Valdenir De Lima Oliveira: As Pedras Eu converso com as pedras E...

As Pedras

Eu converso com as pedras
E só elas me entende
As vezes parece loucura
Mas o papo se estende

E eu me perco na doçura
De um grande gesto bonito
Porque pedra quando fala
É tão alto e profundo
Que chega a tocar o infinito

As pedras são grandes amigas
E grandes guerreiras também
Elas guardam lembranças antigas
E são sempre pisadas por alguém

As pedras são heroínas
E guardiãs de grandes segredos
Dos mais loucos desejos
Ás águas mais cristalinas

As pedras escondem mistérios
Que a vida não sabe explicar
Porque existe matar
E esses tais de cemitérios

As pedras sabem amar
E também o valor do perdão
Porque vem do coração
O que sempre sabem falar

As pedras tem sempre emoção
E sabem tão bem escutar
Mesmo que o desatino é chorar
E de sempre perder a noção

Elas tem sempre razão
E grandes sentimentos
Pois entendem de tudo
E conhece cada tormento

Desde as dores do mundo
Em meio a multidão
Aos amores profundos
Em meio à ilusão
Quando a maré vem
E o barco se afunda

Quando a brisa levanta
E o sorriso se fecha
Quando se atira um flecha
E o cupido se espanta
Quando feliz é quem vive
E não só o que canta

Quando não é primavera
E as flores se enganam
Quando os aromas se emanam
E já não é o que espera

Quando o pó virar tédio
E o amor virar ódio
Quando o pavor virar sódio
E o suor virar remédio.

2 compartilhamentos