Coleção pessoal de HumbertoGebrim

1 - 20 do total de 36 pensamentos na coleção de HumbertoGebrim

A injustiça, por ínfima que seja a criatura vitimada, revolta-me, transmuda-me, incendeia-me, roubando-me a tranquilidade e a estima pela vida.

Rui Barbosa
131 compartilhamentos

Não me deixo envolver pelo o que os outros dizem, mas me envolvo em ações de pessoas que tenho como de bem e como líderes capazes de mudar a nossa realidade.

Humberto Gebrim
1 compartilhamento

Desonestidade intelectual é propagar mentiras sobre algo que se sabe não dizer o propagado. O Brasil tem muitos que são intelectualmente desonestos... Estamos pagando e vamos pagar ainda mais caro como consequência desse populismo mentiroso.
É muito fácil fingir que defende os interesses do povo.

Humberto Gebrim

E se eu usar o sofrimento do povo para me promover, não serei digno, nunca, de confiança. Sobre mim pesará a pecha do oportunismo.

Humberto Gebrim
1 compartilhamento

E mesmo que eu seja criticado e mal interpretado pelo que penso e por minha forma de agir, continuarei com meus ideais e como régua usarei sempre os meus princípios. É assim que sou!

Humberto Gebrim
2 compartilhamentos

Eu ofereço a minha amizade e gostaria muito de ter a sua... sou dependente de amigos e de amizades!

Humberto Gebrim
1 compartilhamento

Orçamento não é desculpa. A falha está em entender e planejar.

O Brasil dos últimos anos tem mostrado uma pujança arrecadatória jamais vista, no 1º semestre de 2013 a arrecadação somou R$ 543,9 bilhões.
Em Junho a arrecadação do governo – que inclui impostos, contribuições federais e demais receitas, como os royalties, somou R$ 85,6 bilhões, segundo números divulgados pela Secretaria da Receita Federal.
Os números da Receita Federal mostram a obtenção de um novo recorde de receitas no primeiro semestre deste ano, superando os R$ 527 bilhões de 2010.
Em termos nominais, a arrecadação cresceu R$ 35,43 bilhões de janeiro a junho deste ano, ou seja, sem a correção, pela inflação, dos valores arrecadados no mesmo período do ano passado. Deste modo, esse crescimento foi contabilizado com base no que efetivamente ingressou nos cofres da União.
Analisando os números podemos verificar de forma clara que Orçamento não é desculpa para a falta de investimentos em áreas básicas com Educação, Saúde e Mobilidade Urbana, apesar do PIB em queda, da inflação em alta, o Governo continua arrecadando, e bem. Em um cenário que mostra recursos chegando ao “Caixa Governamental”, só há uma análise a ser feita diante da omissão: Estão falhando! Governo e Gestores estão falhando na análise que estão fazendo de tudo que anda acontecendo, estão falhando em entender a voz das ruas, a voz que clama por investimentos. Tão sério quanto a falha no entendimento é falha de Planejamento, o que é consequência da falta de entendimento, se não há uma boa análise, não há um planejamento adequado e não se atinge as prioridades apontadas pela população. Para ilustrar podemos lembrar do tal “plebiscito”, a voz das ruas não pediram plebiscito, pediram investimentos em áreas essenciais para o desenvolvimento do Brasil, fizeram a análise equivocada e fariam, se não fosse a escassez de tempo, um plebiscito que custaria cifras milionárias aos cofres públicos.
Se não falta orçamento, se a população já mostrou o caminho e mesmo assim tomam caminho inverso, afirmo que o que falta é leitura correta dos problemas e planejamento para responder de forma exata ao que foi pedido.
Ao contrário disto, ficaremos parados onde estamos.
Fiquemos atentos!

Humberto Gebrim
1 compartilhamento

O que leva o povo a reagir e ir às ruas.
O povo brasileiro é, de certa forma, muito passivo, aceita os fatos, assiste de camarote aos acontecimentos, ao acúmulo de escândalos de forma inerte e sem cobrar muitas explicações. Nossa gente não gosta muito de se envolver em movimentos e manifestações, somos, por natureza, pacíficos e passivos.
Sabendo que o povo brasileiro é assim por natureza, ficamos, a maioria, surpresos com as manifestações do último mês, o povo, de norte a sul, tomou conta das ruas, cada um ou cada grupo com uma reinvindicação diferente, todos tinham seus gritos de guerra, tentavam, a partir das ruas, mostrar suas, nossas, insatisfações, o motivador principal de tudo isso foi o aumento do preço das passagens de ónibus urbano nas maiores cidades brasileiras, mas sabemos que não foi apenas esse fato que levou toda essa multidão para a rua.
Há anos estamos esperando por uma resposta positiva de nossos governantes, queremos, precisamos, é urgente e necessário que sejam feitos investimentos em infraestrutura urbana, em saúde pública, Educação, saneamento, segurança, meio ambiente e outros mais. Queremos ver reformas saírem do papel, aguardamos há muito tempo pela reforma política, pela reforma tributária. Há muito esperamos por uma economia mais consistente e, ao contrário, estamos vendo a volta da inflação, aumento dos índices de desemprego, crescimento lento e sem consistência.
Não tem vandalismo, não há nenhuma bagunça acontecendo, é simples, o que está levando o povo a reagir e ir às ruas são todas as insatisfações e decepções juntas, “queremos que tudo mude para melhor”, esse é o grito geral, cada cidadão está, nas manifestações, gritando por um motivo, carregando uma bandeira, mas é o conjunto da obra que está nos levando a exercer de forma mais efetiva o nosso direito/dever de ser cidadão.
É isso!
Vamos continuar gritando pelos nossos direitos.

