Coleção pessoal de beautyobsene

1 - 20 do total de 66 pensamentos na coleção de beautyobsene

Wade: "We're like two jigsaw pieces-weird curvy edges."
Vanessa: "Put them together and you can see the picture on top."

Pool, Dead.

I told him I was lost in this world and he smiled, because he was too. We were all lost somehow but we didn't care. We found each other in the chaos and now I just can't get his finger prints off my heart, or his touch of my skin.

NS

Making memories with you is my favorite thing to do.

NS

Set me on fire.
I want to burn for you.

k. azizian

In this most chaotic world his love stood as the one constant truth of my life.

Atticus

His smile stolen my heart from the stars.

NS

Hoje eu quero começar o dia dizendo que guardei todas as rosas que você me deu. Ainda consigo sentir o cheiro de cada uma se eu as procurar. Hoje eu quero dizer que cada uma dessas pétalas representa um pouquinho do que eu sinto por você, cada uma de um jeito diferente e singular. É pra fazer você entender que, como essas flores, todo esse sentimento vai permanecer vivo através do tempo. Pode transbordar. E pode ser guardado dentro de um livro, mas sempre vai nos preencher desse aroma gostoso.

CM

Acordar ao seu lado, esse eterno amanhecer por dentro, um sol interno tão aceso, essa alegria gratuita. E existe algo em nós que é tão recíproco, cúmplice e intenso. Dos nossos olhares que dizem tanto sobre tudo, silenciosamente. Um movimento de corpo que é tão ao encontro o tempo todo. Da compreensão e paciência a que nos dedicamos diariamente. E o amor que permeia tanta poesia, e a poesia que se entrega inteira pras palavras que querem dizer do abraço. Seu corpo tão moldado ao meu, natureza líquida de água e jarro. Você me conduzindo à fonte de todas as coisas, lá onde o desejo se origina. E nada míngua com o passar do tempo e mesmo acreditando não ter mais espaço, cresce, flui, se imensa clareando o que era escuro e frio.Cada vez mais e mais eu preciso dizer do amor. Dessa ternura delicada. Cada vez mais o amor sendo a melhor experiência. Cada vez mais eu percebendo que se nada no mundo é definitivo, nossa história eu sei perene. Uma primavera inaugurada a cada dia. E mesmo que nada possa ser eterno, mesmo que o "pra sempre" não exista, eu sei que vou seguir te amando, pelo menos, pelos próximos 99 invernos.

(E se ainda eu não consigo explicar você pra mim, eu simplesmente aceito e agradeço).

Marla de Queiroz
48 compartilhamentos

Vai parecer durona, vez em quando. Mas é menininha, vai por mim. Faça carinho na bochecha. Ela não irá resistir.

Hugo Rodrigues

Se ela continuar brigando é porque quer um beijo de desculpas, mas esqueceu como pedir. Ela desaprende a falar quando fica brava. Mas reparei nos olhos e nas mãos desesperadas. Vez em quando, cerra os lábios num biquinho protegendo seu orgulho de falar coisas bonitas. Até brigar com ela tem suas vantagens: nada melhor do que roubar beijos já meus.

