Izabela Galvão

Encontrados 15 pensamentos de Izabela Galvão

Esquecimento
Entre as extremidades dos sentimentos nunca te senti...
Entre os vastos pensamentos nunca te descrevi...
Entre o amor que declarei o que existiu foi ilusão.
Entre os poemas que exclamei o que senti foi mera desilusão.
Esquecimento sim! Esquecimento foi o que senti...

Izabela Galvão
Inserida por izabela_galvao

"Tentei"
Tentei fugir, mas me aproximei.
Tentei correr, mas cheguei perto.
Tentei me despedir, mas me fiz presente.
Tentei tantas coisas...no final estou aqui.

Izabela Galvão

"Entre a espera"
Entre a dúvida você foi a certeza.
Entre a tempestade você foi a calmaria.
Entre a timidez você foi a ousadia.
Entre o eu e você fomos o nós.
Entre tantos eu escolhi esperar você.

Izabela Galvão
Inserida por izabela_galvao

"Alma Nostálgica"

Encontrei-te entre os turbilhões do meu coração,
Não percebi que a tua alma triste buscava pela minha...
Ah alma!
Como percebeste o amor cravado no meu olhar sorridente?
Insensata lembrança que não deixou minha alma nostálgica perceber o amor nas atitudes dos teus gestos.

Perdi-te por pura ignorância amorosa,
Pela atitude de uma alma nostálgica,
Voltada buscar o sorriso de um olhar.

Perdi-te por pura e extrema paixão desenfreada por um olhar sorridente.
Tão perto te achei,
Tão longe te perdi.

Perdi-te, com certeza, perdi-te, pela insistência de uma alma nostálgica.
Ah amor!
Tão difícil te encontrar, mas tão fácil te perder.

Perdi-te! Ah, Meu Deus! Perdi-te!
Agora alma nostálgica,
Podes viver de lembrança,
Porque o teu amor perdeste!

Izabela Galvão
Inserida por izabela_galvao

"Lágrimas"

Na espera foste o sonho.
Na esperança foste o objetivo.
Na luta foste a vitória.
Nas lágrimas foste o sorriso.

Agora, nos livros
És a história,
História que o meu coração insiste em contar,
E tempo chama de você ao sussurrar.

Izabela Galvão
Inserida por izabela_galvao

" Abismo do coração"

O maior abismo é o do meu coração!
O abismo solitário que faz o coração sangrar;
O abismo escuro que o rosto insiste em guardar;
O abismo chamado esquecimento que o meu coração persiste em contar...

O abismo tem nome, rosto e olhar;
Olhar que o meu coração no abismo escuro, frio e solitário esconde, apenas para não lembar!

Izabela Galvão
Inserida por izabela_galvao

" PROFUNDA PERDA"

A rosa murchou desde a tua partida;
O amor ficou adormecido desde o teu triste adeus;
A alegria escondeu-se na profundidade da tristeza;
O sorriso fechou-se na mais séria e profunda solidão;
A fala calou-se dentro do coração;
Os poemas ficaram sem poesia;

Profunda perda causaste ao meu coração, tanto que perdi a inspiração.
Inspiração que fazia a rosa se manter viva, o amor ser vivido, a alegria se mostrar, e o sorriso ter sentido.
A fala e os poemas nunca mais tiveram voz e enredo dentro da minha canção.
Hoje a profunda perda esqueceu-se de procurar o meu coração.

Izabela Galvão

"Sem sentido"

O novo que os poemas calou;
O encanto que um voz suscitou;
O olhar que foi adormecido quando a voz escutou;

A fala que fez o coração tremer quando ouvir você;
Um você incerto pelo semblante, mas certo pelo instante...instante que o olhar não viu, mas o coração sentiu.
Medrosa foi a voz da criatura incerta, porém a eternidade do falar fez festa...A festa no coração marcado pelo olhar sorridente, porém esquecido pelo falar de repente.

Izabela Galvão
Inserida por izabela_galvao

" É TRISTE"

É triste te acompanhar pela visão de outra pessoa;
É triste ver o reflexo do teu olhar em outro eu;
É triste sonhar contigo e não poder te dizer;
É triste te perceber e não te ouvi;
É triste te amar e não poder te contar;

O mais triste é te sufocar dentro de mim...e perder os teus olhares fixos e negros dentro do turbilhão do meu coração.
Acreditar que vou te encontrar dentro de um turbilhão não prometo, mas prometo te observar pelas lentes de outros olhares.

