Paul Verlaine: Meu sonho familiar Sonho às vezes o...

Meu sonho familiar Sonho às vezes o sonho estranho e persistente De não sei que mulher que eu quero e que me quer, E que nunca é, de fato, uma única mulher E ne... Frase de Paul Verlaine.

Meu sonho familiar

Sonho às vezes o sonho estranho e persistente
De não sei que mulher que eu quero e que me quer,
E que nunca é, de fato, uma única mulher
E nem outra, de fato, e me compreende e sente.

Compreende-me, e este meu coração, transparente
Para ela, não é mais um problema qualquer,
Só para ela, o meu suor de angústia, se quiser,
Chorando, ela transforma em frescura envolvente.

Se é morena, ou se loura, ou se ruiva – eu ignoro.
Seu nome? É como o nome ideal, doce e sonoro,
Dos amados que a vida exilou para além.

Seu olhar lembra o olhar de alguma estátua antiga,
E sua voz longínqua, e calma, e grave, tem
Certa inflexão de emudecida voz amiga.

Nota: Tradução de Guilherme de Almeida

1 compartilhamento
Inserida por agf