Vilma Galvão: O carro que me transporta! Falar do meu...

O carro que me transporta!


Falar do meu carro, sempre foi motivo de risos em todos os lugares...
Ele até que não é feio, vou descreve-lo e vocês mesmo tiram as próprias conclusões:
É uma Caravan ano 79, cor marrom (pelo menos é essa cor que está no documento), um lado ainda parece ser a cor original,
do outro alguns esfolões, mas vamos deixar as feridinhas do carro para outra hora.
Ele é um carro potente...os mecânicos dizem que o que salva nele é o motor!
fico feliz quando ouço isso, penso que se eu tivesse que trocar o motor teria que vender o carro para pagar a troca.
Não tem setas, mas graças a Deus as pessoas entendem quando coloco a mão para fora e mostro onde vou virar...
Os faróis as vezes funcionam e as vezes falham...
a buzina ha muito tempo não escuto, a parte elétrica toda não funciona ha muitos anos...
Se estou correndo nem sei, pois não tem velocímetro...
Se a gasolina está acabando, também não sei, pois o marcador parou faz muito tempo...
O porta-luvas abre a cada lombada, e sempre o passageiro desavisado fica tentando fechar,até que eu fale para desistir...

O vidro do lado do passageiro não tem mais a carretilha que o faz subir e descer,
então coloquei uma chave de fenda para segura-lo sempre fechado,
essa solução já me salvou várias vezes quando esqueci a chave dentro do carro,
então é só ir até o vidro e forçar com a mão que ele desce para que eu coloque o braço
e destrave para abrir, mas me causa danos e atrasos também,
pois os desavisados retiram a chave para abrir e lá vai o vidro para o fundo da porta!...

não se assustem!, eu descolei toda a parte de forro da porta para esses desastres,
levanto o forro e pesco o vidro lá dentro e vou empurrando para cima até que posso pegá-lo e fechá-lo...
O acelerador arrebentou!, ficou só o pininho que só mesmo com sapatos dá pra dirigir,
um pino com menos de 1 cm que tenho que acertar entre as freadas e aceleradas que dou,
mas isso também resolvi: Coloquei o velho acelerador,
amarrei todinho com arame e coloquei uma bolinha de Durepox embaixo para ele não escorregar, e está assim até hoje!

E por falar em Durepox, essa santa mistura! Tem me servido muito, há dois anos houve um racho no escapamento,
bem no começo dele, então fazia um barulho infernal (para uma mulher, pois boyzinhos adoram esse barulho),
ninguém mais agüentava esse barulho, então resolvi tomar uma providência:
fui na loja de escapamentos e meu carro foi majestosamente erguido pela máquina
e os homens todos embaixo procurando o buraco, não encontraram nada, baixaram o carro,
e descobriram que o buraco estava no começo dele, menos mal, gastaria menos,
pois teria a opção de só trocar meio escapamento.

Quanto fica isso moço?...
50 Reais dona...
Muito caro, não tenho essa grana!
A senhora pode encontrar um escapamento ainda com meia vida no ferro velho!
E lá fui eu, mas todos que encontrei estava piores que o meu...

Então no supermercado encontrei a solução! DUREPOX!
Fiz a mistura, fiz uma bolinha e fui enchendo o buraquinho...mais ou menos uns 6 cm de racho...
Moldei bem, e após secar, enlacei um arame em volta para dar firmeza!...
Que maravilha!...ao acelerar, o barulho não existia mais, só um ronco legal típico da Caravan...fiquei feliz!

Comecei a rodar com ele, e aproveitando que não existia mais o barulho, resolvi pisar um pouco mais!
De repente, um cheiro fortíssimo!, nem sei de onde vinha, e quanto mais andava, mais o cheiro aumentava.
Parei o carro, e ele parecia estar pegando fogo,
mas não com cheiro de motor, e sim um cheiro de borracha e papel queimados...
Era o durepox que havia esquentado e exalado o cheiro...que horror!,
minha cabeça estava estourando de dor, de tanto respirar aquela queimação toda...

Mas a gente acaba se acostumando com tudo nesta vida, me acostumei ao cheiro,
a trocar o durepox pelo menos uma vez por mês,
porque ele acaba caindo quando fica muito cheio de óleo que o motor espirra do vazamento que tem já ha algum tempo
e que eu ainda não pude ver...

Bom, mas nem por ser um carro velho que posso descuidar da segurança dele,
e resolvi então, investir em pneus novos!,
ótimo, peguei logo 4 que estavam super em promoção! e parcelei em 6 vezes.

Ao acabar de colocar os pneus o carro foi para a alinharemento e balanceamento,
e lá descobriram que não podia fazer pois ele precisava de fazer a "cambagem"...
eu nunca havia ouvido esse nome,
mas soube que é um método de colocar o carro numa máquina em que as 4 rodas são colocadas no eixo.

Quanto custa moço?
65 reais dona!
Muito caro, não tem um jeito de fazer mais em conta?
Não fazemos aqui, a Senhora tem que levar em outro lugar para fazer,
e após fazer, volte aqui para ganhar o alinhamento e o balanceamento que fazem parte da promoção...

Saí de lá contente porque estava com os 4 pneus novos,
mas chateada porque a direção ainda jogava para o lado direito,
não sei porque ela sempre queria ir para a direita, e eu tentando puxá-la para o centro...

