Darlan Xavier: ÁGUA LIMPA Contam os antigos, que se...

ÁGUA LIMPA
Contam os antigos, que se podia tomar banho nas águas dos rios sem se preocupar com a leptospirose. Imaginem que maravilha.
Beber, lavar, cozinhar, tomar banho. Tudo isso era feito com as águas do rio, que de tão limpas, eram cristalinas. Era o ponto da fofoca. Às duas horas, todas as mulheres da comunidade se reunião na beira do rio para lavarem a vasilha do café e também claro, para colocar as fofocas em dia. (Essa não é nada nova).
Mamãe ia levar a louça, sua irmã lavava e outra enjugava. Que belo trabalho conjunto. Tudo muito lindo não é?
Agora, um choque de realidade. Nosso rio hoje é tão sujo, que quando pescamos nele, os peixes que pegamos tem lodo. Imaginem a situação. E muitos reclamam que não era pra ser assim. Mas eu digo que é assim, porque esses que reclamam não quiseram que fosse assim hoje. O agora é o ponto central da vida de muitos. O futuro, a Deus pertence. Mas nós é que construímos, e o que sofremos são as consequências de nossos atos impensados.
Seria tão bom se pudéssemos saciar a sede com a água de um rio, mas não podemos, pois estas já não servem para consumo humano.
Alguns irão dizer: ----“Olha ele nos dando lição de moral. Nunca fez nada que prejudicasse o meio ambiente”.
Claro que faço, todos os dias, e varias vezes, mas é por impulso, por costume. Agora e aqueles que batem veneno nas margens de rios, que fazem desvios, que desmatam. Esses sabem que estão fazendo a coisa errada por que não sentem vergonha na cara. Pois uma bomba de veneno pode ser trocada por uma hora de capina, ou até mesmo uma roçada, um desmatamento pode ser evitado, e o desvio. Para que mudar algo que a natureza criou.
Sou permanentemente contra as práticas que mudem a estética e a física de um lugar.
Agora, o governo vendo o prejuízo de todos com a crescente desvalorização do meio ambiente, criou várias leis e projetos que defendem a natureza. Por exemplo: deve-se conter em toda propriedade, vinte por cento de área de cobertura natural. Resumindo: deve ter vinte por cento de mata. Acho errado. Deveria ter oitenta por cento de mata e vinte de cultivo. Pois alguns não têm um pé de arvore sobre suas terras e também não se intimida com as leis vigentes que defendem essa prática. Tudo porque por vários anos, esses ficaram acomodados.
A água que eu bebo hoje e bombeada de uma cacimba, mas já houve tempos que minha mãe buscava água na fonte para cozinhar. Ela não reclamava. Hoje, se faltar água na torneira, ela dá um pití e logo começa a gritar e ficar estressada. Traduzindo: ficou acomodada, como tantos outros brasileiros, que se tiver que suprir suas necessidades com água da fonte ou rio, ficam loucos e é arriscado até morrerem de sede.
Há aqueles que nunca tiveram a sensação gostosa de tomar banho de rio. Eu, mesmo sabendo dos riscos, adoro me banhar nos rios do meu lugar, porque assim eu recordo de um tempo desconhecido por mim, onde se podia beber tranquilamente um gole de água de rio sem se preocupar em tomar junto com a água umas duas ml de agrotóxico, juntamente com uns dois gramas de coco, com mais um pouco de xixi, formando assim o que chamamos superfluamente de água.

1 compartilhamento
Inserida por darlanmm