Humberto Gebrim
1 compartilhamento

As “PEC`s 33, 37 e o controle social da Mídia” fazem parte da tão sonhada “Revolução Bolivariana”, termo criado pelo falecido presidente da Venezuela, Hugo Chávez, para designar as mudanças políticas, econômicas e sociais iniciadas com seu acesso ao governo. A revolução está baseada, segundo Chávez, no ideário do libertador Simón Bolívar (apesar das ideias liberais deste, o que muitos consideram uma contradição) e tem como objetivo chegar a um novo socialismo. Segundo o historiador Alberto Garrido, autor de 12 livros sobre o assunto, a Revolução Bolivariana mistura elementos históricos e políticos de diferentes épocas, tentando conciliar uma democracia participativa com um partido civil-militar de esquerda. Ele afirma também, que as grandes inspirações da ideologia de Hugo Chávez são o bolivariano Douglas Bravo, o peronista de esquerda Norberto Ceresole e o cubano Fidel Castro. O projeto bolivariano prevê controle sobre o Judiciário e o Ministério Público, controle social da mídia e outras ações antidemocráticas que o PT e seus adeptos já tinham preparado para enfiar goela abaixo dos brasileiros com o apoio do PMDB e de mais um bando de partidos nanicos de aluguel.
Os comunistas sempre agem assim. Eles utilizam a democracia para acabar com a democracia!

Humberto Gebrim
1 compartilhamento

Quero falar a todos desse mundão virtual sobre o meu posicionamento diante de tudo e todas as manifestações que vem acontecendo. Gostaria de deixar bem claro que não sou reacionário, que não sou contra as posições ou ideal de A, B ou C, que não condeno nenhuma posição divergente das minhas. Eu sou mais um brasileiro indignado com todas as novelas, com seus longos capítulos, às quais o povo brasileiro, nós, estamos assistindo nos últimos anos no que se refere à política e aos políticos. Então o que faço é apenas dar a minha opinião, tento participar da melhor forma que posso, tenho hábito de afirmar que não sou dono da verdade e não pretendo ser, essa afirmação é de alma e coração, não tenho todas as soluções e o remédio para todas as pestes, mas por que não participar? Acredito ter o direito, mais que o direito o dever, de participar.
Que possamos um dia ser ouvidos.

Humberto Gebrim
1 compartilhamento

Caminhar é preciso, prestar muita atenção nos passos que estamos dando é prudente, saber aonde se quer chegar é indispensável.
Tenham todos uma boa noite e um ótimo final de semana.
Deus nos abençoe.

Humberto Gebrim
1 compartilhamento

Quando as injustiças sociais atingem o clímax e a indiferença dos governantes pelo povo que estorcega nas amarras das necessidades diárias, sob o açodar dos conflitos íntimos e do sofrimento que se generaliza, nas culturas democráticas, as massas correm às ruas e às praças das cidades para apresentar o seu clamor, para exigir respeito, para que sejam cumpridas as promessas eleitoreiras que lhe foram feitas...
Já não é mais possível amordaçar as pessoas, oprimindo-as e ameaçando-as com os instrumentos da agressividade policial e da indiferença pelas suas dores.
O ser humano da atualidade encontra-se inquieto em toda parte, recorrendo ao direito de ser respeitado e de ter ensejo de viver com o mínimo de dignidade.
Não há mais lugar na cultura moderna, para o absurdo de governos arbitrários, nem da aplicação dos recursos que são arrancados do povo para extravagâncias disfarçadas de necessárias, enquanto a educação, a saúde, o trabalho são escassos ou colocados em plano inferior.
A utilização de estatísticas falsas, adaptadas aos interesses dos administradores, não consegue aplacar a fome, iluminar a ignorância, auxiliar na libertação das doenças, ampliar o leque de trabalho digno em vez do assistencialismo que mascara os sofrimentos e abre espaço para o clamor que hoje explode no País e em diversas cidades do mundo.
É lamentável, porém, que pessoas inescrupulosas, arruaceiras, que vivem a soldo da anarquia e do desrespeito, aproveitem-se desses nobres movimentos e os transformem em festival de destruição.
Que, para esses inconsequentes, sejam aplicadas as corrigendas previstas pelas leis, mas que se preservem os direitos do cidadão para reclamar justiça e apoio nas suas reivindicações.
O povo, quando clama em sofrimento, não silencia sua voz, senão quando atendidas as suas justas reivindicações. Nesse sentido, cabe aos jovens, os cidadãos do futuro, a iniciativa de invectivar contra as infames condutas... porém, em ordem e em paz.

