William Shakespeare

William Shakespeare

Dramaturgo e poeta inglês
101 - 125 do total de 684 pensamentos de William Shakespeare

Sabemos o que somos, mas não sabemos o que poderemos ser.

William Shakespeare

Nota: Excerto da tragédia Hamlet.

Os covardes morrem várias vezes antes da sua morte, mas o homem corajoso experimenta a morte apenas uma vez.

William Shakespeare Júlio César (1599).

De todas as paixões baixas, o medo é a mais amaldiçoada.

Vivi muito tempo, e o caminho da minha vida perde-se nas folhas amarelas e secas.

Se todo o ano fosse de férias alegres, divertirmo-nos tornar-se-ia mais aborrecido do que trabalhar.

Quem me rouba a honra priva-me daquilo que não o enriquece e faz-me verdadeiramente pobre.

O amor não se vê com os olhos mas com o coração.

William Shakespeare

Nota: Trecho adaptado de "Sonho de uma Noite de Verão", de William Shakespeare.

O mau comportamento dos homens vive no bronze; as suas virtudes, nós as escrevemos sobre a água.

Todos podemos controlar a dor exceto aquele que a sente.

O talento revela-se exatamente porque esconde a sua perfeição.

Assim que nascemos, choramos por nos vermos neste imenso palco de loucos.

O homem que não tem a música dentro de si e que não se emociona com um concerto de doces acordes é capaz de traições, de conjuras e de rapinas.

Uma coisa bela persuade por si mesma, sem necessidade de um orador.

Com o engodo de uma mentira, pesca-se uma carpa de verdade.

Algumas dores são passíveis de cura.

Está bem pago quem está satisfeito.

Não basta apenas soerguer os fracos; devemos ampará-los depois.

Contrabalançar promessas com promessas é estar pesando o nada.

Entra no teu peito: bate, e pergunta a teu coração o que sabe ele.

William Shakespeare Medida por Medida (1623).

Antes do matrimônio tende os olhos abertos, no matrimônio, depois, fechem-nos um pouco.

Somos feitos da mesma matéria que nossos sonhos.

Há mais coisas entre o céu e a terra do que pode imaginar nossa vã filosofia.

A miséria habitua o homem a estranhos companheiros de cama.

A verdade nunca perde em ser confirmada.

William Shakespeare Péricles. São Paulo: Peixoto Neto, 2017.