Jéssica Barreto

1 - 25 do total de 47 pensamentos de Jéssica Barreto

Agora tô vivendo um desses momentos, em que preferiria não ter sentimentos , ser fria e calculista. Amar dói, por mais que pareça que não, mas dói, principalmente quando se ama mais , quando se busca uma chance de mostrar isso e não lhe é concedida e dói ainda mais o não poder fazer nada sobre isso, as mãos ficam atadas, dependentes do outro, e isso dói, dilacera, machuca, me mata.

Jéssica Barreto

Quero ligar pra você. Passar uma noite de sábado jogada no sofá te fazendo cócegas, como se fosse a melhor coisa que poderíamos estar fazendo. Te ver chorando de rir, ver a felicidade em seus olhos. Nos cobrir com lençóis, como se estivesse fazendo o maior frio lá fora, mas é só pra sentir mais quente o teu corpo perto do meu. Ouvir você contar sobre o seu dia, em como aquele cliente chato te irrita, prestar atenção nas suas expressões, em como você revira os olhos ao falar do carro que quase te atropela e sorrir de tudo isso. Te interromper com um beijo e sussurrar por entre nossos lábios que te amo. Fazer você feliz. Fazer você esquecer o mundo lá fora, nem que seja só por uma noite. Nem que seja pra vida inteira. Eu e você, você e eu, o silêncio e nós.

Jéssica Barreto

É aquela saudade boba, boa, que dói. Dessas que você sente quando vê a outra pessoa fechando a porta depois de um dia lindo juntos. É como se tivéssemos passado o dia inteiro, como se você tivesse acabado de sair por aquela porta e eu fui atrás de você, te enchendo de beijos, pedindo pra ficar mais um pouco. É dessa saudade que ando falando. Essa de te ter comigo, e ao mesmo tempo querer mais, como se não tivesse.

Jéssica Barreto

E essa quantidade imensa de olhares e sorrisos soltos por aí que ninguém nota ? Uma incontável junta de histórias, estórias, momentos, passados, presentes. Uma infinita carência, pedidos de socorro, de medo, de amor. Esperas, retornos, saudades, vontades. Seu vizinho também tem uma história, a pessoa que senta do seu lado num ônibus já sofreu desesperadamente de amor, a ponto de quase morrer por isso; o carinha da frente, na fila do banco, já esteve entre a vida e a morte; a caixa da padaria chora todas as noites por arrependimento e saudade; a vendedora da papelaria já viajou para outro país para conhecer a pessoa que se apaixonou pela internet, morre de amores por seu primo e coleciona embalagens de bombons. Você está amando, sorrindo, sofrendo, chorando. Sai na rua e não olha para os lados, atravessa a vida sem pressa, ou com tanta que nem repara. Agora pergunta se alguém te vê.

Jéssica Barreto
Inserida por jessicabarreto

Você, a insegurança em pessoa, me passa segurança. Uma total contradição. Dessas que não faço a menor questão de entender. Dessas que faço a maior questão de mergulhar. Tem cheiro de flor quando abre, riso de rio quando deságua. Tem nascente na alma, corre feito mar, desses cheios de segredos, profundo, com ondas altas, perigos escondidos e histórias que ninguém sabe. Tem a transparência que o mar tem, o doce mistério de um rio. Tem o que eu preciso pra mim, o que eu quero, o que eu procuro, é tudo que eu tenho, é minha vida em você agora.

Jéssica Barreto

Eu sou feita de restos, construção de pedaços dos outros, eu sou os outros, dos outros.

Jéssica Barreto
Inserida por jessicabarreto

Não, eu não sou tão pura como pensam, nem tão corajosa, muito menos tão feliz. Eu morro de medo, morro e ressuscito todos os dias, acordo sem saber que dia é , como cheguei aqui. Corro por todos os lados sem sair do lugar, dou a volta ao mundo, já experimentei quase todas as sensações, e tenho medo. Não tente me entender, pode parecer clichê , mas nem eu mesma me entendo, mesmo. Num dia te amo, no outro não sei o que fazer com isso. Hoje quero fazer loucuras, fetiches e armações, amanhã quero dormir e dormir e dormir, deitar a cabeça em algum colo que não faça perguntas. Me tira do chão, vou amar você. Me põe no chão, vou correr trás de você. Não sei desistir de ninguém, nunca soube. Eu sou feita de restos, construção de pedaços dos outros, eu sou os outros, dos outros.

Jéssica Barreto

Você tem nas mãos o poder de mudar o meu humor, o meu dia, se quer saber. Você tem nas mãos o que eu tenho de mais bonito, tem a minha vida, jogada nos teus braços, com todo o peso de um sentimento por trás. Quero te dar num embrulho, com laço de fita e adesivo, com cartão escrito à mão dizendo: Quer namorar esse presente ?

