Tamara Guglielmi

Encontrados 14 pensamentos de Tamara Guglielmi

Carta a um amigo.

esta carta será nosso segredo e fará parte de todo aquele enredo surreal que imediatamente descobrimos ao nos conhecermos, dos sonhos que subitamente compartilhamos, dos nossos encontros e desencontros, das nossas longas e prolixas conversas sobre a existência humana, por fim, da história que não iniciamos.
Traduzi-lo em um poema seria uma tarefa extremamente fácil, pois a sensibilidade que habita em você é inspiração suficiente para a composição de qualquer poesia, aliás, eu me atreveria em dizer, humildemente, que você é uma poesia em si, portanto, desconsidero totalmente desnecessária qualquer tipo de inspiração ou mesmo composição, por isso descarto os versos, descarto a poesia, simplesmente o defino a partir do meu olhar.

Definição

Olhar distante, mente delirante, desejo insaciável pelo desconhecido, loucura radiante, assim és tu, quando não estás contigo.
Por outrora, quando estás contigo, vejo os teus pés tocarem o chão. Então ouço palavras vindo de ti assimetricamente calculadas e atitudes mensuras pela razão, um medo inexplicável de amar brota da tua alma repentinamente e a possibilidade de se entregar a paixão é algo quase que incogitável, pois esta simples possibilidade subtrairia o "Tício" dele mesmo, em suma, não estarias contigo, o que te tornaria vulnerável frente a um mundo despido de segurança.
Se eu pudesse teceria asas bem firmes e lhe entregaria, para que quando tivesses totalmente entregue a incerteza voasse sem direção para despejar no vale da solidão toda aquela dor que aflige a tua alma por vezes.
Se possível fosse, eu vestiria o teu mundo de segurança, para que a simples possibilidade de se tornar vulnerável a ele não fosse razão suficiente e necessária para a negativa do amor.

2

Algum dia

Há uma canção que diz : Como os dias vão e vêem as noites eu ainda pergunto
porque você partiu. Eu quero saber como isso não deu certo. Mas você se foi e memórias são tudo que tenho
agora.. Mas tem uma parte que a canção se mostra totalmente otimista, ela diz: Mas isso não terminou, Nós vamos envelhecer, nós vamos superar, nós vamos viver para ver o dia que espero voltar para mim. Eu ainda acredito. Nós vamos conseguir novamente. Nós vamos voltar a viver de novo. Nós não vamos dizer outro adeus novamente. Você vai viver para sempre comigo. Algum dia, algum dia vamos estar juntos. Algum dia, algum dia vamos estar juntos. Eu ouço algum dia podendo ser hoje. Mistérios do destino são de algum modo e, por alguma razão, tudo que sabemos. Eles resultam o amanhã de hoje. Meus olhos estão abertos, meus braços estão levantados para o seu abraço, minhas mãos estão aqui para emendar
o que está partido, para sentir novamente o seu rosto. Eu creio que aí é mais para viver. Oh! Eu amo você muito mais que a vida e ainda acredito. Eu posso mudar sua memória, reviver o que por dentro está morto e algum dia, algum dia vamos estar juntos. Algum dia, algum dia vamos estar junto. Algum dia, algum dia vamos estar juntos. Vamos estar juntos. Vamos estar juntos. Algum dia
Enfim, eu citei não uma canção apenas, mas sim um tratado sobre a esperança, então, se algum dia você se apaixonar de verdade meu amigo e por um acaso esta pessoa partir, lembre-se que ainda que só restem memórias do que se foi, a esperança é única coisa que não podemos perder.

3
Hoje

30 anos se passaram e certamente o "Tício" de ontem não é o mesmo de hoje e nem será o mesmo de amanhã. A impressão que eu tenho quando acordo é que a Tamara de ontem morreu e hoje foi me dada uma nova chance de viver. É como se cada dia fosse início, meio e fim de uma vida. Na minha perspectiva a cada dia renascemos e é sob está ótica que eu visualizo no hoje a sua possibilidade e chance de comemorar o seu renascimento, afinal, é o seu dia. Lembre-se de viver cada dia como se fosse único e se puder viva uma vida por dia. Por isso, seja feliz hoje, faça aqueles que você ama feliz hoje, não deixe para amanhã aquilo que você tem vontade de fazer hoje. Diga o que você sente hoje, faça hoje o seu melhor, por que hoje não volta nunca mais. De alguma forma, tudo que sabemos em verdade é que só temos hoje.
.

