do rumo que tudo está tomando,
Ela nem sabe se está amando,
Porque teve que me abandonar'

'Porque ela não percebeu o quão é perigoso,
Se afastar do seu abrigo mais caloroso'
'Hein?'
'De você, amigos são nossos abrigos... Ouch!'
'Não fale por enigmas!'
'Gosto de paradigmas...'

Então, do nada, ela voltou a odiar,
Um ódio que abranje tudo,
Todos seus relacionamentos,
E seus conteúdos.
Bianca quer ir pra longe de mim,
Como se eu fosse o estopim,
Para tudo que acontece de ruim.

'Por favor, me leve daqui,
Antes que vire uma estatua torta,
E todos os meur arumentos,
Sejam usadas contra mim,
Antes que eu esteja pior que morta,
Não me deixe voltar a ser,
Uma garota triste e soznha'

'Você é tão covarde...'
Eu disse isso com serenidade,
E ainda assim, levei ela pra fora da cidade,
Deixei que ela passasse toda uma tarde,
Olhando o crepusculo nas areias claras.

Não somos um casal,
Somos só dois idiotas,
Que não tinha nem uma esperança remota,
E acabamos juntos no final.

Engraçado isso...
Eu e Bianca...
Quando tempo será que vai durar?
Só sei que enquanto não decidimos isso,
vamos ficar sentados nessas areias brancas.

1 compartilhamento
Inserida por brunomtop