Coleção pessoal de LucianeTonete

Encontrados 10 pensamentos na coleção de LucianeTonete

Holocausto

Abriu os braços e sorriu.
Levava na bagagem
Apenas seus sonhos.
Enfim, livre.

miniconto

Luciane Assunção Tonete
1 compartilhamento

Professor

Professor
É um eterno construtor
Não de prédio, nem de tecnologias...
Mas, de almas que sabem
O valor de um sorriso.
O professor liberta as mentes e corações
Aprisionados pela ignorância.
Professor...
É fonte.
É caminho.
É espelho...
É rio.
Que escava seu caminho pelas pedras...
Que luta pelo saber.
E como barco te conduz ao mar do conhecimento!
Professor...
É seta no horizonte.
É vocação.
Abnegação.
Só sabe o valor
Do professor
Quem passou
Pelo bando de escola...
E encontrou um amigo
Um companheiro...
Viu nele Inspiração.

Luciane Assunção Tonete
1 compartilhamento
Tags: professor poesia

Quando nos encontramos pela primeira vez, senti que era amor verdadeiro!

Luciane Assunção Tonete
1 compartilhamento

Despedida

Levantou-se. Tomou café. Beijou a esposa e saiu.Nunca mais voltou.
Miniconto:

Luciane Assunção Tonete
1 compartilhamento

O Encontro

Lágrimas rolam.
Um olhar.
Dois corações.
Mãe e filho se dão as mãos.

Luciane Assunção Tonete
1 compartilhamento

O último espetáculo


Estamos nos preparando para assistirmos ao mais esplendoroso
espetáculo.
Espetáculo que nunca fora visto... nem mesmo no teatro.
Homem!
Anjo ou demônio?!
Não sei.
Apenas serei poeta.
Ao descrever a última destruição.
Criação...
Descobertas miraculosas, desvendando os mistérios da natureza.
Anos e anos...
Sendo empregados na busca de vacinas para doenças...
Tecnologia para melhorar a vida do povo...
Salvando-os das possíveis tragédias naturais.
O homem agindo com muita destreza.
Reinvenção.
Guerras e destruição.
Bombas ceifando a vida de milhões em segundos.
Homem?
Anjo ou demônio?!
Não sei.
É apenas um ser cuja capacidade é inesgotável.
Tudo faz parte da imaginação.
De que adianta buscar novos conhecimentos no espaço sideral?
Se o estamos empregando de forma fatal.
Parece que estou vendo:
Armas nucleares projetadas, seus protótipos revendidos.
E a paz armada... tornou-se cada vez mais procurada.
É o que mais lucro rende!
Isto não me surpreende...
“O Fim”, é nosso caminho.
Total depredação...
Homem?
Anjo ou demônio?!
Não sei.
O ecossistema azul que nos envolve numa névoa vitalícia e
maravilhosa.
A cada dia que passa está sendo destruída.
O homem será um ser em extinção?
A humanidade será esquecida.
Justiça?
Talvez...
Só assim o Universo estará livre de todo o “mal”.
A paz reinará sem igual.
No espaço haverá um imenso vazio...
Onde antes existia o PLANETA AZUL.
E na poeira cósmica da explosão terráquea ressurgirá um novo
planeta.
E desta forma o fim se torna o começo.
E as cortinas encerrarão mais um Divino Espetáculo da Criação.
Homem?
Anjo ou demônio?!
Não sei.
Talvez um pouco dos dois.