Tamara Guglielmi
3 compartilhamentos

Agosto

Agosto, que gostinho de felicidade

Agosto, que gostinho de saudade

Agosto, que gostinho do gostinho

de ter o gosto de gostar tanto de você.



Agosto, só poderia ter um gosto, o gosto de vc.

Seu temperinho, picante, revela o gostinho

da sua personalidade desafiante.



Agosto, só poderia ter um gosto, o gosto de você.

Seu sorriso envolvente tem gosto de felicidade.

Seu idealismo pela vida tem gosto de liberdade.

O seu jeito de criança tem o gosto das nossas lambanças culinárias.



Agosto, só poderia ter um gosto, o gostinho de você.

Sua fala tem o gosto da lembrança

que trago da minha infância.

Você tem gosto da nossa adolescência,

de toda aquela inocência por nós vivida.



Sua generosidade tem o gosto do sul do nosso Estado.

Seu sangue quente tem o gosto do nosso sangue italiano.

Sua felicidade tem apenas um gosto, você.

Você tem o gosto de agosto.





Há como é bom gostar de agosto

Por que agosto me trouxe você.

Por que ao trazê-la, pude perceber

que os meus agostos jamais seriam o mesmo sem você.

Tamara Guglielmi
Inserida por tamaratatiane
1 compartilhamento

Importância dada à Amizade

Se depois de tudo, o que restar for a amizade, sinal que o amor tornou uma dimensão supra espiritual.
Suporto perder os meus amores , mas jamais me perdoaria se perdesse um amigo (Vinicius), por que considero a amizade o maior amor do mundo (Tamara).
As pessoas me perguntam por que prefiro cães a gatos, e a resposta é simples, por que cães são leais, são amigos e se apegam as pessoas, eles te amam incondicionalmente.
No Horóscopo Chinês eu sou um cão, coincidentemente, sou leal e amo incondicionalmente todos os meus amigos e tudo que faço por eles é fruto de um amor sem retribuição, de um amor sem condição e de um amor sem reservas. Eu daria a minha vida para salvar qualquer amigo, eles não precisam fazer muito por mim, não precisam fazer nada aliás, saber que eles existem e que mesmo que longe eu posso fazer parte ou ter pelo menos feito parte de suas histórias já me conforta e já me alegra e esta simples condição, a de ter escrito um capítulo na história deles é razão suficiente e necessária para o meu encontro com a felicidade.
Nunca precisei retribuir favores aos meus reais amigos, eles simplesmente passaram pela minha vida, em um momento crucial dela e me deram o apoio necessário para poder seguir em frente. Nunca precisei me corromper, ser desleal ou mesmo não ter ética para obter qualquer tipo de benefício, encontrei até hoje no meu caminho pessoas que simplesmente me estenderam as mãos e me levantaram quando mais precisei, algumas subitamente sumiram, tenho quase certeza que foram e são anjos enviados por Deus, como não os podia chamá-los de anjos, os chamei de amigos.
Agradeço a Deus e a Todos os meus amigos pela pessoa que sou, pois a Tamara que todos conhecem é fruto da amizade de vocês.
Muitos devem estar se perguntando, por que estou escrevendo isso né, pois hoje nem dia do amigo é.
Estou escrevendo isso, por que hoje eu perdi um grande amor, mas ganhei um maravilhoso amigo.

Tamara Guglielmi
Inserida por tamaratatiane
1 compartilhamento

A POESIA NASCEU
Certa feita um amigo me questionou donde nascera a minha poesia ou melhor, donde nasce o meu processo criativo, pois desejava se tornar um poeta.

Realmente eu nunca havia me questionado sobre isto, tampouco, havia me perguntado se algum dia eu realmente produzi algum tipo de poesia, para mim sempre foram apenas escritos. Contudo, se ele considerava o que escrevo poesia, então, eu deveria relevar sua pergunta e lhe dar uma resposta.

Pensei em lhe dizer que o meu processo nasce de um sentimento chamado paixão, de um dom que não sabemos explicar, de uma sensibilidade que vai além da nossa compreensão, mas se eu falasse isso, seria o mesmo que dizer a ele: você terá que ter paixão e sensibilidade e isto deve ir além da sua vã compreensão.

