Marcinha Babinsk: O filme! Não me perguntem o que foi???...

O filme!

Não me perguntem o que foi???
-Porque eu não saberei responder, só sei que foi por acaso que nos encontramos, ela me olhou, mas não me viu, eu a vi, mas não a fiquei olhando.
De repente sentamos no cinema uma ao lado da outra, estava sozinha, com um saco enorme de pipoca, mal podia enxergar a tela, tinha os cabelos anelados, mais curtos, usava um óculos como o meu, claro o filme era em 3D!
No início me senti incomodada, aquela mesma mulher que estacionou o carro ao lado do meu, que estava na fila comprando ingresso na minha frente, que sentava ao meu lado parecia que estava me perseguindo....
foi então que ela esbarrou seu braço na minha garrafinha de água e descemos juntas para pegar e um olhar estranho eu percebi. Um pedido sem graça de desculpas, duas palavras, não mais que isso...e o filme!
Quê filme????
Passei e nem me lembrar mais que estava no cinema, seu braço encostava no meu, eu ouvia sua respiração....e o filme? Nem sei que cena estava, se era ação ou terror, passei o filme inteiro sonhando o que falaria depois do filme:
- E aí gostou? Bom filme né?
Mas, se ela me perguntasse sobre alguma cena, algum personagem?
Falaria amenidades....aquela coisa do tipo também concordo, porque nem mais o nome do filme eu sabia...
ah! sabia sim, mas já tinha esquecido, porque uma mulher ao meu lado que eu nem conhecia estava "prendendo" mais minha atenção do que o filme...teve uma hora que ela olhou levemente pra mim, fez um pequeno comentário sobre o filme, sorri.
O que mais eu podia fazer?
Se nem filme eu estava assistindo....e passei uma hora e meia sonhando com essa desconhecida e amedrontada com a aproximação do fim do filme, enfim luzes acessas, olho sua mão: solteira, podia não ser!
Procuro rapidamente dentro da memória uma ou duas, talvez três palavras para conseguir me aproximar dela.
Logo nós que sentamos ao lado uma da outra, que estacionamos ao lado uma da outra, que vimos o mesmo filme, na mesma fileira...quantas afinidades, pensei.
Tomei coragem:
-Essa blusa é sua?Tinha uma blusa de frio largada na cadeira ao nosso lado
-Não. É sua, você chegou com ela. Ela me notou, pensei.
Despediu-se e nunca mais a vi, mas confesso foi o melhor filme que vi na minha vida.
( Marcinha Babinsk)

1 compartilhamento
Inserida por marcinhababinsk