Gil Nunes: Deixe O Amor... Deixe o amor invadir sua...

Deixe O Amor...

Deixe o amor invadir sua alma. Deixe o amor invadir seus sentimentos. Deixe o amor invadir sua corrente sanguínea. Deixe o amor invadir o som da sua voz. Deixe o amor invadir o seu olhar de perto e o seu olhar de longe. Deixe o amor ser mais forte do que o veneno da falta que o amor faz. Deixe o amor escorregar pelos cantos dos seus lábios por ter escapado um lindo, um belo sorriso. Deixe o amor lhe dar ou lhe tirar o juízo. Deixe o amor satisfazer os desejos mais sublimes, simples, inocentes, ainda que, aparentemente, visualize-se supostos prejuízos. Deixe o amor dizer que sim. Deixe o amor dizer que não. Deixe o amor surpreender. Deixe o amor se precaver. Deixe o amor pular de alegria. Deixe o amor entrar e sair no seu dia a dia. Deixe o amor lhe ensinar. Deixe o amor lhe orientar.
Deixe o amor ser maior que tudo e que todos. Deixe o amor prevalecer. Deixe o amor lhe incentivar. Não deixe o amor morrer. Deixe o amor lhe enfeitar. Deixe o amor estabelecer. Deixe o amor enfatizar. Deixe o amor espairecer. Deixe o amor brincar. Deixe o amor se esconder. Deixe o amor ficar. Deixe o amor aparecer. Deixe o amor mudar. Deixe o amor amanhecer. Deixe o amor enxergar. Deixe o amor não esquecer. Deixe o amor beijar. Deixe o amor aquecer. Deixe o amor lhe entregar. Deixe o amor lhe devolver. Deixe o amor lhe encontrar. Deixe o amor se condoer. Deixe o amor chorar. Deixe o amor se conceber. Deixe o amor olhar. Deixe o amor se ver. Deixe o amor sentimentalizar.
Deixe o amor socorrer. Deixe o amor tocar. Deixe o amor se compadecer. Deixe o amor entrar. Deixe o amor correr. Deixe o amor se alimentar. Deixe o amor ser. Deixe o amor andar. Deixe o amor viver. Deixe o amor saciar. Deixe o amor conter. Deixe o amor se expressar. Deixe o amor mover. Deixe o amor suavizar. Deixe o amor engrandecer. Deixe o amor falar. Deixe o amor ouvir e ouvir. Deixe o amor cantar. Deixe o amor sorrir. Deixe o amor poetizar. Deixe o amor assim, livre, solto, ele mesmo, puro. O amor, às vezes não fala, chora. Chora de alegria. Chora de dor. Chora de expectativa. Chora de horror. Chora de tristeza. Chora. Mas, ainda assim, é o amor.
O amor não é agressivo. O amor é compassivo, suave como a brisa. O amor é consciente, é tolerante, não é indeciso. Sentir o amor dentro do sentimento mais profundo é o mesmo que descobrir todas as riquezas do mundo. O amor é remédio. Quando existe o amor, tudo fica mais claro, mais visível, mais palpável, mais incrível. O amor é mistério, plenitude e incentivo. O amor é tudo, e, por vezes, confundido com nada. O amor não precisa de dinheiro, não precisa de carro, nem precisa de estrada. Vez que o amor é a riqueza, é o veículo e o meio pelo qual permanecemos sempre andando, parando ou andando novamente, indo ou vindo. O amor é meio de se dar, de se completar, de se transbordar e de crescer.
Deixe o amor tomar conta do seu sono, embalar os seus sonhos e lhe direcionar o caminho. Deixe o amor ser o motivo pelo qual você corta o cabelo, toma um banho ou quem sabe, rir sozinho. Não. O amor não vai morrer. O amor é mais forte. O amor é quem nos faz viver. O amor é o beijo e o abraço mais que necessário na hora certa. Na melhor hora ou na hora precária. O amor faz carinho. O amor faz careta. O amor sensibiliza-se. O amor é espoleta. O amor brinca, conta piada, está sempre em movimento, ele é uma beleza. Viva o amor. Não mate o amor. Não julgue o amor.
Você precisa do amor. Não meça o amor. Vislumbre o amor. O amor não pode ter tamanho limitado a isto ou aquilo. Afinal, o amor é o amor. Ele é maior. Maior que eu. Maior que você. Maior que ele. Maior que eles. Maior que o mundo inteiro. O amor precisa estar em todo lugar. Precisamos precisar do amor. Amor! Onde está você? Amor não me deixe. Amor venha me aquecer. Amor não fuja nunca de mim. Amor me faça entender. Amor por você até sofro. Por amor fica fácil compadecer. Não. O amor não é cego. Ele enxerga muito bem. Cego é quem não enxerga o amor por ser ele diferente, por ser ele, como ninguém. O amor não é comum. Mas deveria ser. O amor é a tempestade, mas também, a bonança logo quando ele vem. O amor é confundido com doença, mas, e o remédio? Bem, o remédio, só ele é, o remédio só o amor é quem tem.
Ame! Pois, ao fecharem-se pela última vez as cortinas dos nossos olhos, não haverá mais tempo para amar e interagir diretamente com o amor, pelo amor e para o amor. Deixe o amor viver em você, deixe viver em mim, deixe o amor viver neles, deixe o amor viver nelas... E, em quem quiser também. Eu sei pouco sobre o amor, porém, desejo conhecê-lo dia a dia, mês a mês, ano a ano, enquanto eu viver. Esse amor, sim, ele, o amor, igualmente, acredite, por mais improvável que seja, por mais impossível que possa transparecer, sim, ele está, ele está, sim, ele está em você.

1 compartilhamento
Inserida por GilNunes