Itarcio A. L.

76 - 100 do total de 241 pensamentos de Itarcio A. L.

A vida é mesmo estranha. Pior do que o comentário previsível da maioria sobre essa frase ser óbvia, é a constatação de que ela faz sentido na realidade mais limpa de imposições.

Você já quis algo que não sabia o que era? As vezes saudades de uma pessoa que se foi, ou de um sonho que se perdeu. Essas duas podem ser igualmente tristes, se o sonho for a única coisa que você tiver na vida.

Eu me reverso entre variados e excêntricos gostos e vontades, com pouco sentido ou sentido nenhum, milhões de sensações em doses curtas e longas, superficiais e profundas, - em uma explicação excessivamente limitada. Me incomoda o sentir demais, como se qualquer arranhadura fosse uma hemorragia que necessitasse de cirurgia, cada vento frio congelasse o corpo todo e me cremasse a qualquer fraco aquecer.

Mas o sentir demais não me intriga tanto quando a variação com que alterno entre os estados de espírito. Posso amar em demasia ou não expressar sequer reação de sentimento, e isso pode sim ser sincero. Quando já definimos, mesmo que confusos, escolhas que nos levam a diferentes caminhos, a pior decepção provavelmente acompanhe o primeiro amor, o inocente e a posterior perda mental da inocência. Se caso der sorte, tu pode fazer parte do percentual mínimo, aquele das pessoas que se casaram por algo maior que decisão inteligente.

Eu posso ser de direita e esquerda, conservador ou rebelde, encarar as tecnologias facilitadoras como evolução humana ou como razão de todos os problemas. As vezes quero abraçar todas as pessoas, em outras explodir o mundo inteiro. A louca sensação de querer resolver coisas que fogem de minhas capacidades em soluções drásticas e me mantenho apático aos meus verdadeiros problemas. Confio e desconfio em milésimos do tempo. Posso ser alegre e triste, ser taxado de termos modinhas, (aqueles que usam pra nos limitar); viajar entre os extremos e não demonstrar nenhum deles, ou mesmo expressar o que por dentro não existe, desenhar sobre o rosto formas que escondam o que não quero que vejam. As vezes gostaria de ser mais específico, é esquisito não poder me definir. Todas essas possibilidades que juntas formam milhares de outras me cansa o pensamento. Amo e odeio em simultâneo, e as vezes não encontro palavras pra descrever o que sinto. Me irrita explicar a raiva quando esta domina, ou mesmo a tristeza quando conceituá-la só a faz crescer. Talvez por isso correr do mundo em momentos assim continua sendo a melhor opção.

As pessoas nos perguntam, e não significa que queiram mesmo saber sua situação ou vai sentar de teu lado e ouvir teus problemas. A pergunta é algo incrível. Mesmo que não falemos nada, o silêncio é uma resposta livre de interpretações. Não se esconde tantos mistérios e segredos quanto em um ou mais segundos de silêncio em momentos ditos decisivos. Nossa aptidão em dar importância a palavras, sons, imagens, voz. A subjetividade do silêncio em suas reações parece parar o tempo, e só importa um sentido, todos os outros param ao seu momento.

Por aí já encontrei vários possíveis amores, muitos 'quases esquecidos' entre as poucas chances de deixarem o virtual. A distância é cruel em sua essência, torna possível a aproximação parcial, que resiste por algum tempo a ausência física até o encantamento do explorar o desconhecido diminui e torna tudo talvez tão igual antes, talvez ainda mais vazio, ou talvez até melhor, - parafraseando Exupéry.

Eu prossigo só, e ainda sem entender nada. Companhia é ilusão. Somos corpos solitários e sempre seremos, companhia é um estado, não uma condição. Se sujeita as mudanças do tempo, dependendo de outras pessoas pra sensações além do comum. Quanto dura esses momentos é o que define quanta motivação temos na vida. E tem gente que não tem nada, sozinho só. Esses sim viram de perto a face do abandono.

