Coleção pessoal de escritorcampos

Encontrados 14 pensamentos na coleção de escritorcampos

A vida, você e finalmente o horizonte
Jbcampos

Há muito tempo você se foi deixando um gosto de tristeza em minha mesa. Todos os santos dias você reunia a família em alegria de real beleza. Depois de tantos anos você permanece em meus planos de realeza. Você é a rainha, eu, o plebeu a cuidar dos nossos príncipes e princesas. No monte distante olhando ao horizonte desnorteado e estonteante vejo a sua bela imagem por entre as serragens com o amarfanhado vestido conjugado àquele avental puído a aumentar a minha ilusão daquela visão de dante. João, o almoço está posto, chame as crianças para lavarem as mãos. Torço o pescoço, mas nada diviso; estou à só esboçando um sorriso boçal, displicente, e sem sal, quiçá, doentio e louco vadio a procurar por juízo. Nada daquela alegria voltará um dia. Restou apenas a ilusão da minha ofuscada visão. Impregnada n’alma do meu frágil ser selvagem e flechado coração. É culpa qual se inculca pelo antigo cupido desta situação.

São partículas de suas visões.

O Clarim da Paz

jbcampos
1 compartilhamento
Tags: coração pensamento

Estrada empoeirada da vida
jbcampos

Caro amigo-irmão; estamos na estrada poluída e empoeirada. Cruzes e encruzilhadas permeiam este chão. A vida cicatriza a própria ferida com o tratamento do tempo qual um barco que abarca amigos e supostos inimigos da gente. Porém, a consciência é inteligente o bastante para deter o bem, bem à frente de qualquer poluição. Sê forte mirando ao bom norte, haja vista nada mais do que a vida havida na morte qual é a própria vida. Doenças, feridas e a saúde fazendo parte da vida devida em seu ataúde à sorte por nós adquirida. Pobres mortais nos pedestais das vaidades estamos inseridos e em outros que tais. No fundo profundo de sonhos vívidos somos todos iguais. Depois disto tudo e do “sobretudo”, somos sortudos e sobretudo felizes e eternos imortais.

Em tudo, que haja a esperança como a própria verdade!

Luz & Vida

jbcampos
1 compartilhamento
Tags: inortais mortais

Aquela antiga prateleira de ferramentas
Jbcampos

Ei... João; cadê o serrote da sua mão? Papai deve estar atrás da prateleira, já que o seu Pereira o usou de primeira mão... Tá bem então... Dê-me um beijo e um abraço. E depois pegue-o, por favor, pois, tenho de serrar este tampo para pregá-lo sobre as pernas daquela mesa de dona Tereza. Que vida boa papai, estamos sempre juntos nos afazeres da lida já há 120 anos...

Como tempo passa ligeiro restando-nos os mesmos janeiros.

Luz & Vida

jbcampos
1 compartilhamento
Tags: papai amor

Seus lindos cabelos, que a neve do tempo marcou
Jbcampos

Seus lindos cabelos, que a neve do tempo marcou;
Meu sentimento apesar de esperar, jamais esperou.
O mais importante foi que adiante o amor continuou.
Em cada sulco, um rio de lágrimas que por ele escoou
Causador de dor e do nosso amor, você o enxugou.

Ninguém sente isto; por ser de foro íntimo, pelo qual você me intimou

O que se leva da vida da pessoa querida é o amor!
Tudo murcha na vida como a nossa vida murchou...
Porém, aos anjos dizemos amém, pois, fomos além
De tudo o que o empecilho a nós nos determinou.
Não fomos utensílios, qual praga alguém nos rogou.
Você a minha vida realmente marcou como ninguém.

Obrigado meu eterno amor!

Luz & Vida

jbcampos
2 compartilhamentos

Um dia maroto vem atrás do outro

Arrogante é a situação verbalizante.
Quando existe a humilhação falante.
Por déspotas selvagens e indômitos.
O mundo dá suas voltas constantes.
E o cão; volta-se ao próprio vômito.

escrtorcamposi
1 compartilhamento
Tags: http://escritorcampos.blogspot.com

A fé, sem sombra de dúvida é, a alavanca do sucesso!