Naquela semana, fui ver a tal cambagem, não deu, muito caro, tinha as prestações dos pneus, e não daria para gastar aquilo...
Liguei para a loja de pneus para ver o que poderia acontecer se ficasse do jeito que estava...

Eles me disseram que pela roda estar um pouco fora do eixo, para dentro,
com o tempo iria comer somente a parte externa nos pneus da frente...
Diante disso, "com o tempo" pensei: Com o tempo eu faço a cambagem...

Não demorou nem um ano, e já sentia que de um lado os pneus já não eram zero,
aos pouco foram chegando na malha de metal, e todos os dias,
pelo menos 2 vezes ao dia, tinha que passar no posto e encher os dois da frente,
também me acostumei a fazer isso todos os dias...

Mas um dia não deu mais, o pneu estourou, e aí tive que correr atrás de algum...
Ganhei 2 com meia vida, (tinha mais vida do que os 4 meus juntos)...
fiquei feliz!...troquei e rodo com ele ainda, está quase na malha de metal de novo, mas com o tempo vejo isso!
Mas vamos a parte confortável do carro! Os bancos!

Velhinhos demais, os bancos começaram a soltar aqueles fiapos que ficam dentro dele, parece juta,
e enfiava na roupa da gente e era um Deus nos acuda pra tirar,
isso quando não me espetava em pleno trânsito e eu tinha que parar o carro para encontrar o fiapo e continuar dirigindo,
então cobri com um paninho o assento e assim fui levando...

O banco de trás também estavam se desfazendo, uma vergonha total!
Um dia passando em frente a um ferro velho, resolvi parar:
Tinha lá uma Caravam batida com os bancos lindinhos...
alguns furinhos apenas, de cor preta, as ferragens enferrujadas,
mas tudo bem! Comprei o conjunto de bancos por 50 reais, uma pechincha!
Fui pra minha casa e eu e meu irmão fomos colocar os bancos,
quando estávamos quase terminando, percebemos que os dois bancos da frente eram ímpares,
ou seja, eram dois bancos de motorista!...
Que chato ! para levantar o banco para alguém entrar no banco de trás,
só por dentro, e o motorista que tinha que abrir...
Mas amém!, pelo menos levantavam...

Tudo se acaba com o tempo...meus bancos "novos" também!...
quebraram a parte que levanta os bancos...
agora quem for ser transportado no banco de trás tem que fazer um leve exercício para entrar...
se for magrinho até que dá...

Segurança é tudo nesta vida!...os cintos então nem se fale!
Os meus eu dei um jeito de prender naquela alcinha que existe dentro do carro,
que acho que é para as pessoas segurarem lá no caso do motorista estar correndo muito,
nos passa uma segurança segurar ali...

Como a parte que prendia os cintos quebrou, eu amarrei os meus naquela alcinha, engano o guarda e me sinto segura!

O porta mala, está a vista de todos, levei o cachorro ao veterinário
e ele de tontura, vomitou no tapete, tive que tirar e até hoje não foi colocado de volta,
pois ninguém tinha estômago bom pra lavar os tapetes...
Deixa assim! Porque tapetes?...ninguém pisa lá mesmo!

Tapetes bons eram os da frente, os de borracha... estava furadinhos, enroscava os pés,
mas sobreviveu muito tempo, até que eu resolvi tira-los, para evitar acidente...

A Caravan já me deu muitos sustos, mas na maior parte do tempo é um carro bom...
Bebe um pouco demais, me leva quase à falência, mas fazer o que? é o carro que tenho!

Me dá alguns prejuízos, como foi o caso do Radiador, que praticamente estufou de tanta pressão,
e vazava água por todos os lados, e ra um tal de colocar água 3 vezes ao dia, e via escorrendo tudo,
andava um pouco e tinha que parar para colocar mais, mas isso também resolvi!

Mandei uma pessoa soldar o radiador todinho...
e nunca mais vazou nada, até esqueço dele as vezes,
só percebo que ele existe quando sinto aquele cheiro de motor queimando...
aí tenho que parar o carro e dar água para o coitado!

Acho que vocês já viram algum carro assim!, se não viram vou dar um conselho:
Tenham paciência quando estiverem no trânsito e depararem com algum carro assim, pensem:
A pessoa que está naquele carro pode ser uma pessoa como eu, que faz de tudo para deixar o carro andando,
mas as vezes é difícil para nós encontrar o pininho do acelerador, que talvez tenha caído.
É difícil suportar o cheiro de durepox queimado...
É difícil dirigir sendo espetada com os fiapos dos bancos...
Enfim...tenham paciência!
alguém está querendo um espaço na rua para se locomover com seu carro...
Aguardem a pessoa estacionarem, lembrem-se que nós do carro velho,
não temos direção hidráulica, que não temos setas, que nossos faróis as vezes não funcionam direito...

Tenham paciência com a gente!
E se encontrarem comigo em alguma rua e reconhecerem a minha Caravan, me acenem! não tenham vergonha!
Pois este é o carro que me transporta!!!


Crônica que fiz sobre a Caravan ano 79 que tive em Piracicaba por 6 anos
Acredite: Tudo acima citado foi verdadeiro.

1 compartilhamento
Inserida por vilmagalvao