Me falta o ar, desaparecem as palavras, pensar consome, cansa, e pensar demais entristece. Sempre voltamos do caminho dos questionamentos com mais dúvidas do que fomos. Uma coisa aqui e ali resgata resquícios de forças, sorrisos, e eu posso não sorrir hoje, mas nenhum momento tem controle do tempo. Acontecem quando e quanto deveria. São tantos momentos vagando no ar, momentos bons tu procura, momentos ruins te acham.

Itarcio A. L.
2 compartilhamentos

Em tons de solidão pinto esse quarto,
Seis paredes sem saída, e é branco, vermelho, preto.
Simultâneo rabisco as marcas do infeto
Desprovidas de sentido aos que acaso pudessem ver,
A profundidade que uma vida dita bela pode se arrefecer.

Hoje eu prefiro minhas palavras do que você.
Equívoco pensar ao ler que por isso quero voltar,
Mesmo não julgando tudo tua culpa,
Tudo se fez posterior a esses momentos descompassados
A se formar medos e receios que fogem do passado.

É só meu fim quando acabar a tinta,
E tudo de ti de mim expulsar também poderei ir
A lugares impossíveis de se aludir
Por dentro de mim e nunca voltar,
Subscrever o que me faz retorcer, e corroer.

O talvez me abraça forte de incerteza,
Aos futuros passados enquanto escrevo palavras vagas,
Ao desalento da inexistência de possibilidades
Tudo se repete e o que importa a idade, a cidade?
Eu sou meus erros sob a visão do fracasso.

Itarcio A. L.
2 compartilhamentos

Hoje, eu escrevi uma carta. Sem destinatário, seu destino seria somente ir, a lugar nenhum, a todos os lugares. Se espalharia pelo mundo, entre o invisível impalpável, o sobrenatural, e depois, ao divino, e o infernal, em mundos diferentes, inimagináveis, ilocalizáveis e impenetráveis, que em qualquer fraqueza nossa somos proibidos de enxergar um pouco, e ver-se tudo do nada, a calma que nos mantém por tempo indeterminado aqui e lá não-sei-onde no lugar que demos alguns nomes.

Ao tempo que me conta consta tão profundas decepções diminuídas ao nada em comparações, o que passa e o que vem não é real faz parte da lembrança e do desejo, o presente é ilusão, só tentativa de motivação. É êxtase ao meu coração, indescritível a sensação quando os olhos se cansam e são tons de cinza o céu, o sol. Cores, do horror, do amor, a dor, ardor que incomoda meus sentidos aos segundos sincronizados ouço a batida do relógio, só ele ao me torturar na memória de um tempo futuro onde talvez seja tudo mais escuro, e me incomoda não poder andar nem enxergar. Anseio desolado que a morte seja maior agrado, quem nunca sentiu e ignorou pensamentos considerados loucos abafados pelas palavras imediatas de repreensão do desgosto de não ter que escolher somente o fim, e só o fim.

Passos curtos, cabeça baixa, somente sombras sem cadência, indiferença, ninguém vê, só números e as vezes nem isso...

Que essa luz no fim de alguma coisa possa ser o alívio, ou o precipício, que dê fim ao imperfeito físico e ao espírito, se decompõe em processo lento quase que em pesar fúnebre e lágrimas de vento soprando aos pedaços engolidos ou levados, dissipados ao nada até não poderem mais se recompor, projetando o que sou na representação mais fiel da insignificância dessa minha existência tão confusa.

