Poeta mineiro do cerrado - LUCIANO SPAGNOL: RODEIO DO TEMPO Sinto o vento áspero...

RODEIO DO TEMPO Sinto o vento áspero que repousa em mim Na noite do cerrado, entre o céu e o chão Bafejado do horizonte, imbuído na emoção Desfolhando a poesia ... Frase de Poeta mineiro do cerrado - LUCIANO SPAGNOL.

RODEIO DO TEMPO

Sinto o vento áspero que repousa em mim
Na noite do cerrado, entre o céu e o chão
Bafejado do horizonte, imbuído na emoção
Desfolhando a poesia enroladas em cetim

Sinto o solfejo do inverno de julho, então
Me cubro com a brisa de sonho carmim
Corrompendo o fado, e erguendo jardim
Criando quimeras no alquebrado coração

Meu corpo é alado tal ficção de folhetim
Dessangrando nas saudades de paixão
Suspirando os reveses deixados no fim

Fecho os olhos e me vejo na imensidão
Da captura, breve, tal ledices de festim
Deste rodeio do tempo, cheios de ilusão

© Luciano Spagnol
Poeta do cerrado
2017, junho
Cerrado goiano

1 compartilhamento
Inserida por LucianoSpagnol