Poeta mineiro do cerrado - LUCIANO SPAGNOL: MATUTINA (soneto) Na manhã matutina do...

MATUTINA (soneto) Na manhã matutina do planalto Vagueia o horizonte tão rubente Numa dança de cor em contralto Cintilando o azul do céu nascente Ultrapassa os j... Frase de Poeta mineiro do cerrado - LUCIANO SPAGNOL.

MATUTINA (soneto)

Na manhã matutina do planalto
Vagueia o horizonte tão rubente
Numa dança de cor em contralto
Cintilando o azul do céu nascente

Ultrapassa os jardins do asfalto
Sem esquinas, nuvem ausente
No espetáculo como ponto alto
Riscando o cerrado num repente

E o vento chia, é julho, tão frio
Brasília de curvas retas, feitio
Sereno, num panorama pleno

Rompi o dia em arauto gentil
Ipês floridos, de sertão bravio
E amanhecer nunca pequeno

© Luciano Spagnol
Poeta do cerrado
2017, julho
Planalto central - Brasília

1 compartilhamento
Inserida por LucianoSpagnol