Há dois mil anos, Jesus dizia: Tudo é possível àquele que crê, ainda que esteja morto viverá, então sabemos que, ela remove montanhas, dissipa nossos problemas, e faz verdadeiros milagres e, "contra fatos não há argumentos".
Por muito céptico que você possa ser jamais irá cometer o despautério de se achar uma pessoa hipócrita. Pelo simples fato de ter visto e ouvido pessoas dignas da sua mais íntima consideração, narrarem milagres recebidos por elas.
O exemplo da pessoa que vai até a clínica médica e de lá volta com um exame de ressonância magnética, registrando um câncer irreversível, quase a deixando em estado terminal. Bem, essa pessoa frequenta uma das milhares de religiões existentes no planeta e, pede com aquela fé que lhe é peculiar a sua cura divina a alguma divindade.
E, revigorada retorna ao médico, que novamente lhe faz outra tomografia, ou outra ressonância para apenas cumprir a sua obrigação profissional, já sabendo de antemão de que se trata e agora pasmo, atônito constata que a pessoa-paciente está plenamente livre do respectivo tumor maligno.
Então você pode! Pois, a sua fé pode realmente remover as montanhas de dificuldades existentes no seu caminho.
Atente a esse trinômio: Fé-amor-paz!

escritorcampos
1 compartilhamento
Tags: htp://escritorcampos.blogspot.com

A ODISSÉIA DE UM LUSITANO:

GAJO

Gajo olhando galhos,
Papagaios caçoando.
Gajo olhando de lado.
Aio, a enxada.
Papagaios em bando,
Vindo de banda,
Era uma banda,
Gajo apoiado,
Enxada quebrada,
Naquelas quebradas.
Roça roçando
Galhos no gajo.
Gajo coçando.
Ribanceira, rolando.
Risos e risos.
Olhos à espreita.
Odor de lírio.
Oh dor, delírio!
Condor pousando.
Com dor assolando.
A vida é estreita.
Comédia humana!
Com média, é humana!
Sem média, é profana!
Enxada quebrada.
Papagaios caçoando.
Nas águas afogando,
Que bobeira,
Era Nogueira.
Luta renhida,
Que se tira da vida.
Na vida há morte!
Na morte há vida!
Havida na sorte.
Dor doída!
Doida dor!
Riacho ribeira.
Cerne Nogueira,
Quebraste uma haste?
Um galho, rapaz...
Tem tantas nogueiras,
Tanto fez, tanto faz,
Entre tantas,
É mais uma que cai.

escritorcampos
1 compartilhamento
Tags: http://escritorcampos.blogspot.com

Quisera eu ter você constantemente

Eu, ego centrado,
Quisera abafar o meu pecado.
Espargir-me para os lados,
Onde moram os ateus.
Destilar simplicidade,
Apregoar a humildade.
Quisera eu, concentrado,
Espalhar-me todo em Deus.
Amar sem ser amado,
Conquistar sem ser notado.
Quisera eu, não cobrar nem ser cobrado.
A tudo olhar com olhar apaixonado.
Amar sem querer entender nada.
Sou, sei que sou, sem nada ser.
Fenômeno - réu - magistrado,
Um milagre, assim Deus-Pai me fez.
Alegria e dor resplandecem minha tez!
Descrever-me é complicado,
É como tê-lo ao meu lado.
Confunde-me, sou o amor que me amou.
Quiçá, amá-lo como Deus me tem amado.
Falei de amor, de ateu, falei de Deus,
Sou mais um, dizendo adeus.
Sem saber pra onde vou.
Sou igual, diferenciado,
Tantos planos, tantos fados.
Dispersos, pensamentos alados.
Verdade que mente ao crente e descrente.
Sou explicação da semente-gente,
Continuo um grão de mostarda,
Ínfimo, sendo abastado-bastardo.
Um bastão, gentil-gentio.
Vou além dos desafios.
Não me importa se sou livre, se sou nobre,
Cabeça, cauda, baioneta ou sabre.
Quieto, calado sem dar um pio.
No contexto sou quimera,
Que quisera ser achado,
Sou nuvem passageira,
Pelo sopro divino soprado.
Falo de coração:
Sou você - Oh. Meu irmão!
Por você mato meu ego
E, todo me entrego,
Na mais plena exaltação
Criador e criação.
Sem fazer acepção,
Mesmo que não mereça,
Espero que não se esqueça,
Sou você, amado irmão!
"Ser ou não ser, eis a questão"
Eis, a criação.
“To-be or not to-be”,
Isto é lá com “Shakespeare…”
Quando o time está ganhando,
“Nele não se mexe”.
Meu irmão não se entristeça,
Sê firme, não se avexe.
Quando falo de você,
Falo de mim,
Pretensioso-egocêntrico,
Amor sem fim.
Sou grato ao Pai-Eterno
Por você estar em mim.
Ou estarei em você,
Se assim o preferir.
É poeta-profeta
Ao descrever o indescritível,
Ao dizer o indizível,
Ao ver o invisível!