Hugo Rodrigues

Me lembro de já ter lido em algum lugar que todo poeta, quando apaixonado, desaprende a usar as palavras. Não tenho a pretensão de me classificar como tal, mas apaixonada eu sou, sim. Passei a perceber que isso é uma condição permanente: o coração acelerado, as borboletas, que brincam de ciranda no meu estômago, a vontade de ter você no meu dia, na minha casa, no meu carro, na minha cama. Em mim!
E insisto em escrever, assim, mesmo sem poder rotular aquilo que nasce no peito, só pra deixar claro que teu nome está rabiscado junto ao meu numa árvore por aí, assim como suas marcas permanecem no meu pescoço, nas minhas costas, nos meus braços, na minha barriga... e em qualquer lugar onde sua língua já fez moradia.
E então, me pego contente às 16:47, por estar ao seu lado agora, olhando pra essa boca, esses olhos e esses braços que me envolvem e me embalam na certeza de que o nosso amanhã tem gostinho de amor.
Nós merecemos isso. Esse querer desenfreado que escapa pelos poros quando nossos corpos são um só. Esse amor que é nosso, que é a nossa cara e tem as nossas digitais. Por todos os momentos difíceis que passamos, o presente em que estamos é um verdadeiro presente.
É certo que "eu amo você" 'tá mais que exposto, assim, escancarado no meio de um tabuleiro, onde quem dá as cartas sabe que eu me apaixono todos os dias de manhã quando você, muito sutilmente, me vira do avesso com beijos e apertos, com mãos e braços, com sorrisos e mordidas.
Mas, então, thats it. Eu amo você. Completo, assim. Como uma "coisa" que bateu e ficou. Me completa. Me encanta e muda minha rotina. Muda meu guarda-roupas. Muda o canto da minha cama e da minha vida quando tenho você. E eu quero você. Muito!

CM
1 compartilhamento

Você não sabe, nem sonha, mas você acaba de zerar minha vida. Minha vida era vestir a armadura e relembrar com dor pela milésima vez todos os últimos podres de todas as pessoas podres que passaram ultimamente pela minha vida. Você acaba de zerar tudo. Com a parte mais quente das suas costas, com o seu medo de beijo na orelha e com o seu jeito de se desculpar por falar demais e balançar os pés, você acaba de me salvar. Este texto é pra te falar uma coisa boba. É pra te pedir que não tenha medo. Sabe esses textos que eu publico aqui falando bobagem? Sabe esses textos falando que eu sei disso e sei daquilo? Eu não sei de nada. Eu só queria ser salva das pedras, eu só queria aprender a pegar carona nas ondas. Eu só queria poder chegar em casa e ver tudo diferente. Ver tudo bonito. Ver tudo como de fato é. E você salvou minha vida. O mundo está lindo. Não tenha medo. Eu só queria que esta minha vontade de perdoar o mundo durasse. Hoje eu não odiei o Bradesco, a Vivo, meus pais, o IPTU, o motoqueiro que me manda ir mais para o lado, o cara que fala caipira, aquela garota que você sabe quem é. Hoje eu não odiei nada nem ninguém. Eu apenas fiquei lembrando, a cada segundo, que você se desesperou pra encontrar meu brinco de coração. Você quis encontrar meu coração pequenininho no escuro. E você encontrou. E você salvou meu dia, minha semana. E salvar meu dia já são zilhões de quilômetros. Você é meu herói. Não tenha medo deste texto. Não tenha medo da quantidade absurda de carinho que eu quero te fazer. Nem de eu ser assim e falar tudo na lata. Nem de eu não fazer charme quando simplesmente não tem como fazer. Nem de eu te beijar como se a gente tivesse acabado de descobrir o beijo. Nem de eu ter ido dormir com dor na alma o fim de semana inteiro por não saber o quanto posso te tocar. Não tenha medo de eu ser assim tão agora. Nem desse meu agora ser do tamanho do mundo. Eu estou tão cansada de assustar as pessoas. E de ser o máximo por tão pouco tempo. E de entregar tanta alma de bandeja pra tanta gente que não quer ou não sabe querer. Mas hoje eu não odeio nenhuma dessas pessoas. E hoje eu não me odeio. Hoje eu só fecho os olhos e lembro de você me pedindo sem graça para eu não deixar ninguém ocupar o lugar da minha canga. Tudo o que eu mais queria, por trás de todos esses meus textos tão modernos, sarcásticos e malandros, era de alguém que me pedisse para guardar o lugar. Tá guardado. O da canga e de todo o resto. (...) Hoje, depois de muito tempo, eu acordei e não me olhei no espelho. Eu não precisei confirmar se eu era bonita. Eu acordei tendo certeza. Não tenha medo. Eu sou só uma menina boba com medo da vida. Mas hoje eu não tenho medo de nada, eu apenas fecho os olhos e lembro de você me dando aquela flor, fazendo piada ruim às sete da manhã, me lendo no escuro mesmo com dor de cabeça. Eu posso sentir isso de novo. Que bom.
Achei que eu ia ser esperta pra sempre, mas para a minha grande alegria estou me sentindo uma idiota. Sabe o que eu fiz hoje? As pazes com o Bob Marley, com o Bob Dylan e até com o ovomaltine do Bob's. As pazes com os casais que se balançam abraçados enquanto não esperam nada, as pazes com as pessoas que não sabem ver o que eu vejo. E eu só vejo você me ensinando a dar estrela. Eu só vejo você enchendo minha vida de estrelas. Se você puder, não tenha medo. Eu sou só uma menina que voltou a ver estrelas. E que repete, sem medo e sem fim, a palavra estrela no mesmo parágrafo. Estrela, estrela, estrela. Zilhões de vezes.

