Jorge Luiz de Alencar Soares

1 - 25 do total de 193 pensamentos de Jorge Luiz de Alencar Soares

"Tem gente que é tão da gente...
Que pode errar à vontade.
Gente que amamos demais,
cujas falhas se fazem tão insignificantes...
É gente para quem se diz:
Está desculpada sempre,
mesmo antes de pedir desculpas..."

Jorge Luiz de Alencar Soares

"Não é tristeza, apenas cansaço.
Afinal, são tantas as batalhas.
Não é falta de fé, é compasso de espera,
para que aquilo em que tanto se acredita, se realize.
Não é medo, é resguardo, cuidado.
Resguardo para se dispor em momentos de menos turbulência.
Não é solidão, é opção, não querer trazer ninguém para o meio do seu "eu em confusão".
Não é tempo perdido, é momento de reconstrução.
Porque tudo isso também vai passar...
Porque de repente você volta em paz, inteiro e mais leve,
Que seja breve..."

Jorge Luiz de Alencar Soares

"Eu, você e o mar, oceanos de amor a desbravar .
Nos vemos apenas na superfície, por medo de mergulhar,
medo de se afogar.
Eu, você e o mar, ainda iremos nos conquistar,
por perder o medo de errar, por perder o medo de amar..."

Jorge Luiz de Alencar Soares

"Sou vento e tempestade...
Vento não se permite ficar no mesmo lugar
e tempestade não se deixa dominar,
têm natureza avassaladora e arrastam
consigo o perdido, o distraído.
Por onde eu passar nada mais intocado permanecerá.
Eu mudo sim as coisas de lugar, incessantemente,
porque tenho esta inquietação de ser feliz
e ver esta gente feliz.
Por isto eu não paro !
Estou em constante erupção, em brasa,
ardendo em sentimento e derretendo corações de pedra...
Forças da minha natureza, porém, sem machucar,
Se não for certeza, amor, melhor nem começar"

Jorge Luiz de Alencar Soares

"Medo de menino
é medo de perder a si mesmo
na in(segurança) de um grande amor.
Porque saber amar não é fácil.
É mais do que se assumir, é ter que se dividir,
trazer para si mais um com medo de errar.
Dá medo de se entregar... por perder-se de si mesmo.
da certeza de ser livre, de quem ainda vive...
a perspectiva de tantas paixões,
dos desejos loucos e das ilusões,
Porque amor seria algo forte demais,
seria ter que morar dentro no outro e ter que ficar.
Por que ficar e se prender
em um enorme mar de dúvidas e inseguranças?
Medo de menino, medo genuíno,
da força avassaladora do amor...
Medo de se entregar, por não compreender que amar,
não é deixar de ser, ou se exercer
e muito menos se abandonar.
Amar também é ter que se reinventar,
é ter que se exercitar, na difícil missão de se compartilhar.
Transitar do seu universo particular,
para a cumplicidade de alguém sobre tudo que será.
Meninos ainda não sabem que assumindo um amor ou não,
Errar é tão certo e inevitável como respirar,
e que na arte de tentar, errar, cair e levantar,
sempre melhor será ter um amor a lhe acompanhar.
levando consigo, alguém que se tornará abrigo.
Pois nas horas em que o homem quiser se vestir de ser menino,
fará seu destino no colo da menina,
para quem ele teve a capacidade de se entregar,
preservar, ficar, cuidar e compartilhar,
ou simplesmente... aprender a amar...."

Jorge Luiz de Alencar Soares
1 compartilhamento

"Passamos pela vida talvez para aprender...
Que dom de Anjo é a troca incondicional.
Porque há dias de se ter um Anjo,
e há dias de ser Anjo de alguém.
Se proponham, em Deus, por vocês, por amor."

