Antonio Costta: RIO MORTO (Parodiando Manuel Bandeira)...

RIO MORTO (Parodiando Manuel Bandeira) Onde as águas puras do passado Produziam vida em abundância Contemplo agora a realidade Do presente, degradado, poluído, ... Frase de Antonio Costta.

RIO MORTO
(Parodiando Manuel Bandeira)

Onde as águas puras do passado
Produziam vida em abundância
Contemplo agora a realidade
Do presente, degradado, poluído,
Onde escorre, na areia, o rio morto.

Rio morto, rio morto, rio morto.

Águas de paisagem cristalina
Que abasteciam os ribeirinhos!
Águas, potáveis águas,
Para bebermos jamais.
Se perderam com o rio morto.

Rio morto, rio morto, rio morto.

Rio morto, rio injustiçado
Rio violentamente, rio
Morto, sem motivo algum,
Razão nenhuma. O que foi
Ficou no passado.
Agora é apenas um rio morto

Rio morto, rio morto, rio morto.

Inserida por Antonio_Costta