Tati Bernardi
55 compartilhamentos

SOBRE TEMPESTADES E NOSSA NECESSIDADE DE SERENIDADE INTERIOR

Faz tempo li num texto que a nossa revolta dizia mais sobre nós que sobre os outros, sujeitos causadores da revolta. Não sei bem se concordo muito com isso.

Se a atitude de alguém me incomoda é a mim que incomoda. A pessoa, autora da ação, pode viver-muito-bem-sem-crises-obrigada, mas do outro lado, você, simplesmente, não. É a sua expectativa que gera o problema, não é sequer a ação da outra pessoa em si.

Eu sei que gente evoluída deve se libertar dessa vontade de controle das ações do outro, mesmo que por bondade, ética ou correção. Se alguém decide ser desonesto, egoísta ou sem escrúpulos, isto é escolha dessa pessoa, não é da gente. A gente não tem qualquer poder sobre isso.
Mas é que machuca, né? A sensação de impotência, a vontade de onipotência e de mudar os resultados que afetam tanto a gente.

Acho que já entendi que a revolta é um veneno que só envenena quem a sente. E, na maioria das vezes, não altera muita coisa.

Queria poder me resignar ao fato de que a consciência do outro pertence ao outro, não a qualquer pessoa que seja. De que é o outro o responsável pela ações que pratica, e que é ele mesmo que colherá lá na frente as consequências dessas mesmas ações. Mas é bem difícil não reagir. Diante da injustiça, diante da sacanagem, diante da ganância e do egoísmo. É bem difícil não sentir vontade de bater quando apanha.

E o fato é que não sei bem como agir ou o que fazer nesses casos... Não sei o que fazer com essa minha vontade de muitas vezes ficar brava e "pagar sapo", em alto e bom som, com a intenção quase infantil de que o outro "caia em si" e modifique a atitude.

Mas hoje, apesar de já conseguir rezar pela iluminação divina de tais sujeitos-causadores-de-revolta, eu ainda me indigno. Mesmo que eu, em consciência e em espírito, não queira mais não.

Elenita Rodrigues
1 compartilhamento

Todas as minhas limitações me desafiam. E eu sou teimosa, compro todas as brigas. E me reinvento quando não há mais nada de novo para se aproveitar.
Sou minha própria novidade quando o mundo decide se aceitar no que deixou de evoluir.

NS

Ela era uma menina. queria ser mais que uma menina sem saber que uma menina já era muita coisa pra ser. Bem, para ela nunca seria suficiente, não havia suficiente. Tinha sonhos tão altos quanto a música nos fones de ouvido. Sonhos materiais, emocionais e espirituais. Queria alcançar o nirvana, queria ir além dele!