Jorge Luiz de Alencar Soares

Ao contrário do que muitos pensam,
um sonhador é aquele que mais tem os pés no chão.
do sonho faz alimento e fé,
na dura realidade da vida,
do sonho se nutre e permanece forte na lida
e assim ao raiar de cada dia está sempre de pé.
Um sonhador levanta e segue adiante, não se intimida.
Vive como se tivesse uma íntima e sagrada certeza de que algo de muito bom ainda virá.
É desejo que se renova, na história temos exemplos
de sonhadores que já foram chamados de loucos
e que foram agentes catalisadores, transformadores.
Que a gente viva do sonho, da fé, que a gente não desista,
que no sonho resista, insista.
Porque para cada novo sonhador em meio a um povo.
Nascem precursores de um mundo novo.
Fé!

Jorge Luiz de Alencar Soares

Somos estrelas.
Somos divinos,
somos luzes que se acendem em meio a escuridão.
Somos cais, de paz.
Somos todos importantes, iguais.
nos alimentamos dos sonhos, da esperança.
Sejamos habilidosos na arte de criar laços de afetos,
realizemos, tragamos à tona o que parece ser impossível.
Basta querer, em Deus, se fortalecer, se dispor.
Por vezes vai doer, mas não nos permitamos o abandono.
Se refaçam sempre na fé, nas suas verdades,
no amparo, nos carinhos das doces presenças,
Não importa o que façam, contagiem, sejam amor.
Sejamos sim, Anjos, uns para os outros...

Jorge Luiz de Alencar Soares

"Desata-me"
Em meio à melancolia...
Transição entre alegria e tristeza.
Sensação de equilíbrio instável...
Pareço bem, estou, não sou, sensação inevitável.
Sou dois corpos, ora receptivo, ora fechado.
Meu coração oscila, vulcão ativo ou magma esgotado.
Sou traição e fidelidade, ora mentira, ora verdade.
Sou dois inimigos que se espantam, mas não se confrontam.
Meu nó é cego, eu carrego, a paz e a inquietação.
Desata-me, não nego, viver ser capaz ou ser mera ilusão

Jorge Luiz de Alencar Soares

O mal de muitos é só admirar
e viver as pessoas depois que elas se vão.
Em vida, pouco valorizam.
Depois ficam ressaltando e vivendo de suas memórias...
Se alimentando de tudo que poderia ter sido.
"Poderia"... Exatamente.
FUTURO do Pretérito, mas que não foi...
Vai viver quem você ama para poder ser pretérito PERFEITO meu irmão!

Jorge Luiz de Alencar Soares

Venho de tantos, mas tantos planos...
Sigo o curso nos desvios do caminho,
em meio às tentativas frustradas de ser alguém,
sendo correto, sendo direito, verdadeiro.
Porque quero ser feliz e não magoar ninguém.
Para cada pessoa que se aproxima e diz não
tá bem, eu mudo um pouco mais em busca de um sim,
porque não quero desistir dos outros...
porque faz mal ao coração não ter os outros de bem comigo,
porque magoar mesmo sem querer não é legal, dói no coração.
Mesmo que isso me contrarie, mesmo que não me faça bem,
eu fico, vou, volto, seja lá o que o outro precise, eu estou.
E então...
A gente segue o curso se reinventando para atender bem a todo mundo.
E o que resta de mim...
É a sensação de que se todos estiverem bem,
eu também posso seguir em paz.
Paz, um pouco disto seria bom sabe...
coisa que se dá por meio da compreensão de todos,
que eu preciso não mais ir, ficar, voltar...
Apenas me deixar estar...
nessa natureza minha, sem contestações
e sem mais cobranças de mim mesmo.
Natureza de um pedaço de chão, do pão e de um violão,
porque esse negócio de dor em mim também não é legal.
Hoje o meu amor precisa ser eu.
O meu amor, o eu em paz.
sim, a minha paz...
E Deus.