escritorcampos
1 compartilhamento
Tags: http://escritorcampos.blogspot.com

Você

Pequenina flor em botão, luz que descortina a menina pura de pés no chão. A malícia ainda não desvirginou o seu coração natural ao glorioso ato da procriação.
Por que desbragar o mundo pela imposição do desejo sem a conscientização. Marmelada e queijo também podem causar congestão. A grande verdade está em encher o planeta de gente sã e perneta, tanto que usam até proveta a promover a criação caótica para de­gradar mais ainda a população. O que se há de fazer se, quem manda é invisível, essa força ener­gética se faz cumprir dolorosa missão à nossa visão, a qual ninguém põe a mão.
Todas as ações partem da mente humana, porém, advindas de energias ocultas, impal­pá­veis, invisíveis, inodoras, sem existência, sem aparência, enfim, sem explicação. Po­rém, obedecida inexoravelmente.
Essa gente toda é você...

Você são dois

Suas atitudes vêm do mundo do além. Semimecânico às vezes você sabe, sem saber o que fez. Teleguiado por mãos poderosas à marionete nas mãos de deuses. Semiconsciente, ateu, às vezes crente em algum deus. A confirmar essa dualidade, você sou eu. Pode dife­rir da minha idade, meu biótipo, porém, com muita humildade a humanidade, sou eu. Você ainda não percebeu que seu pensamento é o verdadeiro mar de sua navegação, ti­rando-o da limi­tação. “Navegar é preciso” já disse o Pessoa. Mas, não fique remando à toa, contra a maré, seja uma pessoa boa. Por ele pode “navegar por mares nunca dantes na­vegado”, já disse Castro Alves, além da força humana com toda a distinção. Podem lhe tomar todos os seus bens, tudo o que já teve, ou que já tem, porém, seu pensamento não tem pra ninguém... A sua mente é maior que todos os universos. Navegue navegante er­rante.
jbcampos

escritor campos
1 compartilhamento
Tags: http://escritorcampos.blogspot.com

Cisma de Poeta

Certo dia, quando escrevia poemas, contos e poesias, cismei de fazer contas cá com meus botões. Pensando sobre crônicas e, ao me dar conta, narrava uma novela romanesca revestida de canções. A lauda ficou farta, e o texto ficou crônico. Ao desenrolar desse novelo, sem conseguir ser transparente vou seguindo sempre em frente a cosê-los com linha nobre e agulha de cristal numa panela de argila pobre qual a natureza enriqueceu. Já nem sei de que padeço se de minha alva cabeça, de dor de cotovelo, quiçá, água no joelho, ou de coração que esmaeceu... Continuarei com minhas estórias singelas como fiz antigamente servindo-me de espelho, sem plumas, diademas, ou métricas. Serei bem virtual. Falarei de gente fresca, empafiosa, morna, quente e mortal, e até da repelente. Crendo sempre no virtuosismo sideral, posto que a minha ideia fosse o filtro desse etéreo canal. Não há maior segredo quando noto em minha mente, e com a boca sorridente vendo dela escorrer o assunto previdente a jorrar pelos meus dedos. Às vezes fico pasmo dando a mão à palmatória, pois, poesia, conto, Crônica e outras fantasias cantam na mesma sintonia verdadeiras histórias de carnaval. Poetizar não está na simetria lógica da maioria, e sim no sentimento da minoria como dizem os cordéis pelas bocas santas de grandes menestréis. Crônica, romance, conto, novela e outras taramelas, fazem a distinção, porém, o que manda mesmo é o sentimento que vem do coração, portanto, deixemos de chorumela.