Dentro de seus anseios moravam mais anseios que guardavam outros anseios. Era complexa, era desconexa, para, por fim, ser quase tão simples quanto um mais um. Era uma constante inconstante e a teimosia em suas veias não permitia que fosse diferente. Eventualmente, suas hipérboles eram curadas com alguns momentos de solidão. Era dessas pessoas que via beleza no escuro.

No inverno, se enclausurava numa prisão de cobertores e com as mãos frias e desprotegidas escrevia suas inquietações com qualquer lápis, em qualquer papel. Escreveu essas palavras numa madrugada de Julho, queria ser impessoal, então a terceira pessoa lhe pareceu uma boa opção.

Fracassou.

Terminou sem saber como começou e começou sem saber como terminaria. Algumas palavras ficaram presas em não sei onde, mas ela achou melhor deixar para o próximo inverno.

NS
1 compartilhamento

É intensa a vida de quem corre na chuva, sem desviar das poças d'água. É imprevisível, a vida de quem caminha sem medo de escorregar, de olhos fixos no horizonte, desatento às pedras no chão.
Os tombos viram cicatrizes e, em seus pontos recém costurados, se pode ler uma porção de coisas. E entre "não faça isso" e "faça aquilo", a gente passa a caminhar por estradas cada vez mais estreitas, quase claustrofóbicas. São tantas as lições que a vida nos dá, que, por vezes, vemos nosso mundo se restringir a minúsculos cubículos cercados por instransponíveis muralhas. Assim a gente pára de caminhar, e passamos a viver em um eterno ciclo repetitivo.
E é quando essa situação se transforma numa chaga insuportável, a gente apalpa as próprias costas e descobre que somos dotados de asas. Lá de cima, a gente pode acompanhar todos os caminhos que deixamos de percorrer, por medo de colecionar novas - e mais doloridas - cicatrizes. Tomados pelo arrependimento, descobrimos que nossa estrada não é de duas mãos.

Beeshop Johannes
7 compartilhamentos

Você diz que não precisa de ninguém pra ser feliz. Você diz que cansou de acreditar, e de se decepcionar. Você diz, inclusive, que procurar é pros românticos bestas, pros ingênuos e pros alienados. Você se esquece que te foram dados dois braços justamente para que você tenha como carregar o escudo e a espada. Então o que é que você faz com dois escudos? E por quê essa armadura envolve teu corpo, e esse muro envolve tua casa?
Saia para caminhar comigo e sinta o peso dos seus dois escudos. Tente equilibrar-se, lutando contra o forte vento que te quer levar com ele para onde quer que seja. Eu caminhei por tanto tempo com escudos iguais aos teus que, hoje, livre, meus passos são (des)cuidadosamente rápidos. Eu demorei, mas consegui me despir da armadura e me desprover dos escudos. Hoje eu aposto comigo mesmo quantos passos eu consigo dar com os olhos fechados. Isso me instiga. Na verdade, eu adoraria, de olhos fechados, me espatifar contra o teu muro. Já tentei uma vez, sim, aquela vez em que tomei uma rasteira. Mas vou tentar denovo e denovo, até que teu sono seja abruptamente interrompido pelo quebrar de meus ossos. E não vai ser só a sua armadura que eu vou tirar.

Beeshop Johannes
4 compartilhamentos

Melhor sorrir.
Lá fora o tempo voa!

onze:20

"Ombreiras vem e vão, mas uma melhor amiga é para sempre"

Gossip Girl
88 compartilhamentos

É que de certa forma, pensar em você me faz um bem absurdo. Não pelas coisas que você já fez por mim ou pelos sorrisos que me causa, mas só pelo fato de existir. Só pelo fato de estar aqui ou aí, não importa, você está e isso é o suficiente pra eu ficar feliz. Escrevo sorrindo porque é isso que causas, sorrisos involuntários, suspiros serenos e poesias em meu caderno surrado. Está pra nascer pessoa mais torta que eu, mas te confesso, em todas as minhas curvas há sempre um pouco de você.

Escriturias