Semeadores de Sentimentos: Às vezes não é um mal entendido que...

Às vezes não é um mal entendido que afasta as pessoas, é um conceito antecipado e é muito comum entre os estranhos esse dilema. A questão é que nenhum ser vivo, principalmente o ser humano, nem você e nem eu somos totalmente dóceis ou doces, isso não é uma decepção.
Como eu disse, é muito comum julgar os outros por uma palavra, uma mensagem, uma conversa, uma impressão.
Não é culpa de ninguém, pois acontece comigo o tempo todo, já aconteceu com você e com todos nós. E não é uma consequência de expectativas excessivas, é apenas um fato corriqueiro e só isso, acontece.
O problema do pré-julgamento está na continuidade dele, causada pela falta de comunicação, quando já se supõe o que é bom ou não, certo ou não, verdadeiro ou não, isso sem abrir a mente para o que realmente está por trás do riso frouxo, do jeito tranquilo, da conversa doce, da atenção suspeita, do jeito legal demais.
Nem tudo está explícito, eu sei. Mas, nada impede de desvendar o mistério antes de julgar e condenar, coisa que ninguém tem o poder absoluto para fazer.
De repente, ser amargo, chato, antipático, arrogante e incompreensível não é tão interessante e faz-se necessário esquecer esse lado difícil, pois ninguém condena alguém que gosta de rir dos problemas de vez em quando e isso que classifico aqui não é um afronta a ninguém, é uma demonstração do que também acontece comigo.
Eu não sou um docinho, se eu for um, devo ser o de limão, mas não preciso azedar a boca de ninguém o dia todo, acrescento mais açúcar, porém nem sempre acerto a medida e posso deixar o outro enjoado.
Mas, apesar do excesso de doçura, existem os dias em que não dá para disfarçar a falta de esperança e o desgosto, novamente enfatizo que isso aontece com todo mundo.
A cabeça não aguenta tanta pressão no dia e os olhos não mentem, também a boca acaba falando do que o coração está cheio, ninguém é de ferro.
Mas, o que é preciso considerar é que nenhum de nós é feliz o tempo todo, por mais fácil que seja para alguns evitar expor seus verdadeiros sentimentos, nem todos conseguem ser dissimulados e controlados, faz parte ser sentimental de vez em quando.
Então, deixemos para lá esse problema da presunção de condenar a identidade de alguém, olhemos com outros olhos e pensemos sobre o que realmente importa.
Existem orações por aí que a gente desconhece o orador, mas ele não se esquece de pedir por nossa felicidade, mesmo quando não lhe damos motivo para se importar conosco.
Afinal, o que alguém lá de cima faria? Amaria! Eu acredito no amor ser a solução de tudo, até da ignorância.
Apenas ame, não precisa concordar ou assinar em baixo, mas respeite quem tem a vida diferente da sua. Temos tão pouco tempo para viver e quando atingimos certa idade, coisas pequenas não valem mais o esforço.
Sorria, Deus te amou primeiro!

1 compartilhamento