Entretanto, se ele nunca se tornasse um poeta, eu me sentiria literalmente culpada, uma vez que ele viveria a decepção de achar que sua vida era vazia de paixão e sensibilidade, seria muito insensível da minha parte dar-lhe esta resposta.

Mas isso também não me bastou, por que se existe de fato um processo, então, eu preciso de ritos, de atos, e admitir que paixão e sensibilidade por si só são fatores necessários e suficientes para a composição da poesia, seria o mesmo que negar o processo.

Foi aí então que eu recorri as minhas lembranças e voltei a minha infância. Bem me lembro que na segunda série do primário minha mãe foi chamada na escola após a realização da minha primeira redação.

Acredite, mesmo antes de se dirigir até a escola e falar com a minha professora apanhei uma surra da minha mama, por que se minha mama havia sido chamada na escola, sinal de que boa coisa eu não tinha feito, pois bem, antes mesmo de dar-me a chance de defesa, minha mama negou-me o contraditório e me aplicou a pena ( a surra).

Chegando na escola minha professora perguntou a minha mama quem havia feito a redação que ela, a professora, havia dado como lição de casa. Minha mãe pegou o escrito, leu, assegurou a professora que não havia sido ela, a escritora, mas que iria descobrir quem havia feito a lição por mim, afinal de contas uma criança com 7 anos de idade não teria capacidade de escrever daquela forma.

Já em casa fui questionada acerca da redação pela minha mama, eu jurei que tinha sido eu que havia produzido, mas ela não acreditou em mim e me deu outra surra, por achar que eu estava mentindo.

Noutro dia, chegando à sala de aula, minha professora pediu que eu me dirigisse até a secretária, uma vez que ela tinha uma tarefa para mim. Simplesmente a bendita professora me deu um tema e pediu que eu escrevesse sobre ele, e ainda ordenou que a secretária da instituição ficasse me observando. Finda a redação e após lê-la, a maldita pediu que eu chamasse minha mama novamente no colégio.

Por óbvio que no dia seguinte disse a professora que meus pais estavam muito ocupados e que não poderiam comparecer. Claro, seria eu uma tola se avisasse meus pais de que estavam chamando-os no colégio, certamente outra surra levaria.

Daquele dia em diante parei de escrever, fui inibida prematuramente pelo medo e pela desconfiança daquelas duas mulheres.

Mais tarde na quinta série e já mais grandinha comecei a produzir meus textos, e, inclusive, vende-los para outros alunos que desejavam tirar boas notas em redação. Dali em diante ganhei todos os campeonatos literários produzidos no colégio e na cidade, seja recitando poesia ou escrevendo redações.

Já na faculdade eu me anulei completamente, trabalhando, mal conseguia estudar assuntos técnicos, quem dera escrever poesias, Sim, eu fiquei Sete anos sem sequer produzir um texto.

Contudo, eu me deparei com outro Dom, o de fotografar, sim, eu pegava qualquer máquina fotográfica e tirava fotos muito interessantes, a ponto de me perguntarem onde eu havia comprado as benditas máquinas fotográficas com as quais eu tirava as fotos.Acontece que eu nunca tive uma máquina fotográfica e continuo não tendo, eu simplesmente pegava a máquina dos outros e capturava cenas de pessoas,ambientes, animais e da natureza de uma forma diferente.

Sim, as fotos ficavam lindas. Mas tinha um detalhe que quase ninguém sabia, quase invisível para os olhos alheios, eu era cega e sou cega de um dos olhos, nasci com uma doença chamada síndrome de Leber, que provoca cegueira, doença congênita.

Contei todas estas histórias para dizer que encontrei a resposta através delas. sei donde nasce a poesia, não só a minha, mas a de todos os poetas.

Primeira constatação, é que inexoravelmente é preciso ter um dom especial e através de um processo desenvolve-lo. Imaginem você se Mozart nunca tivesse tido contato com um piano, nunca tivesse estudado música, certamente, jamais teria a chance de compor.

Primeiro ingrediente do processo: É preciso gostar de poesia e se alimentar dela. Você não se torna um poeta se gosta mais de produzir poesia do que de apreciá-la. Sim, é preciso ter desprendimento e admirar e amar a poesia produzida pelo outro, mais do que a sua própria.

