Nicolas Fragapanne: Esquartejado Sempre vou temer Andar...

Esquartejado

Sempre vou temer
Andar pelas esquinas
Nunca vou querer ver
Um arma assassina
Lá estava eu
No sofá, assistindo tv
Com o tempo mais do que longo
Foi quando meu pai me tirou do sofá
Abriu a porta de casa
E eu vi a sala do manicômio
Eu vi pessoas se matarem por dinheiro
Eu vi a manipulação passar por Maria
Eu vi o esquartejamento por inteiro
Eu vi a liberdade sendo trocada por mentiras
Perdi a pureza de estar na inocência
Comi o fruto do conhecimento e do perigo
Fiz tudo o que não me deixaram fazer em anos
Agora vou me matar estou de frente e decidido
Com certeza sua doação não muda uma vida
E quando você precisa de ajuda
Quem vem te por para cima
Será que você não foge da luta?
Nada disso altera o clima, cadê a alto estima
Voltei para minha casa
Com aquele encontro, e aquele lance
De que vivo em um pais de mar salgado
mas o banho é de sangue.
O que será do futuro
Se o nosso presente é viver o passado
O destino se aposentou
Não aguentou a pressão do trabalho

1 compartilhamento
Inserida por Fragapanne