Jéssica Barreto
Inserida por jessicabarreto

E essa vida que anda calejando as pessoas ? Você acaba se acostumando. Se até as palavras calejam, quanto mais o coração.

Jéssica Barreto
Inserida por jessicabarreto

Chame do que quiser: vício, mania, loucura, obsessão, um erro. Eu chamo de amor.

Jéssica Barreto
Inserida por jessicabarreto

Eu não esqueci, não. Mas presta atenção, não esquecer não significa querer de volta.

Jéssica Barreto

Dá seu amor inteiro pra mim , dá ? Quero você aqui, quero sentir teu coração, tua vida pulsando em minha pele. Logo eu, tão controladora de tudo, não consigo me conter quando escuto a tua voz. Um arrepio estranho percorre todo o meu corpo por dentro, uma felicidade tamanha. Não quero perder isso, não quero nunca te perder, não vou. Ei, já percebeu o quanto que a Lua e o Sol estão distantes ? E já reparou no brilho e na beleza que eles emitem quando estão juntos ? Quero teu calor em mim também, esse brilho, quero o som do teu sorriso. Eu quero o nós, quero dedos entrelaçados, suspiros ao vento, olhares fixos, sussurros mal pensados. Eu … É pedir demais querer você, num embrulho de sorrisos e felicidade, de presente só pra mim ?

Jéssica Barreto
Inserida por jessicabarreto

Lá no fundo, bem lá no fundo, a gente sempre sabe quando está amando. Não precisa ninguém dizer, basta reparar nas coisas que escreve e que diz, nos olhares e sorrisos bobos que escorregam vez em quando. É o mesmo que balões coloridos que se misturam no azul do céu, de uma liberdade que mesmo inventada, é liberdade. Uma liberdade que é plena e verdadeira, que não pode ser guardada, se fosse guardada não seria.

Jéssica Barreto
Inserida por jessicabarreto

Mas sabe, nem se juntasse as mais bonitas e maiores, nem assim eu conseguiria demonstrar tudo que tem aqui.

Jéssica Barreto

Não me ofereça a superfície, não. Eu adoro mergulhar, sentir cada molécula de vida pelo meu corpo. Não me diga que a água é fria, eu sei que ela fica quente depois de um tempo. Não me diga que é muito profundo, não tenho medo de profundidade, quanto mais profundo, mais aumenta minha curiosidade. Não invente desculpas, eu não tenho medo, e para provar, estou mergulhando sem equipamento de segurança.

Jéssica Barreto
Inserida por jessicabarreto

E esse calor que anda fazendo, que nem chega a esquentar os poros ? Talvez porque não seja desse tipo de calor que eu ando precisando. Quem sabe seja aquele que é passado de um corpo pra outro, sem depender da luz do sol pra isso. Que esquenta por dentro, que queima até a última célula, do tipo que coloca o sol no chinelo.

Jéssica Barreto
Inserida por jessicabarreto

Não é que eu seja paciente, não. Paciência nunca foi meu forte. Mas é que às vezes cabe como uma luva, como numa roupa de baile, onde você procura se vestir bem apenas pela ocasião.

Jéssica Barreto

O drama personificado de uma maneira que nunca vi antes. Diz que vai sumir, que não quer mais te ver, mas está ali , do outro lado da porta esperando você ir atrás. Ciumenta ciumenta ciumenta, assim, repetitivo, como se não houvesse amanhã. Não fale mal das coisas que ela gosta, nunca , pode se arrepender por isso, ela não segura a língua. É única, parece que ninguém nunca foi antes dela. Escreve como ninguém, como eu, como ela. Se transforma em palavras e você nem percebe. Não consegue fingir, explode, se esconde. É carente, nossa, e como é carente. Tem mal gosto pra amizades, meio gosto pra música, uma percepção inconfundível. A voz ? Esquece, você não vai aguentar ficar muito tempo sem ela depois que ouví-la. Não pega no pé, ela te chuta. Cuida, que ela te ama. É linda, é chata, é doce, é meio amarga, é embalagem embrulhada, dessas que rasga se não abrir com cuidado. Extrema e irredutivelmente teimosa, irresistível. Só conquiste-a, todos os dias, e não esqueça de levar os lenços, tenho certeza de que vai precisar.

Jéssica Barreto
Inserida por jessicabarreto
1 compartilhamento

Gosto de estar com você, você gosta de estar comigo. Isso basta, isso é tudo.

Jéssica Barreto

E essa gente que se enclausura com medo de viver ? Amar é tão bom, ter medo é melhor ainda, saber seus limites, conhecer os limites do outro. Fugir do seu próprio corpo de vez em quando por uma felicidade tamanha, viajar por outros lugares, outros Estados, sem nem sair do lugar. Eu estou falando de se permitir, de se deixar levar. Tudo que você espera só acontece se você deixar, então que tal desamarrar esse laço da cintura e correr em busca de outras cinturas pra se amarrar ?