Segundo fator, é preciso enxergar além, sim, é preciso capturar a cena. é necessário enxergar a beleza onde as pessoas só observam a névoa. É preciso encontrar o amor onde só existe dor. Faz-se necessário se desprender do próprio ego e observar tudo que lhe rodeia.

O que ninguém sabe é que o processo criativo surge exatamente de todas as coisas, de tudo que sentimos por estas coisas. Só somos capazes de produzir poesias, se formos capazes de encontrar ternura e delicadeza nas coisas simples produzidas pela natureza, seja a natureza humana ou de qualquer outra espécie. Só produziremos poesia se amarmos ou odiarmos alguém, algo ou alguma coisa. Sim, o processo criativo de um poeta deriva daquilo que ele é, do que sente e inexoravelmente depende do outro.

Tamara Guglielmi
2 compartilhamentos

O SORRISO DA BORBOLETA
Abrem-se as janelas da mente e a mágica começa

Lá no final do arco Iris, bem do lado de um bosque cheio de tulipas coloridas (amarelas, vermelhas e brancas) tem um jardim bem verdinho, com árvores enormes e cheio de orquídeas brancas. Bem no meio deste jardim tem uma casinha de Cristal, onde mora um Garoto e todos os seus sonhos.

Um garoto com cabelos lisinhos, curtos e loirinhos, pele tão branca que até parece um algodão doce, olhos tão azuis que é possível confundi-los com o mar e neles se afogar, tão pequenino e frágil, que até parece que vai quebrar.

O garoto jura que no seu jardim secreto os Serafins habitam.
Mas Será que Serafins existem? se existem? Por que não proclamam o amor sem fim?

Dizem que neste Jardim uma borboleta em extinção acabou de chegar, ela veio fugida de um lugar bem distante, passou pelo arco Iris e viu que ali não era um lugar seguro, então correu para o bosque e percebeu que as Tulipas coloridas iriam ofuscar todo a sua magia, só lhe restou, então, o jardim.

Chegando ao Jardim, a borboleta posou em uma Orquídea branca e se alimentou do seu néctar e acabou adormecendo. Os serafins correram curiosos para verem que ser era aquele, e por fim, acabaram em torno da bela e esplendorosa borboleta.

Todos a olhavam admirados, como se nunca tivessem visto um ser com beleza semelhante. A borboleta era possuidora de uma beleza sem fim, suas asas grandes e rosas com pontinhos brancos , que mais pareciam diamantes, brilhavam demasiadamente e tudo pareciam iluminar, mas os serafins só estariam convencidos da raridade da borboleta, se esta fosse capaz de sorrir, e, prometeram que se a borboleta sorrisse eles iriam proclamar o amor sem fim.

Então, os Serafins começaram a cantar afim de que pudessem acordar a borboleta e fazê-la sorrir, derrepente num rompante de encantamento com o som dos Serafins a pobre e sonolenta borboleta acorda e os Serafins sorriem, mas a borboleta os olha fixamente, com seus olhos grandes e verdes, e não faz qualquer movimento com a face.

Todos os Serafins começam a chorar, o garoto loirinho ouve lá da casinha de cristal as lagrimas dos Serafins e percebe que seu jardim está sendo totalmente inundado, corre até o jardim e pergunta o que está ocorrendo.

Os serafins explicam ao garoto que a borboleta não sorri e por isso choram, pois juraram que só proclamariam o amor sem fim, se vissem o sorriso da Borboleta.

O garoto viu naquela oportunidade a chance de provar que os serafins existiam, haja vista que iria reinar o amor sem fim, que só poderia ser declarado pelos serafins. Então o garoto pede aos serafins que o transforme em borboleta, para que possa voar para perto da rara borboleta e fazê-la sorrir. , Então os Serafins acabam transformando- o em uma outra borboleta igualmente rara, neste momento o garoto borboleta com os seus olhos turquesa voa até a rara borboleta de beleza sem fim e a pede um sorriso. A borboleta sorri para o garoto borboleta, as almas das borboletas se encontram e os Serafins declaram maravilhados o amor sem fim.

Graças ao sorriso da borboleta todos sabem que os Serafins existem.

Tamara Guglielmi
Inserida por tamaratatiane
1 compartilhamento

O AMOR NÃO ERA PARA SER

Sinto Saudade da felicidade
Que você me sonegou, da lembrança
que ingenuamente sonhei em ter.

