Semeadores de Sentimentos: Sobre as memórias que atravessam na...

Sobre as memórias que atravessam na minha frente com vida própria, eu só observo e tenho em mim uma covarde vontade de interagir, mas não me permito sair da cômoda proteção que criei contra elas.
É mais fácil para mim suportar a saudade em silêncio do que perder o pouco de amor dentro de mim que sobrou do furacão de você.
No fim de tudo isso, o dejavu é sempre uma parte de mim que não morreu e luta para ser livre outra vez, mas não me permito mais correr os mesmos riscos.
Eu prefiro me proteger da chuva de você do que me afogar em novas frustrações minhas e não posso lhe obrigar a aceitar minhas convicções, mas posso te poupar do meu lado ferido e vazio de bons sentimentos, deixando você passar, sem nem perceber que estou a te observar, com saudade de quando a gente era feliz.

1 compartilhamento