Assim falou o poeta.

Isto merece o meu aval.

Jbcampos

escritorcampos
1 compartilhamento
Tags: http://escritorcampos.blogspot.com

PARA VOCÊ PENSAR

A sua vida corre contra o tempo, sinto muito, lamento. Quantos anos tem agora, neste exato momento? Está no alvorecer da aurora, ou no crepuscular do evento? Já desvendou esses mistérios, ou espera por clemência? Pois é, meu irmão convém sair dessa dormência. Muitos amigos se findam, muitos irmãos se vão. Pois, somente o Tempo tem o verdadeiro tempo de mensurar toda a razão! Ele abaliza seus valores ao lhe mostrar o caminho. Porém, lhe faltam sabores da grande percepção escondida no escaninho do seu nobre coração. Pois, são muitos os amores da sua imaginação ao rufar dos tambores da sua velha oração. Porém, não se apoquente companhia não lhe falta, como você, sou eu, às vezes alegre crente, ora tristonho ateu, em baixa ou em alta, nascendo ou dizendo adeus. Quanto amigo já fez, e quantos já perdeu? Amigo é patrimônio, que há muito se rendeu, porém, aqueles que sobraram mostrar-lhe-ão os céus. Então seja idôneo deixando de andar ao léu. Ao olhar o firmamento pode ver a vastidão vendo a pequenez humana a cultivar a maldade de muita ingratidão. Guerras, mortandade, jorro de sangue nas mãos, e sem respeitar idades, mais que contravenção. Cadê seus amigos inocentes, de infância. E seus inimigos onde estão? Ah... Não sofre desse mal... Isso é muito bom. Pena que eles nasçam sem lhe dar o tom da miasmática ânsia a desgraçar-lhe a graça, infestando o seu quintal. Que o seu amor fale mais alto, erguendo a sua taça, o qual fé e paz entrelaçam desfazendo todo o mal no mais alto pedestal. Jamais lhe faltará abrigo de quem lhe dará perdão. Nos estertores da sorte terá o verdadeiro amor, pois, não lhe existirá a morte, tampouco, maior dor, sendo feliz aonde for.
Você é cosmopolita universal!
Apenas cremos na vida.

jbcampos

jbcampos
1 compartilhamento
Tags: http://escritorcampos.blogspot.com

A Vidraça
O saber é luz que não se traça. É tesouro virtual quanto à própria alma. É um bem, quando bem utilizado para trazer paz e calma a você e a quem mora ao lado, por pouco que se faça. Porém, vem o triste recado: Ele está sempre guardado deixando a mente estouvada e à mercê. Às vezes plenamente cega como se pode ver um bem embolorado. Jamais esquecido apesar de mofado, não servindo a nada, nem à ignorância que se carrega. É o desperdício de inerte vício. É mais que pecado.
Se você é dono de mesa farta com muitas iguarias, e com boa saúde para saboreá-las, muito bem, está fazendo bom uso de um tesouro. Porém, se não reúne essas qualidades, sinto muito em lhe dizer coisas nobres, pois, assim o faço com humildade: “Você, é mais um pobre“ a bem da verdade. A menos que possua aquele tesouro de mais idade chamado: Amor. Aí você é rico sobremaneira encerrando qualquer discussão de qualquer asneira e sem a menor qualidade.
Sabedoria guardada em prateleira merece um instante de atenção, quando se tem uma estante ao alcance da mão. Mais um tesouro guardado fora, para não dizer: jogado agora num lamacento chão. É pobreza de doer o coração. Continua pobre, meu irmão!
Veja este tesoura da vidraça, que a traça jamais traça, eis a lição: Atrás da vidraça onde somente a visão traspassa qualquer emoção, está a criança cheia de graça olhando aos pássaros na ensolarada praça. São os donos da natureza em sua esplêndida beleza. Agora, e você, pára para contemplar o que vê, ou o vê na tevê? Você precisa entender onde se acha a graça de se viver! Ela não está na parede, na copa, tampouco, na rede, está em você. Então é biliardário e generoso ao gastar o seu tesouro com o otário que não quer aprender. Fazer o que, povo é povo, você é você o rico que não se vê.
Parabéns, você é o mais forte candidato à felicidade.
jbcampos