Talvez eu tenha guardado uma recordação de ti
que eu nunca vivi. Eu te perdi
sem ao menos nunca ter te tido.

Talvez se eu tivesse te conhecido,
tu pudesses ter a chance
de ter me esquecido.

Há se eu tivesse congelado
aquele capítulo do tempo,
certamente eu teria feito parte da sua história.

Não tenho dúvidas,
A lua se escondeu de mim e de você.
E as estrelas conspiraram para
que nós não nos encontrássemos.

Talvez se eu pudesse te esquecer,
quem sabe te conhecer fosse possível,
mas fazer o que, o tempo achou melhor
o encontro não acontecer.

Logo, se houve um culpado,
este culpado se chama destino,
pois foi ele quem não quis que o amor
tivesse acontecido.

Enfim, o amor não era ser

Tamara Guglielmi
Inserida por tamaratatiane

SETEMBRO DE 83

O inverno passou.
Finalmente setembro chegou
e o mundo parou apenas para ouvir a magia
ocasionada pela melodia de 83.

Eu me lembro que naquela manhã,
setembro, a primavera chegou sorrindo,
avistou, no despertar do dia,
o amor de uma mãe que concebia
aquele que seria a sua eterna melodia.

A primavera passou,
mas a melodia ficou
e encantou todas as demais estações,
provocou em todas elas as mais latentes emoções.

Depois de setembro de 1983
os pássaros já não mais se assustavam com os raios do sol,
com as tempestades de final da tarde
ocasionadas pelo fervor do verão,
apenas seguiam a canção.

Os pássaros já mais nada viam,
apenas voavam pelos céus encantados pela melodia,
pela sinfonia,
pela magia de setembro de 83.

As cores das flores no outono se modificaram
depois daquele setembro.
Os girasois refletiam pontos de sol no horizonte.
As Orquídeas brancas
pareciam pombas presas ao solo.

As rosas vermelhas eram como corações ardentes de paixão.
O verde das folhas tinha a mesma forma das gotas de orvalho.
O canteiro de Tulipas amarelas, vermelhas e liláses
formava um arco Iris fincado à terra.

O outono passou,
o inverno chegou,
mas a sinfonia de setembro ficou e aqueceu aquela mãe
que sorrindo alimentava a melodia
que para sempre seria o seu grande esplendor.

A primavera voltou,
setembro retornou com ela,
mas desta vez algo havia mudado,
sim havia,
ocorre que a melodia havia se apaixonado pela fantasia,
razão pela qual partiu e ninguém viu.

O mundo inteiro então se espantou
e em prantos se calou,
pois ninguém,
nem mesmo o vento cantou,
infelizmente a Melodia jamais voltou.

A primavera então ordenou que setembro
voltasse a reproduzir aquela canção,
mas o que a estação não sabia
é que nem mesmo o tempo,
quem derá setembro conseguiria reproduzir a melodia,
que nasceu daquela mãe, naquela manhã, no dia 01 de setembro .

Tamara Guglielmi
Inserida por tamaratatiane
1 compartilhamento

FELIZ ANIVERSÁRIO MEU AMOR

CARTA

Mais um ano se passa em tua vida, contudo, tenho a impressão que o tempo não passou para nós dois.
Tua imagem ficou congelada nas páginas do tempo, desde o primeiro dia que o vi.
Serás para sempre o meu menino, aquele garoto gentil, educado, honesto e apaixonante que conheci e que conheço dia após dia.
Sim, eu não me canso de repetir, eu te amo, por que amo e quem vai entender os rumos, caminhos escolhidos pelo coração?
Já não possuo mais o domínio do meu ser, minha paixão levianamente tomou posse da minha razão. Confesso, perdi o domínio das minhas emoções.
E eu que sempre sonhei em ser livres, desvaneios de liberdade, achava que só com asas poderia Voar.
Pois foi então que tu apareceste, o amor aconteceu e inusitadamente eu encontrei a liberdade. Sim, eu encontrei nos teus braços e sob o julgo das estrelar a liberdade de amar.
O tempo passou, já não somos os mesmos, mas as lembranças do ontem, do hoje e os meus sonhos de construir uma vida ao teu lado são tão presentes, que jamais teria a capacidade de esquece-las.
Feliz aniversário, sim feliz, por que para mim este dia é razão de alegria infinita.
Os sentimentos que invadiram minha alma hoje se tornam inexplicáveis, sim, inexplicáveis, por que nem mesmo esta poesia é capaz de traduzir esta data tão especial.
Hoje é tempo de paz, pois é vida que deve ser celebrada, é a vida do homem que amo que deverá ser por mim contemplada.

