Ronaldo Cunha Lima: E agora Campina que eu me dobre, para...

E agora Campina que eu me dobre, para pedir com meu verso pobre, um pouco de clemência e de paixão. Não destruas a minha mocidade, matando meu ideal de liberdad... Frase de Ronaldo Cunha Lima.

E agora Campina que eu me dobre,
para pedir com meu verso pobre,
um pouco de clemência e de paixão.

Não destruas a minha mocidade,
matando meu ideal de liberdade,
e ceifando esta grande ilusão.

Sou candidato e é um grande sonho,
matá-lo é triste teto que medonho,
e um pesar mais triste e mais profundo,

Derrotado sairia em desatino,
criatura vagando sem destino,
uma alma perdida pelo mundo.

Dá-me Campina esta oportunidade,
de te servir com minha mocidade,
e de lutar com a minha rebeldia.

Eu te peço do amor sentindo açoite,
mais um pouco de luz para minha noite,
mais um pouco de sol para meu dia.

Inserida por gnpoesia