Vítor Hugo S. Costa: Jornada Tudo começou no primeiro minuto...

Jornada

Tudo começou no primeiro minuto de dor
No momento que todo silêncio machucava
E antes da futura solidão, eu vi amor
Nas palavras que ninguém pronunciava.
E assim segui minha odisseia
Entre pontes aéreas
Para chegar ao fim de minha excursão
E inicio de um novo obstáculo,
Uma nova evolução.
Cheguei ao novo mundo,
Com minhas ambições,
Entre prédios, carros e construções,
De tanta ignorância me senti imundo.
Este Ulisses não é forte
E nem tem uma tripulação
Deixou seus companheiros ao norte,
Por sorte ainda tinha um coração.
Luta pela melhor instrução
Adquirindo cultura, conhecimento e poder
De não ser mais um número que você vê na TV.
Sua ignorância foi convertida em confiança
Seus sofrimentos cicatrizaram como experiência,
Tornou-se o homem letrado
Pelo qual tanto havia sonhado.
Mas, com sua sabedoria
Nasceu uma patologia,
Passou a perceber corrupção
E acentuado descaso
Para com aqueles que formam a nação
E parou de acreditar no acaso.
Então em meio a tanta intolerância
Um milagre aconteceu
Encontrou alguém que carregava a substancia
Que completava seu eu.
Renunciei em teu nome minha loucura
Figura ímpar, minha virgem pura
Que tanto me assusta.
A verdade é que quis tê-la e minhas mãos
Mas outro ganhou seu coração
E de ti fiz a mais bela amiga
Apenas para não perder o seu sorriso
O tesouro que tanto vim buscar
E de que tanto preciso.
Minha viagem não tem fim
Como pode ver continuo a escrevê-la
E luto para que no fim
Minha história não morra
E brilhe como uma estrela.

1 compartilhamento
Inserida por vitorap