Coleção pessoal de 1andreluz

1 - 20 do total de 79 pensamentos na coleção de 1andreluz

Sobre o fim

Quando o mundo acabar
Quero fazer um show em sua homenagem
E a quem quiser ouvir
Tocar até começar tudo de novo
E poder dançar logo de cara!

André Luz Gonçalves
1 compartilhamento

Brisa de cangote
Flutuar feito os pés do filho
Vir do Mar quando enverga
Não é Banzeiro do Rio
São as ondas da praia
Oceano das marés
Sobe e desce na lua certa

André Luz Gonçalves
1 compartilhamento
Tags: brisa cangote

até no jardim
a tragédia
flores e folhas mortas vivem lá
assombram a luz
com suas secas
desprendida solidão e liberdade
no outono dos galhos enraízes
esperança a lembrança do orvalho
sombra o sol passado
em ramas de um perfume antigo

André Luz Gonçalves
1 compartilhamento
Tags: jardim tragédia

Poesia é um flerte.

André Luz Gonçalves
1 compartilhamento
Tags: a-poesia-e-um-flerte frases

Comigo não levo cadeado
Nem sonho perdido
Não tem fato impossível
Tudo que sente se expande
Nu pensamento que tange
Não soul de vento,
venho e vou do tempo doutro levante
Onde lamento e versos
Eram brisas de errantes

André Luz Gonçalves
1 compartilhamento
Tags: poesia não-levo-cadeado

Asa da águia nos cubra feito casa
No Mundo do Samba
Que quando vai sua gente bamba
O Surdo quase mudo
Toca num ponto forte
Anunciando a morte
De uma vida de sorte
Tum de sambas
O silêncio vivo da Portela

André Luz Gonçalves
1 compartilhamento
Tags: portela andré-luz

Banzeiro

Poesia Amazônica
Parece prece
que enverdesse
Flertes da palavra mata
Onde as ruas são rios
Desse banzeiro
que me envolvo.

André Luz Gonçalves
1 compartilhamento
Tags: banzeiro poesia

praça o tempo
carrega a gente
feito uma balanço
nessa gangorra de par
o vento vem dançar

André Luz Gonçalves
1 compartilhamento
Tags: andré-luz poesia

Aonde você vai tem poesia?
Então leve!

André Luz Gonçalves
1 compartilhamento
Tags: andré-luz poesia

Ao poeta resta dar abrigo As almas no relento.

André Luz Gonçalves
1 compartilhamento
Tags: poeta abrigo

Orus

Te incluo em minhas rezas
Recluso em preces verso
Todo meu tom de quem sou som
Me levo
E agora que não virei Deus
e adoro contrario de qualquer desejo
Maligno-ro me
E a cada cerimônia
Que um poema cria
Faço me de um pequena oferenda
Compondo me em liturgias

André Luz Gonçalves
1 compartilhamento
Tags: andré-luz poesia

quando louco

puseram em mim um hospício
pessoas sãs
julga a imensidão
como indícios
sessões vãs
terapias
Agudos precipícios
em mim
em mil
toques míopes
medem 7 buracos minha cabeça
eletrificam cavas
odes a ironia
conselhos
pingo nágua
visto a vista
intercedo agonia
dando carinho
passarinho encanto
amago canto
então acho tudo
nem tanto...

André Luz Gonçalves
1 compartilhamento
Tags: poesia andré-luz

Dedos soltos

imprudentes cachos endoidados
me cegam macios
caindo no tato desse pescoço
onde me caibo

nesse todo louco
que por fim
desfaço de mim
nos seus laços despenteados

André Luz Gonçalves
1 compartilhamento
Tags: dedos soltos

Ela me serviu um café
Amargo e frio
Sem sorriso ou poema,
Disse que eu tinha partido
Não dividira o pão,
Nem me olham os tascos...
Um velho bolo insosso grudado
No céu da boca de pecados,
Sem doce, luz negra
Bom dia, tchau.

André Luz Gonçalves
1 compartilhamento
Tags: poema andré-luz

As vezes quase me lembro
os melhores poemas que cresci
eu feito uma arvore
Onde já caíram tantas folhas
que cresce do compasso
Um torto tronco
Num tomado de galhos
Toda hora em voga
fazendo sombra
outrora raios de luz
e de quase tudo
um esqueci
Quando me pousa um bem-te-ti

André Luz Gonçalves
1 compartilhamento
Tags: bem-te-vi esqueci

Travesseiros brancos
Macio feito suas coxas
Onde eu debrucei
e flutuei no dormir
Entre as nuvens do seu sonho

André Luz

André Luz Gonçalves
1 compartilhamento
Tags: poesia sonho

Capim de saudades

Comprei frutas frescas
Correndo rindo, me levei de criança
E espalhei tudo pelo seu jardim
Penduradas uma a uma em mim

E as suas flores todas que eu vi lá
Abriram se como se eu as deixasse
Num cair de cada pétala, feito plumas
Roçado fino na solidão de espinhos
Dançando no vento em num “polir” do chão
Feito pensamento que desmancha...

De maços vagos me catapulto em anseios lúdicos
Enrolados como fumo de raízes de amor puro

E aquelas cores todas de no seu pomar e as folhas soltas...
Foi-se no tempo tornando-as ocres, terra nova que pousava

E aquelas frutas-eu que eras pra te aguçar
E morder me suculenta em matar sua fome

E foi-se temporada...

E agora da varanda daqueles seus sorrisos
Alegrava se uma saudade feita de um casal na rede

Dessas paixões de boa tarde
Delicado tempo venta porta de trás

Até me invade porta a frente
Capim de saudades

André Luz Gonçalves
1 compartilhamento
Tags: poesia andré-luz

Soltos secam pingos ao vento...

André Luz Gonçalves
1 compartilhamento
Tags: soltos secam

Desalinho do meu simples caminho
Derrota sem dessiso
Delegado sombrio do meu brilho
Pretenso desafio rítmico, descontínuo

Maldito Senhor do Destino
Esmola meu querer
Leva feito vento sem tempo
Desaba uma sina sem graça ensina a farsa o cume da faca Suplico Senhor do Destino
Me deixe assim desde menino
Sou tanto amor que eu te ensino
Não faz pouco desse destemido
Apenas dai me o tempo desses sentidos

André Luz Gonçalves
1 compartilhamento

Mata a dor

Mato e faço borboletas das cinzas
Viro pó na fornalha do seu pensamento
Mato e espalho átomos pelos espaços
Criando novos agravos em um novo descompasso

Mato mesmo é a morte da palavra maldita
Essa navalha que raspa sua ternura
E aos poucos mata em mim o quase tudo que é desejo Sobrando dúbios poemas imperfeitos

André Luz Gonçalves
1 compartilhamento