Itarcio A. L.
Inserida por itarcio

Falam de amor e amizade como se existisse sinceridade
A fraqueza que me busca me enforca e maltrata
Do que foram tantos bons momentos e agora nada
Se muitas palavras não valem uma atitude
Pensei ser nossa amizade uma virtude

Mais do que as dores do coração por romances
A decepção foi ainda maior por não esperar
Como pode de tantos abraços não lembrar
As várias histórias de cumplicidade, não enxergava falsidade
A vida afasta as pessoas ou somos nós que nos afastamos

Cansei de te avisar por palavras ditas e escritas
O que eu me tornava não queria pra tua vida
Mas teu caminho foi mais curto e eu me culpo por te deixar
Distante fazia questão de me aproximar
Mas te perdia para presenças e emoções constantes

Me conhecia tão bem mas não se importou
Teu egoísmo te transformou, me machucou
Hoje o lamento e comodismo toma conta
Só posso seguir, sem lembrar, nunca esquecer
Tuas desculpas nunca vão me convencer

Itarcio A. L.
Inserida por itarcio

Prossigo a passos curtos para lugar nenhum
Por tantas vezes me entristeci em ser só mais um
Perdi a noção do que se faz segundos sem ti
E por mais que tente desses pensamentos não consigo fugir

Poderá o sol que aquece e clareia me dar razão pra esse dia?
Ou as nuvens ao céu, nunca paradas, dissipadas, inconstantes
Como a vida que se passa e nunca pára, dissonante
Eu só queria voltar e viver todos os anos em um segundo

Mesmo que todo o resto não se movesse
Te olharia e te tocaria, sem retribuição
E não seria tudo novo te querer sem reação
Me serviria como fuga desse meu mundo de aflição

Itarcio A. L.
Inserida por itarcio

Não sei a qual destino caminham as pessoas, nem há como supor com muitas chances de acerto se elas refletem sobre onde nossos passos estão nos levando. Fomos por centenas de anos em várias gerações dominados e manipulados sutilmente através da mídia e politica a pensar de um só modo. Nosso raciocínio se condiciona ao que vimos, ouvimos, lemos, e se adestra à vontade dos que subliminarmente jogam entres os bastidores das grandes decisões e trocam a vida humana por praticamente nada. Se liberte da apatia a teorias conspiratórias, o termo não define a realidade, isso ocorre a todo momento invisivelmente, longe dos olhos da massa sedenta por escândalos mínimos de corrupção, mortes, sequestros, que vibram em brigas de vizinhos e ladrões de galinha, ligam a tv ao meio-dia e se alimentam de sangue que escorre dos ignorantes que se matam.

Nos jornais manchetes de tragédias ditas naturais, e todos se solidarizam com o terremoto num país pobre, como se nunca tivessem visto o mendigo pedindo esmola em frente ao seu trabalho ou o casal vizinho de sua rua desempregado que não sabe o que dar para os filhos comerem, ou até nunca soubessem que esse mesmo país do terremoto sempre sofreu com a fome, condições precárias e doenças.

A hipocrisia habita em nossa personalidade em tal profundidade que nos comovemos quando todos se comovem, votamos em quem todos votaram, assistimos o que todos estão assistindo e usamos as roupas que dizem para usarmos. Marionetes de um sistema empodrecido, o caos se confirma nas baixas camadas da sociedade. Enxergamos apenas o que querem que vejamos e nas corrupções políticas chegamos a pensar realmente que alguém vai pagar por aquilo. O processo se repete em loop, e ninguém paga por trair a própria raça, cospem na cara de nossa dignidade e achamos tudo muito bom, tão bom que elegemos as mesmas almas sujas na próxima oportunidade.

Hoje não vou falar de amor, não diretamente. Escrevo sobre o horror razão da ausência desse amor nas almas soberbas e frias à singularidade dos sentimentos bons. Se seus valores são poder e dinheiro, se não há espaço na tua vida pra jogar conversa fora com um amigo ou olhar o pôr-do-sol no fim da tarde, se mal se vê no espelho e nem se quer se conhece por estar ocupado demais tentando ser o chamado "alguém" aqui, tua consciência te convida a parar agora. Não encare todas essas palavras como mais uma tentativa de controlar sua mente nesse bombardeio psicológico, nem se conceitua em sensacionalismo para atrair atenção. É isso que é a realidade que ignoramos e acontece de todos os lados.

