Ops! O pensamento foi removido e não pode ser encontrado no Pensador.

Outros pensamentos que podem interessar:

Planeta em emergência: Covid-19

Sars-Cov-2, esse é o nome da doença que abalou o mundo e ficará conhecido como um dos mais terríveis surtos de pandemia no final da segunda década do segundo milênio d.Cristo. Causado pelo vírus Coronavírus, foi batizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), de Covid-19, infectando milhões de pessoas e ceifando outros milhares de vidas.

A pandemia global, se dá pela propagação de pessoas, entrada e saída de um país ou de uma região a outra, ou seja, o vírus estava sendo transmitido pela circulação de pessoas, seja por via terrestre, aérea ou marítima, sem que soubessem que estavam com o vírus, as pessoas ampliaram o contágio transmitindo uma para outra a medida que entravam em uma nova região do mesmo ou de outro país.

Wuhan, cidade asiática com mais 11 milhões de habitantes, localizada na China central, teve os primeiros casos relatados pela Covid-19, contudo, não se pode dizer que o foco da pandemia tenha começado nesta cidade ou o vírus tenha se originado na China.

A Europa é o principal palco do ataque do Coronavírus, embora a China, tenha sido a precursora, os países europeus demoraram para tomar medidas emergenciais, do contrário que ocorreu na China as medidas foram rápidas, com o fechamento de portos e aeroportos, estradas e rodovias, comércios e indústrias nas cidades, e o principal, o governo decretou o isolamento social, a chamada quarentena, além do distanciamento entre as pessoas, proibições de aglomerações em lugares públicos, e a construção de hospitais de campanha em tempo recorde.

Todas as medidas adotadas na China culminaram na pronta resposta, isolando a população, evitando a transmissão e propagação do vírus no país.

No cenário mundial entre casos confirmados e mortes por habitantes, a Europa foi o continente mais preocupante, pois demoraram para fechar suas fronteiras, entre os países que se destacaram nesta situação foram: Itália, Espanha, França, Reino Unido, Alemanha, Portugal, Suíça, Áustria, Dinamarca, Noruega, Suécia, Islândia, Irlanda, Sérvia, Moldávia, Eslovênia, Grécia, Estônia, Macedônia, Tchéquia, Romênia e Bielorrússia. Na Ásia os casos de Covid-19 mais agravantes foram registrados na China, Arábia Saudita, Irã, Emirados Árabes Unidos, Omã, Turquia, Cazaquistão, Coreia do Sul, Japão e Malásia, na Oceania: Austrália, Nova Zelândia e Nova Caledônia.

Nas Américas, o Covid-19 foi tratado no primeiro momento como notícia folclórica pelos governantes principalmente dos Estados Unidos e do Brasil, minimizaram o problema como se fosse algo factoide do oriente asiático e alarde europeu, sem muita preocupação aparente, com todas as fronteiras abertas, portos e aeroportos em operação regular, e a grande circulação de pessoas e mercadorias nas grandes cidades, o vírus disseminou nos EUA de maneira estarrecedora, infectando milhões de habitantes e registrando o maior número de infectados e mortes do mundo.

Além dos EUA e Brasil, Canadá, México, Colômbia, Chile, Guiana, Argentina, República Dominicana, Panamá, Ilhas Malvinas, Guiana e Guiana Francesa, se destacaram na pandemia. Em ilhas remotas, localidades com poucas populações residentes, e governos autoritários não houveram registros ou confirmação de casos de Covid-19, como a Coreia do Norte, e o único continente sem registros foi a Antártida.

Atualmente, o trabalho ao combate da pandemia é latente entre governantes e pesquisadores do mundo todo em busca de uma solução, pois o Covid-19 é fato, e vidas são perdidas diariamente. Não há espaço para achismos, não se pode perder tempo perdendo mais vidas, a ciência é fruto da pesquisa, e a pesquisa se faz com a ciência.


Luciano Dall Alba Lopes de Oliveira,
Prof. de Geografia

Luciano Dall Alba Lopes de Oliveira
Inserida por lucianodalo

Força, Fernandinho

Vai passar, Fernandinho.
A dor e a tristeza,
A angústia e tudo
Que de alguma forma o faz sofrer.

Infelizmente o racismo,
A ignorância e o preconceito,
Permanecerão por muitos e muitos séculos.
Porém, nosso silêncio não existirá mais.

Mesmo que nossas vozes não ecoem
Nem mesmo entre nós!
Não nos calaremos! Ouviram?
Não diremos amém para esses insultos!

Nossa resistência
A cada luta se torna ainda maior.
Nossa empatia
Cresce a cada instante.

Nós passarinhemos
Bem devagarinho,
Já os racistas de plantão ou enrustidos,
Não passarão!

Repito:
Racistas não passarão!

Edson Luiz Elo

⁠Vivem dizendo que o Paraná é a Rússia brasileira, e querem se mostrar surpresos com o acordo assinado. 


(Por favor, leiam com a ironia necessária.)

Luana Kaminski

Luana Kaminski
Inserida por kaminski