Divaldo Franco
5 compartilhamentos

Eu vi!
Não vou fazer de conta que não vi; eu vi tudo, acompanhei tudo, ouvi diversos comentários. Com meus olhos vi cenas e mais cenas, a maioria do movimento foi bonito, o povo nas ruas, manifestando, mostrando para todos a pauta de assuntos que nos “incomodam” na conjuntura atual. Muitos se intitulavam “Filhos da Revolução”, os movimentos #Vemprarua e #Ogiganteacordou eram os mais representados em cartazes, faixas e também nos gritos de ordem da multidão. O povo brasileiro de fato acordou, “ainda nos falta ORDEM, mas estamos em PROGRESSO”, como isso tudo me transmitiu orgulho, que sensação maravilhosa... tudo seria perfeito se não fosse... se não fosse a BADERNA e os BADERNEIROS; Pelo amor de Deus! Essas pessoas querem acabar com o significado do movimento, “Ah! Mas temos que quebrar, colocar fogo, apenas assim os políticos sentirão, terão que gastar dinheiro!”, para com isso retardados, vocês estão é dando discurso e mídia para a defesa contra os manifestos. Tem mais cambada de arruaceiros, tudo que é público e é destruído, das duas uma: Ou ficaremos sem os serviços ou dinheiro público (nosso) será usado para restabelecer o serviço ou serviços.
Então quero fazer um apelo: Por favor pessoas de bem e do bem, vamos continuar as manifestações, vamos cobrar os direitos e o cumprimento de deveres. Quanto aos moleques, vamos, na medida do possível, ignorá-los, mais ainda, durante os eventos se começarem a se articular perto de qualquer um de nós, vamos entrega-los para as autoridades.
NÓS QUEREMOS É RECONSTRUIR O BRASIL E NÃO ACABAR DE DESTRUÍ-LO.
Obrigado a todos aqueles que em paz e em ordem estão defendendo os nossos direitos.
PALMAS!!!

Humberto Gebrim
1 compartilhamento
Tags: manifestações 2013

Compreendi que para ser feliz basta querer...
Aprendi que o tempo cura,
Que a mágoa passa,
Que a decepção não mata,
Que o hoje é reflexo de ontem...
Compreendi que podemos chorar sem derramar lágrimas,
Que os verdadeiros amigos permanecem,
Que a dor fortalece,
Que vencer engrandece...
Aprendi que sonhar não é fantasiar,
Que a beleza não está no que vemos e sim no que sentimos,
Que o valor está na conquista...
Compreendi que as palavras têm força,
Que fazer é melhor do que falar,
Que o olhar não mente,
Que viver é aprender com os erros...
Aprendi que tudo depende da vontade...
Que o melhor é ser nós mesmos...
Que o segredo da vida é VIVER!

Desconhecido
350 compartilhamentos

Tudo que querem os corruptos é que briguemos, que nossas diferenças de pensamentos (muito normal) sejam desnudadas para que, em total discordância, percamos o foco e passemos a ataques mútuos e improdutivos, com isso a manifestação morre e as coisas continuam da forma que estão.
Vamos para e pensar?

Humberto Gebrim
1 compartilhamento

OS HERÓIS SEM CAUSA E A GENERALIZAÇÃO CRIMINOSA.