Jéssica Barreto
Inserida por jessicabarreto

E esses maus bocados que a vida apronta, hein ? Eu que ando com as mãos nos bolsos e cabeça no mundo da lua, precisando de um tapa nas costas de vez em quando, agora me vi equilibrada. Só me vi, não que eu me sinta, sabe como é que é. As janelas e portas se escancararam à espera de novos ares, quem sabe não trazem também alguns pássaros e flores, esses que ando precisando tanto ultimamente. E ah, aquele sussurro também, o vento sabe de qual eu estou falando, podia até trazer nas costas de tão leve e doce que é, aquele que mora longe, aquele, só aquele.

Jéssica Barreto
Inserida por jessicabarreto

E essa vontade, onde eu ponho ? No bolso ? E a saudade ? O que faço com ela ? Escondo ? É sim, saudade, não sabia ? Essa urgência que me tira do sério às vezes por não poder fazer nada em relação a isso. Vem me buscar ? Eu prometo que deixo tudo pronto pra quando você chegar, deixo a casa arrumada, com pulmão e coração bem cuidados, porque sei que quando te sentirem perto de mim irão querer fazer um baile de carnaval aqui dentro, e vai bagunçar tudo de novo, como sempre. Só não fala nada, só me olha por enquanto, sua voz me causa sensações esquisitas, viciantes, tipo droga, daquelas que você fica louco quando não tem, e a casa já desarrumou demais pra isso, eu não ia saber como arrumar. Mas, se você disser que me ajuda, eu tiro tudo que tem nela pra caber você, pra se aconchegar de corpo e alma aqui, e pode fechar a porta e queimar a chave, ela não precisará ser aberta de novo depois que você estiver aqui dentro.

Jéssica Barreto
Inserida por jessicabarreto

Adoro o cheiro, o mistério, os pensamentos, os olhares, a essência, o não saber, o pensar que sabe demais. Pessoas são estranhas, mas explorá-las pode ser a experiência mais satisfatória e arrebatadora. Por mais que não me dê tão bem socialmente, gosto de olhá-las, conhecê-las. É um mistério pra mim o que se passa por trás de cada olhar, é um labirinto que nunca tem fim, nem resposta. Não que eu queira desvendar, não, não cabe a mim, mas conhecer não arranca pedaço. Quer dizer, depende. Conhecer sem se envolver. Todos têm seus pedaços arrancados, diariamente, em todos os lugares. Somos todos feitos de restos, pedaços de outras pessoas, ninguém se constrói sozinho.

Jéssica Barreto
Inserida por jessicabarreto

Essa história de contos de fadas, onde o príncipe sempre aparece no final e a princesa consegue acabar com a dor de todo mundo é uma grande mentira. Quando que isso vai parar de iludir ? Isso não existe. Nem todo final tem um príncipe, nem toda dor pode ser curada, nem toda princesa precisa de um príncipe e nem todo príncipe precisa aparecer só no final. Pegue sua dor, vai, coloca no lugar da dele, que guardou a dele no bolso pra olhar apenas pra sua. Anda, tira essas adagas da frente, quem faz seu final feliz é você, o príncipe não precisa necessariamente ser um príncipe, nem um namorado, mas pode ser aquele ou aquela que vai te salvar, que troca a própria dor pela sua. Mas não fique olhando pro nada enquanto ele estiver aí, porque uma hora ele cansa.

Jéssica Barreto
Inserida por jessicabarreto

Gosto muito do meu mundinho aqui pra ter que dividir ele com qualquer pessoa. Gosto do meu desarrumado, do meu estranho e inesperado jeito de ser. Se você não provocar qualquer reação em mim, nem espere retorno, não sou movida a teorias, gosto de práticas. Não diga, faça. Gosto de conforto, mas perigo também é reconfortante as vezes. Do que adianta pular um muro sem furar o braço ? O que vai ter pra contar ? Como vai provar que pulou ? Me provoque, não tenho medo de muros altos, muito pelo contrário, o que mais gosto de fazer é tentar destruí-los. Sou do tipo que corre atrás, se gosto. Se não vou, já sabe. Aliás, eu também quero que venham atrás de mim, eu gosto, preciso de vez em nunca. Dizem que o silêncio se hospeda onde não há palavras, mas não pela falta delas, e sim justamente pela fartura, por serem tantas que se atropelariam umas nas outras se tentassem sair todas ao mesmo tempo. Não me julgue pelo silêncio, que na verdade não é silêncio, é essa abundância de não saber como falar, é mais sentir do que dizer, se você sente, então não precisa que eu explique.

Jéssica Barreto
Inserida por jessicabarreto
1 compartilhamento