jbcampos
1 compartilhamento

Olhares da consciência

Ao enxergardes vossos olhares alheios, e não mais julgardes os vossos bens, e sem maiores detalhes perdoardes a tudo e a todos, inclusive a vós mesmo, ou, se não o fizerdes por não mais sentirdes as ofensas... Parabéns, teríeis alcançado a felicidade sem causa, portanto, sem efeito. Venceríeis o maior de todos os inimigos: “Vosso Ego”. Chegaríeis à iluminação da bem-aventurança.

Congratulações

Jbcampos

escritorcampos
1 compartilhamento

Sol da Existência

O Amor é um foco de sublime luz, de encanto invisível, e de cor doirada. Pode até ser prosa, pois, há quem diga que Ele é rosa. Fluido, que a nós nos dá vida. Se assim não fosse, Ele não teria dito: “Na casa de meu Pai há muitas moradas, vou preparar-vos lugar”. Eis o Amor em feitio de sol da existência a nos iluminar os passos, sem marcas, sem traços, tampouco, espaços. Porém, com muita clemência. Apenas Amar é o que interessa para se encontrar com a felicidade.
Deus é Amor sem idade.
- Você sabe Amar o seu irmão?
- Ninguém sabe, haja compaixão...
Somente senti-lo é estar no paraíso! Mormente quando se sente desvencilhado de explicação de juízo. Amar sem motivo é ser capaz e preciso. Nada mais importa, pois, tudo se torna ínfimo na vastidão de sua eternidade de paz sem igual. Pena que, nada saibamos a seu respeito. Às vezes somos pegos pelos seus ardentes laivos aos quais estamos sujeitos. Como é gratificante sentir seus efeitos, pois, são tão saborosos como as migalhas caídas das fartas mesas do mais alto plano celestial. Ao se tentar descrever o indescritível fica-se embargado e com os olhos marejados de gratidão indizível. Alto astral! Essas lágrimas são antídotos à solidão que venha macular a mente tisnada pela distração qual fora desviada deste foco de luz chamado: Amor. Amar é sentir o silêncio, ouvir o farfalhar da natureza, o zunir dos ventos, sentir o frio, o calor, o momento, o gargalhar de uma criança, o conselho do humilde provecto. É ouvir a som da chuva após um radiante e ensolarado dia. É contemplar as ondas do mar marejando as estrelas do firmamento. É cantar por dentro ao ser discreto e onusto de alegria secreta. É contemplar os céus em noites de breu.
Transpô-lo ao papel é ousadia, pois, não se pode grafar o inexplicável, apenas sonhar em conhecê-lo já é viver com desvelo. Posto que fosse tese verdadeira: “Sonhar é viver”, e jamais pesadelo e lamento... É não ser ateu.
Então amemo-nos à maneira pela qual possamos entendê-lo, e sonhemos de: “Sonhar é viver”, sempre a mando do Amor verdadeiro, embora, sem conhecê-lo por inteiro.

Amar é a mais prazerosa e séria brincadeira de ser deus...

jbcampos

escritorcampos
1 compartilhamento
Tags: http://escritorcampos.blogspot.com