Tamara Guglielmi
1.2 mil compartilhamentos

MUNDO DE LÁ


Ouvi das estrelas que tu não sonhas.
Ouvi canções duvidando das tuas emoções.
Ouvi querubim dizer que tu não te apaixonas.

Ouvi o mar silenciar todos os sentimentos
que pulsam na tua alma. Ouvi a multidão gritar
que o poeta não ama seres deste planeta.

De tanto ouvir, compreendi por que tu tentas fugir
deste mundo.Simplesmente é por que só no mundo de lá
que tu consegues te encontrar.

Por que só no mundo de lá tu consegues amar
e se encantar pela brisa fria da manhã.
Por que só no mundo de lá que tu consegues esquecer
que o mundo de cá nega os teus sentimentos.
Só e tão somente no mundo de lá, que encontras a tua musa dançante.

Mas eu dúvido das estrelas, das canções, da multidão.
Com o coração partido, pego todos os meus sonhos e
os coloco nas costas. Sim, eu estou de partida,
meu destino, o mundo de lá.

Preciso resgatar o meu pensar.
Sim eu preciso mostrar para ti que aquele final de semana
durou para sempre e terminou muito rápido.

Preciso trazer-te para o mundo de cá,
mas antes disso preciso mostrar para as estrelas
que os teus sentimentos estavam escondidos em um lugar
onde ninguém conseguiu até hoje encontrar.

Eu preciso encontrar estes sentimentos em algum
lugar do mundo de lá, só assim tu poderás me amar e
comigo voltar.

Sigo para o mundo de lá, o caminho não sei,
certamente as estrelas não se interessaram em me contar,
na bagagem carrego apenas os sonhos, de um dia o olhar teu encontrar.

Sim, ninguém sabe o que sei, nem mesmo o mar,
os teus sentimentos se escondem no teu olhar.
Eu preciso duvidar das estrelas, das canções, da multidão,

Sim eu estou de partida para o mundo de lá.
O caminho não sei e as canções esconderão suas sinfonia,
suas fantasias,não me darão nenhuma indicação,
nenhuma pista do mundo de lá.

Preciso ouvir a voz que vem do coração,
só ela poderá me guiar para o mundo de lá.
O teu olhar novamente eu preciso encontrar.
só assim poderei me encontrar.

Caminhando eu sigo, na bagagem apenas os sonhos,
o sonho de um dia encontrar
aquele que para sempre eu hei de amar.
só assim poderei flutuar e chegar no mundo de lá.
Eu preciso resgatar o que perdi.

Sei que o caminho é tortuoso, longo, árduo.
Sei que devo errar algumas vezes os percursos,
atropelar os obstáculos, não rara as vezes eu irei me precipitar, tropeçar, mas esteja certo, jamais deixarei de buscar o teu olhar

Tamara Guglielmi
Inserida por tamaratatiane
1 compartilhamento

Carta para você I- 24 de abril de 2010

eu acordei e derrepente senti o vento percorrendo o tempo
o barulho dos motores pareciam tambores que palpitavam nos meus ouvidos
a chuva caia e eu sentia o frio que aquela tempestade me ocasionava
Derrepente em meio a tantos sons e sensações
Ouvi a sua voz agraciada pela poesia do dia
Vc me surgiu do nada, caiu dos céus a reanimou minha vida
Eu com medo de tantas sensações me escondi e sumi
Quando dei por mim, vc estava ali, no meu pensamento, na minha mente, na minha vida, era o meu dia
Mas como te encontrar se eu me perdi de mim ?
Se eu me perdi de nós ?
Quero te encontrar, quero me encontrar, os sons já não fazem mais sentido
Mas para nos encontrar, eu precisaria que o universo conspirasse dando um remédio para aliviar a dor que ando sentindo
Para te encontrar eu precisaria que a emoção fosse mais forte que nós
Para me encontrar eu precisaria que os meus sentimentos fossem maior que a razão
Para nos encontrar eu precisaria que o nosso gostar fosse mais forte que nós dois

Tamara Guglielmi
Inserida por tamaratatiane
1 compartilhamento

Carta para você II, 10 de maio de 2010.