Jorge Luiz de Alencar Soares
1 compartilhamento

Anoitecer com você, margeando meu caminho.
É razão de me perder, bom sentir teu carinho.
Você é paisagem divina, alegria e inspiração.
A feição da tua imagem, energia que me invade o coração.
Ouvi sim o som do teu violão, acordes da sua verdade.
Capturei teu sentimento, música suave, a mais bela canção.
Você, regente de mim, me domina assim, me toma, me emociona.
Senti daqui a tua força ao cantar, mulher de encanto singular,
Esperando que me ouça, também me ponho a dedilhar.
Melodia repleta de você, querendo te alcançar, te emocionar.
Sou seu príncipe guerreiro, herdeiro de sentimento verdadeiro.
Amor intenso, coração valente que pulsa mais forte a cada movimento.
Fostes meu anoitecer...
mas poderás vir a ser... a razão do meu viver.

Jorge Luiz de Alencar Soares

Acreditem no amor, mas ser sensível não é ser bobo.
Estejam atentos entretanto, aos lobos em pele de cordeiro.
Eles se disfarçam afim de conseguirem de nós o que querem, vocês sabem. Como perceber?
Exijam tempo, convívio antes de se entregar.
Não há máscaras que não caiam com o tempo.
Além disso, as pessoas fúteis se cansam porque não querem perder tempo com a necessidade da conquista para se ter amor verdadeiro.
Acredite sim no amor, não o da boca para fora, mas o que se mostra no dia a dia, na devoção, na troca, naquele que eleva o outro, não o que usa.

Jorge Luiz de Alencar Soares

Ame, mesmo que não seja recíproco.
Amor sempre volta, não importa de onde venha.
Não se isole, tem gente que te ama.
Se doe, mesmo que não tenha muito tempo.
Pratique a caridade, é gratificante e o bem volta para você.
Seja o Anjo de alguém. "Há Vagas".
Toque corações.
Pense sempre positivo, mesmo em meio as feridas.
Ore, converse do seu jeito com o pai celestial.
Dê tempo a quem te agride, eles estão sofrendo.
Perdoe, mesmo ressentido. Alivie seu coração.
Se perdoe também, você é humano, está em aprendizado.
Sempre que doer, resista na sua fé, se fortaleça no luto e na dor.
Agradeça o que tem, é fruto do seu merecimento.
Viver, falhar, recomeçar, aprender, evoluir. Viemos aqui para isso.
Se errar, se reconstrua, tente outra vez.
Renasça todos os dias se for preciso.
Nada disto vem de mim. É biografia do irmão, referência maior, Jesus Cristo.

Jorge Luiz de Alencar Soares

Para quem vai... E para quem fica..
Mesmo que a gente prepare o terreno... mesmo não haja nada mal resolvido, mesmo que todos entendam e aceitem que é o caminho para a felicidade de quem parte, mesmo assim, sempre haverá a saudade do pedaço de nós que se separa... Se faz necessário entretanto e a gente se "adapta", se conforma. A única coisa que na fé rogamos é por saber de muitos sorrisos de quem partiu, mesmo que à distância ou em outro plano. Afinal o que a gente pode querer mais do que a felicidade daqueles que amamos incondicionalmente? Se é amor... mais nada !

Jorge Luiz de Alencar Soares

Simplifiquem.
Não potencializem problemas.
Não valorizem ressentimentos ou mal entendidos, tornem as coisas mais fáceis para vocês e para todos.
Façam por menos, tenham mais tolerância, perdoem-se e perdoem o outro, ninguém nunca será perfeito, todos erram.
Semeiem a paz, a maioria já complica demais...
Não se percam.

Jorge Luiz de Alencar Soares

Quando nós´nos vemos perdidos... completamente sem referências e muito sofridos, magoados, sentidos, sem norte, entregues a própria sorte, cansados, exauridos, desamparados... Padecemos de um mal muito grave de fato.
Não amigos, não me refiro àquilo que pode ser a causa de tudo isso, mas ao fato de que por muito descontrole, estando neste estado, por vezes magoamos logo a quem mais amamos.
Como exigir que nos perdoem depois de culpá-los por todas as nossas mazelas quando nunca na verdade nos faltaram?
Não há como. Só eles podem dar o perdão, como uma prova de muito amor e humanidade.
Que cada um de nós possa perdoar para que sejamos merecedores na contrapartida do mesmo amor e do perdão destes que tanto amamos quando estivermos perdidos também..
Afinal, todos temos os nossos dias difíceis

