Vilgete: Senhor, confesso que nunca pensei em ser...

Senhor, confesso que nunca pensei em ser professora, pois nas minhas veias corria um sangue que me impulsionava para uma outra direção, onde a criação em diversas linguagens artísticas, satisfazia ao ego da minha imaginação. Ahh... quanta saudade das exposições de pinturas e desenhos no clube da minha cidade... das minhas brincadeirinhas de teatro... das minhas letras e melodias, das criações das minhas poesias, inspiradas pelo lindo por do sol do meu sertão, assim como pelas maravilhas naturais do ambiente que cercava a minha infância em meio a serras e morros, cactos e flores que nascem coloridas e vibrantes até mesmo entre as pedras... Mas como viver de arte nesse país, onde a sobrevivência fala mais alto? Senhor, hoje eu reconheço e te agradeço, pela missão a mim predestinada , por ter-me mostrado, confiado e levado-me em seus braços até as salas de aula, por ser portadora para milhares de seres pensantes, a direção do reconhecimento das suas capacidades criativas. Confesso meu Senhor, que aprendi a amar essa profissão, que a mim foi dado o crédito. Sei senhor, que merecemos muito mais, mas estamos distantes da dignidade de direito. Entendo que, como em qualquer outra profissão, existem os bons e os maus condutores em suas áreas. Mas enquanto profissional que leva o entendimento do saber, procuro dar o melhor de mim, no exercício árduo e ao mesmo tempo gratificante de fazer a diferença com responsabilidade, infelizmente não jus ao salário que tanto rogamos, mas por amor a quem tanto prometemos engatilhar e transformar pessoas capazes de construir uma vida mais humana.

1 compartilhamento
Inserida por vilgete