Não responda as minhas cartas, só preciso ter alguém para quem possa escreve-las

Hoje em Vitória, Espirito Santo, após um dia árduo de trabalho, já no final da tarde, olhei pela Janela do hotel e avistei uma árvore cujas folhas estavam se dessecando e caindo sobre a grama fria, era o vento que batia e eu sentia que o outono partia, dando lugar ao inverno.

Meus invernos tem sido tão solitários, o mesmo vento frio da estação que derruba as folhas sobre a grama, parecem querer congelar minha alma desnuda e desnutrida pela decepção de um sentimento não correspondido.

Pelo menos as folhas, aquelas folhas, não sobreviverão a este inverno, contudo, os meus olhos fixos e tão secos quanto aquelas folhas sobreviverião a este momento e talvez jamais reproduzirão a condesação do vazio que eu sinto neste instante

Olhar por esta anela, avistar este fim de tarde frio e vazio e perceber que tudo ali ainda existe, menos você, tem me deixado triste.

Tamara Guglielmi
Inserida por tamaratatiane
1 compartilhamento

Eu não te amo

você que despreza o meu tormento
Que é um atroz do tempo
Que medita contra o vento
Que não vela a minha dor
Quero que te dizer que eu não te amo

Vc que ignora o meu sentimento
Que não agracia o meu alento
Que ri do meu contentamento
Que fingi que não vê a minha saudade
Que zomba da minha felicidade
Quero te dizer que eu não te amo

Vc que já me amou e me encantou
Vc que me deu o chão e me retirou a alma
Vc que me deu a luz da lua embrulhada com trevas
Vc que me deu o amor e o transformou em dor
Quero te dizer que eu não te amo

Vc que poderia ser minha emoção
Vc que negou o meu coração
Vc que fez da minha história seu jargão
Quero que vc vá para o inferno e que padeça no inverno

Tamara Guglielmi
Inserida por tamaratatiane

Resto

Se fosse inédito não seria real.
Se fosse possível não seria terrível,
Se não fosse bom não pareceria mal.
Se não fosse ilusão não seria PAIXÃO.

Tão sorrateira quanto às sapatilhas de um dançarino.
Tão maliciosa quanto à inocência de uma bailarina
Tão cruel quanto tudo que pulsa em nós.
Tão efêmera quanto fugaz se faz.
Se não fosse a dança o que seria da ESPERANÇA?

Longínqua e rápida
Surpreendente e ardente em meio a esse caos eloquente.
Ambígua como a sua própria razão de existir
Vento pare para mim o tempo, por favor.
Sim VIDA é você .

Por que continuo eu me pergunto.
Por que sigo andando?
O que procuro?
FELICIDADE talvez?

Por que não evito o que parece inevitável
Por que ainda assim persisto?
Por que não desisto?
Quero respostas, mas só me RESTAM perguntas.

Por isso nem sempre gosto do RESTO.
Porque o RESTO é inacabado.
Porque o RESTO não me parece perfeito.
Porque o RESTO não termina com o final que escrevi.
Porque no final o RESTO é o que me resta das lembranças sentidas e das emoções vividas.

Tamara Guglielmi
Inserida por ta_scmg
1 compartilhamento

SENTIDOS

Olhe para o céu
Agora feche os olhos
Sinta o tempo
Toque no vento
E com os olhos vendados observe o infinito.

Experimente os sons
Abra sua mente
Sinta a sinfonia que as flores exalam
Veja como tudo se harmoniza
Cheiros, cores e sons.
Sinta o canto do mundo.

Mire no horizonte
Abra os olhos
Veja o caminho
Caminhe ao encontro dos seus sonhos
Observe que tudo é possível.

Seja o sentimento de alguém
Seja uma declaração de paz para alguém
Encontre um par para amar
Um par para olhar
Um par para sonhar
Um par para contemplar o mar

Agora abra seu sorriso
Sinta a poesia que encanta a melodia do dia
E com alegria receba um abraço do universo
Não se esqueça de degustar do incrível sabor que tem o amor
Aceite que a vida é um presente.

Tamara Guglielmi
Inserida por ta_scmg