Jorge Luiz de Alencar Soares

Que haja alguém que entenda a minha loucura. Essa insanidade de viver na simplicidade, das artes, de cuidar e ser cuidado por tudo que se move, respira e transpira. O que importa onde estamos se não estamos em paz? O que importa quantos nos cercam se não temos quem amamos? Somos "enquadrados" desde crianças. Do quadro pintado pelas convenções sociais não nos libertamos mais. É preciso coragem para comprar nossos próprios sonhos e não se vender, não andar para tás... É preciso aprender a apanhar, cair e levantar, é preciso ser forte. Eles baterão com muita força, nos julgarão, nos isolarão, nos abandonarão, mas nunca conseguirão tirar o melhor de nós, a nossa verdade, a nossa liberdade, essa capacidade que temos de estar sempre inteiros e limpos para amar.
Seja você... Sempre... Se cuide... Meu carinho...

Jorge Luiz de Alencar Soares

Você é revestida de tamanha doçura e simplicidade que eu penso não te merecer...
Você já existia sim, dez mil dias antes de te conhecer,
Era destino traçado, arranjado, encontro determinado.
Você é tiro certeiro, o que há de mais verdadeiro, consegue me render com o dom divino de ainda me surpreender...
Que o nosso destino seja selado, juramentado, eternizado.
Que você venha como o meu maior presente, a minha única festa e como tudo que há de mais sagrado que se sente...

Jorge Luiz de Alencar Soares

Algumas pessoas simplesmente passam pelas nossas vidas assim meio como rajadas de vento que passam e provocam arrepios... Assim como um vento forte, as pessoas têm a sua própria natureza e provocam em nós efeitos que deixam marcas e muitas vezes cicatrizes... Elas agem instintivamente e mesmo sem querer, acabam por nos invadir e nos tocar profundamente. Muitas passam e não vêm para ficar. Elas precisam viver seus sonhos, planos e conquistas. Resta-nos aceitar o fato de que vieram mesmo brevemente. Sobram-nos entretanto, a imaginação e as lembranças...
Você que também simplesmente passou pela minha vida, desejo muito saber de você feliz. A propósito, tua marquinha está aqui no meu coração e na minha alma!
Caso sinta necessidade de voltar, saiba que sou porta aberta e café quentinho para ti...
Sou grato a todos os encontros.
Ainda mais grato a todos os reencontros.

Jorge Luiz de Alencar Soares

Amor é quando a gente tem vontade de se perder dentro do outro... Simplesmente para depois...
Poder se encontrar dentro do outro..

Jorge Luiz de Alencar Soares

Quando não há mais nada a fazer o melhor é se recolher.
Porque eu já tive pressa e o meu ímpeto de nada adiantou.
Não estou perdido,
apenas me alimento da esperança de ser surpreendido.

Jorge Luiz de Alencar Soares

Que eu possa oferecer e receber...
Abraço que acolhe.
Olhar que conforta.
Presença que ilumina
e o silêncio que traduz ao coração
o que palavras insistentes não conseguem dizer.

Jorge Luiz de Alencar Soares

Pessoas são apenas pessoas,
mas se vierem trazendo amor,
serão sempre compreendidas.
Não importa de que jeito elas sejam.
Não importa de que planeta elas venham.
Um gesto de amor é compreendido em qualquer idioma,
Porque amor, seja de que forma for, não se explica,
Amor se demonstra, se sente, se doa e se aceita..

Jorge Luiz de Alencar Soares

Seria tão bom se meu interfone tocasse de repente,
eu surpreso fosse atender
e ouvisse a sua voz como música ao dizer...
"Oi, vim te dar um abraço porque preciso hoje de você"...

Jorge Luiz de Alencar Soares