Diminua o passo, feche os olhos e imagine se esses eram teus sonhos quando criança, e se essas são realmente suas vontades, ou vontades que impuseram em tua vida. Não é auto-isolamento social, não é incentivo ao suicídio, somente reflita quem era e em quem se tornou. Desconfigure sua mente e liberte-se das imposições. Se quiser mudar o mundo, primeiro, mude a si mesmo, todos os dias.

Itarcio A. L.
2 compartilhamentos

Era paz aos olhares alheios de insinuações pouco baseadas na intensidade da realidade. Para alguns preocupação ignorada, e a maioria nem sequer importância davam. Desenhava, entre as grades, pelas faces e tocável céu onde pudesse letras formarem versos, curtos ou longos, mas de expressões decodificadas para clara interpretação da agonia.

Itarcio A. L.
Inserida por Keeila

Se tá sozinho, ou as pessoas não te suportam, ou tu não suporta as pessoas.

Itarcio A. L.
Inserida por itarcio

Conserte o que tiver controle, e o que não conseguir se conforme porque muitas coisas fogem de nossa decisão.

Itarcio A. L.
Inserida por itarcio

Nossos medos são traidores. Nos levam a outros medos, que maiores, nos engolem, como estar no fundo poço, mas descobrir que esse fundo é falso.

Itarcio A. L.
2 compartilhamentos

Quando perdi a graça em memórias tuas, se foi também a inspiração das frases com tanto rancor. Agora são lembranças sem cor.

Itarcio A. L.
Inserida por itarcio

Tenho uma lista de frases pra você que ficarão guardadas se petrificando em mágoa.

Itarcio A. L.
Inserida por itarcio

Cada um vê de modo diferente e dá ênfase em coisas que lhe convém ou lhe parecem mais importantes.

Itarcio A. L.
Inserida por itarcio

O ócio inspira reflexão, e a solidão produz as mais profundas palavras. A felicidade e ocupações minimizam essas possibilidades.

Itarcio A. L.
Inserida por itarcio

Eu deixo se perderem os pensamentos quando me faltam palavras para expressá-los. Me decomponho um pouco mais cada vez que isso acontece.

Itarcio A. L.
Inserida por itarcio

Sobrevivo das remotas expectativas de nossos futuros encontros.

Itarcio A. L.
3 compartilhamentos

São os sonhos que sustentam nossa persistência pela vida. Mas o tempo passa, e é indispensável lembrar que só existe o agora para tentar.

Itarcio A. L.
3 compartilhamentos

São os sonhos que sustentam nossa persistência pela vida. Mas o tempo passa, e é indispensável lembrar só existe o agora para tentar. O amor continua superior, sublime, sempre. Queira que ele exista em tua vida, e não vai precisar de mais nada.

Itarcio A. L.
Inserida por itarcio

Constato tristemente que a bestialidade consciente tem aumentado de modo desenfreado.

Itarcio A. L.
2 compartilhamentos

Escrevo o que ninguém quer ler como um poema recitado para cadeiras vazias. Pessoas vazias.

Itarcio A. L.
Inserida por itarcio

Depois que se conhece o ruim chega a pensar que nada mais é tão bom.

Itarcio A. L.
Inserida por itarcio

Me acho um psicótico, a procura de alguém pra vida em um mundo de relacionamentos descartáveis. As pessoas tem medo de alguém assim.

Itarcio A. L.
2 compartilhamentos

Tudo se resolve ao fechar do olhos.

Itarcio A. L.
Inserida por itarcio

Contar a vida de forma crescente é para criar a ilusão de progresso. Mas no final todos morremos.

Itarcio A. L.
Inserida por itarcio

A essência da racionalidade consiste em manter-se racional perante o irracional.

Itarcio A. L.
Inserida por itarcio