Temos assistido, muitos participado, um grande número de manifestações Brasil afora, palavras de ordem são gritadas, o grito contido em nossas gargantas por muitos anos é colocado definitivamente para fora #Ogiganteacordou , pessoas de todas as classes sociais, de todas as idades (maioria são jovens, lógico), de correntes ideológicas e/ou políticas distintas. Muito bom! Muito bom mesmo, temos que aprender a ir às ruas, cobrar direitos, exigir cumprimento de deveres, temos que ser “cidadãos de fato”.
Diante de tudo de espetacular que tem acontecido, algumas “ações” me incomodam: A depredação de bens públicos e/ou privados; As agressões físicas de parte a parte. Mas tem um fato que me incomoda muito, a existência de Heróis sem causa, pessoas que querem apenas a baderna, que não sabem com o que estão lidando, não tem bandeiras e saem gritando e generalizando (Será que estão surgindo novos Lindberg Farias? Cara pintada), nesse momento temos que ter cabeça fria, no lugar, não extrapolar os limites do “eu cidadão” para não sairmos do foco e perdermos a razão.
O momento é do Brasil, a mudança tem que ser pra valer, principalmente a mudança de comportamento. Ser cidadão, cobrar direitos e exigir cumprimento de deveres exige que eu também cumpra os meus (deveres) e manda a boa conduta, e principalmente a Lei, que não saiamos atirando acusações a torta e à direita, podemos responder por isso.
Vamos em frente!
Chegou a hora de mudarmos tudo, vamos exigir respeito e para isso vamos dar o respeito.

Humberto Gebrim
1 compartilhamento
Tags: manifestação popular

Qualquer pessoa que se preocupe com o seu próximo, que sofra com o sofrimento dos semelhantes gostaria de ter a fórmula para acabar com as agonias que insistem em fazer com que pessoas percam a vontade de viver ou passem a entender que a vida não tem mais sentido. Como eu disse: Qualquer pessoa que se preocupe! Eu também gostaria de ter essa fórmula, não a tenho. Não sou e não tenho a pretensão de ser dono da verdade, mas penso e pensando, indago-me: Por que soluções simples e com efeitos certos não são aplicadas em favor do Brasil e do povo Brasileiro? Estou dizendo tudo isso, fazendo observações e indagações, porque acompanho as decisões dos governos de minha Cidade, de meu Estado e do meu País. Acompanhando vi, em 1996, ser votada, aprovada e sancionada a Lei Complementar Nº.: 87, de 13 de setembro daquele ano, a chamada Lei Kandir. A norma legal dispõe sobre o imposto dos Estados e do Distrito Federal sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre prestações de serviços de transporte interestadual e intermunicipal e de comunicação, a mesma traz a seguinte redação em seu artigo 32, inciso I:

”Art. 32 – A partir da data de publicação desta Lei Complementar:

I – o imposto não incidirá sobre operações que destinem ao exterior mercadorias, inclusive produtos primários e produtos industrializados semi-elaborados, bem como sobre prestações de serviços para o exterior;”

Muito bem, foi importante a criação desse dispositivo legal para que o Brasil pudesse abrir mais áreas de produção agrícola, principalmente no Campo e no Cerrado. Eu disse: Foi importante! Não o é mais, não porque está hoje incentivando o envio de matéria prima para ser industrializada em outros países, principalmente na China, a custo zero para quem exporta, não gera divisas, renda e não agrega o maior de todos os valores ao produto exportado, que é o EMPREGO.

É urgente, é necessária a revisão, a reavaliação dos efeitos do Artigo 32, inciso I, da Lei Complementar Nº.: 87, na atual conjuntura econômica do País. Acredito que existem vários caminhos que possam corrigir essa distorção. Eu proponho que sejam sobre-taxadas as exportações de matéria prima, que o Governo subsidie a produção, garantindo a comercialização e que se retire qualquer tipo de imposto sobre as exportações de produtos industrializados. Mais ainda, proponho que seja normatizado e colocado em prática a redução em 50% do custo social da mão de obra para todas as novas empresas que se instalarem e industrializarem em nosso território. Eu acredito que podemos evoluir.

É isso!

Que sejamos nós a escrever a nossa história.

Humberto Gebrim
1 compartilhamento
Tags: desenvolvimento

A possibilidade de autodeterminação nos torna plenamente responsáveis por nosso destino. Devemos estar conscientes de que nosso amanha é o resultado do nosso modo de pensar hoje.

Luci Laura
1 compartilhamento

O momento do Brasil é delicado, economia em baixa, inflação em alta, corrupção à torta e às avessas.
O momento do Brasil é de mudança de atitude, o povo sai às ruas, cobra direitos, levanta a voz em defesa de todos nós; Povo.
O momento é do Brasil. Brasil que quer ser Nação; Brasil que quer crescer e desenvolver; Brasil que precisa, quer e exige serviços públicos de qualidade. Agora é o momento do povo brasileiro, estamos nos levantando e nos agigantando diante de tudo que consideramos errado. Vamos Brasil! A missão é nossa, somos nós responsáveis pelo nosso presente e seremos nós os grandes responsáveis pelo futuro melhor que queremos.
Palmas Brasil!

Humberto Gebrim
1 compartilhamento
Tags: crise política

A vida é um presente que deus nos deu.
Fabricou-a com fé, embrulhou-a com amor e enfeitou com um laço de esperança...

Luci Laura
1 compartilhamento