Maria Lu T S Nishimura: A penitência Crescer é nada além de...

A penitência

Crescer é nada além de uma arte,
Parece fácil o rumo certo que há!
Mas, tu escolhes as voltas que dá
Na sua forma viva de fazer parte!

A vida no vasto sobre bela terra
É um íntimo de experimentação,
Que em cada peito se encerra
Na fala ou no silêncio da emoção!

Não é deste mundo o julgamento
Na hora certa, cada um saberá
O veredicto do seu testamento!

As linhas disso estão lá com Deus
Alguns nele escreve sem o: ô... "Será"?
Se tortos, pedem perdão só no adeus!


II

Se ficam retos e belos depois disso,
Não nos cabe saber o triste desfecho.
Se a alma irá ao céu ou ao inferno
E que fim haverá a alma após isso!

Renascerá então, por sete vezes, talvez...
Até que, o algo "torto", fique bem reto,
Que o espirito apreenda cá o correto
E toda alma evolua na sensata altivez!

Renascerão todos até alcançar evolução,
Viverão a narrativa romântica desta vida,
E moldar-se-ão na reza rija, por salvação!

Não é insensata a vida nesta existência,
Posto a viver, cá em vão para perfeição?
Então... a vida terrena é uma penitência?