Izabela Galvão
Inserida por izabela_galvao

" A revolta do amor"

A revolta do amor nem sempre faz sentido, pois com apenas um sorriso acaba com o peito abatido;

- Já me revoltei até os poemas queimei- mas, mas -- ao suspirar os versos levantei...que pena que o amor mesmo revoltado arranca as extremadas paixões amordaçadas;
-Mentira! - Gritei eu- em umas das minhas agonias superficiais para designar esquecimento.
-Verdade!- descobri eu- que era o sentimento.
Amor, que amor?! - pensei eu- simplesmente amor, mesmo que revoltado.

Ah! Meu Deus!
A minha maior revolta é ver o amor no olhar revoltado.

Izabela Galvão
Inserida por izabela_galvao

"Prisão de um olhar"
Busquei-te num límpido e tímido olhar;
Achei-me na prisão dos olhos negros e firmes de uma noite de luar;
Perdi-te dentro de uma labirinto de espera e decisões.
Conheço-lhes apenas por palavras, mas desconheço por realidade;
Ilusão seria a prisão de uma canção dentro de um coração que é prisioneiro, sim, prisioneiro de um olhar desconhecido, porém conhecido de uma prisão.
Afirmo-te olhar carcereiro que liberdade não quero do dono do olhar.

Izabela Galvão
Inserida por izabela_galvao

De Tati para Jm
"A eternidade do amor"

Ah, se a eternidade do amor te trouxesse de volta!
Ah, se a tua partida não me deixasse tão sozinha!
Desde a dolorosa mudança descobri, amor meu, o real sentido da expressão "uma só carne".
A carne que por metade se encontra.
Metade, sim, metade que pulsa sozinha, metade sem o teu todo.

Eternidade!!! Oh, eternidade quero meu amor de volta!
Amor que corajosamente amei e continuo a amar.
Oh, morte cruel que levou o amor meu, a metade do meu luar
Hoje, eternamente, hoje, para sempre, hoje, a metade do meu ser dorme sem o teu pulsar.
Oh, amor dos meus olhos, quanto amor te tenho, mas a eternidade não permite de contar!
A eternidade sepultou o corpo, mas não conseguiu matar a beleza do brilho do teu olhar.
Ah, morte, morte cruel!
Amarei- te até os meus dias findar!

Izabela Galvão
Inserida por izabela_galvao

"O pedido de desculpas"

Desculpa-me porque te amo!
Obriga-te-ia ao meu lado ficar se ao menos tivesse coragem de falar,
Mas o que falaria se teus olhos insistem em te denunciar.

Desculpa-me porque te amo!
Ah, os teus olhares me respondem, porém não sei decifrar,
Falar que te amo não posso, então, desculpa-me porque te amo e não posso expressar;
Ah, desculpa-me porque te amo!

Perdoa-me porque por esse desiderato amor não tenho coragem de lutar...
Lutaria...talvez...ah, perdoa-me por te amar;
O verão está chegando e de mim irás ficar longe...
Provarei a longitude eterna, mas o tempo cuidará de matar.

O adeus está perto,,,, por te não irei lutar...
E para terminar essa melancólica paixão gritarei em alta voz:-DESCULPA-ME PORQUE TE AMO!!!

Izabela Galvão
Inserida por izabela_galvao

"Amor decidido"

Ah, amar é uma decisão...Mentira, sussurrou meu coração!
Coração tímido e generoso por tanta paixão;
Ah, o amor decidido que deixa o coração abatido, pois nada faz sentido quando não é sentido nas extremidades do coração!

Decisão eis aí a negação de uma paixão que é uma sensação;
Pergunto-me, hoje, pergunto-me, qual o sentido do amor decidido que não é sentido?! Respondo-me, sim, respondo-me, seria a ilusão de uma decepção;

Grito para que todos escutem: "o amor é uma sensação de estremesse o coração, deixando-o com alta pulsão!"

Por isso, lanço os presentes versos: Ah, o amor decidido que acaba no peito abatido! Oh, fragilidade de uma decisão que neutraliza o coração....és o amor decidido!

Abri mão do coração para amar apenas a intensão, eis aí o amor decisão;
Ah, contento-me em apenas amar, pois amo amar com o coração;

Versos sem rimas és tu amor que amas sem o coração;
Coração congelado tens, pois apenas amas uma decisão.

Izabela Galvão
Inserida por izabela_galvao

Olhares perdidos

Nos olhares perdidos, encontrei as palavras certas;
Nas palavras desencontradas pela enfermidade, encontrei a resposta para o meu coração;
Na fraqueza das tuas emoções, encontrei a intensidade do teu amor;
Sei que te pedir algo em troca do meu amor, não posso, pois estás guardado em ti mesmo...mas te amar é o meu pulsar.

Izabela Galvão
Inserida por izabela_galvao