Luciane Assunção Tonete
1 compartilhamento
Tags: meio ambiente

Libertação dos Escravos

No começo de nossa história.
Os senhores de engenho precisavam
De mãos fortes para trabalhar.
E por não poder os Índios capturar...
Os negros começaram a traficar.
Subjugando-os a condições
Miseráveis ou subumanas.
Eram forçados a trabalhar nos canaviais.
Os escravos por não
Mais suportar esta submissão.
Fizeram uma revolução.
Resolveram enfrentar os riscos
De virarem petiscos
De bravios cães...
Eles fugiam dos capitães.
Não tinham nenhum direito...
Até suas vidas tiravam, com efeito.
Eles não tinham nenhum respeito.
Os negros por não mais suportar os maus tratos.
Passaram a viver nos matos,
Viver ou morrer?
Já não tinha mais importância.
Não tinham nada a perder.
Buscavam a liberdade
A qualquer preço...
Uns aglomerados no interior!
Eram os quilombos...
Destes, o mais importante.
Foi o Quilombo dos Palmares.
Chefiado por Zumbi
Sobreviveu mais de 50 anos
Aos ataques portugueses e holandeses em 1630.
Mas, depois de Zumbi ter sido capturado e degolado.
Foi instinto pelos bandeirantes Paulistas
Liderado por Domingues Jorge Velho.
Zumbi foi colocado em praça pública
Para servir de lição.
Para que nenhum outro negro
Fosse capaz de se rebelar...
E sua liberdade buscar.
Porém, o desejo de ser liberto.
Era maior do que o temor.
Os negros continuaram a escapulir.
Sem que o capitão do mato deixasse de perseguir.
E quando os capturavam
A mando do governador da Bahia.
Eles tinham o F gravado a ferro.
F de fujão.
Isto quando não lhes impunha maior punição.
No entanto, obtiveram várias conquistas...
Que apesar de pequenas como:
Extinção do trafego negreiro
Lei do ventre livre
Lei do sexagenário.
Contribuíram para que mesmo tardia,
Fosse promulgada a “total” libertação.
Era 13 de maio de 1888
Quando a Regente do Império
Princesa Isabel assinou a Lei Áurea
Abolindo a servidão.
Esta promulgação
Foi vista como um ato digno e cristão.
Que rendeu a princesa o Título de Redentora,
Passando a ser chamada pela classe dos martirizados
De Protetora.
Eis a história...
De nossa triste memória...
A Escravidão.
Será que já acabou essa fase dolorosa?
Cento e vinte e quatro anos depois...
Existe ainda discriminação.
Entre brancos e negros há marginalização.
O homem precisa mudar sua conduta.
Ver o negro, o índio, o mulato e o branco como cidadão.

Acabando com a discriminação social.

Luciane Assunção Tonete
1 compartilhamento
Tags: poesia liberdade

Amanhecer



O despertar de cada dia

Traz em sim a semente da vida

Refazendo nossas energias

Transformando a dor sentida.



Em cada amanhecer...

Em cada novo despertar...
Há um embrião que nos impulsiona a avançar

Convidando-nos a crescer.

Luciane Assunção Tonete
1 compartilhamento

Mulher e o tempo


Desde menina
Adoro ler Cora Coralina
Em Cecília Meireles descobri o encanto de escrever com emoção.
Seja na alegria ou no pranto
Tudo pode ser inspiração.
Com Helena Kolody
Vi que na simplicidade
Cria-se a mais bela canção.
Seja Roseana Murray com seus versos ternos
A nos inspirar nas noites de inverno
Ou Tarcila do Amaral...
A nos desvendar nas artes um mundo sem igual
Não se pode esquecer
De mulheres que viveram à frente de seu tempo...
Como Chiquinha Gonzaga
Cuja a inspiração foi abençoada
Nas modinhas que escrevia.
Sua alma traduzia.
Em toda mulher
Há um desejo de vencer o tempo...
Ultrapassar o espaço.
Tornar-se imortal em cada filho que nascer.
Pois nada destrói esse laço.
Mulher...
Sublime expressão do Amor de Deus.

Luciane Assunção Tonete
4 compartilhamentos

Nhandeara

Nascida do bravo trabalho,
Na agricultura e criação do gado;
Terra de Nosso Senhor,
Tem um povo competente e lutador.

Cidade querida de praças floridas
Que marcam as vidas na infância brejeira.
Cidade em que a crença é uma força que existe...
E, a todos assiste da mesma maneira.

Cidade pequena, que tem, revoada
Soboreando a fachada da Igreja Matriz.
Cidade em que o povo não foge a batalha,
Que luta... Trabalha... Que cumpre o que diz!

Luciane Assunção Tonete
1 compartilhamento
Tags: nhandeara cidade