Fagner

Encontrados 15 pensamentos de Fagner

Não se move uma montanha. Por um pálido pedido. De alguém que não se ama.

Inserida por katiafera

Quando penso em você, fecho os olhos de saudade.

Fagner

Nota: Trecho da música "Canteiros", baseada no poema Marcha de Cecília Meireles.

E sem o seu trabalho. Um homem não tem honra. E sem a sua honra. Se morre, se mata.

Canteiros

Quando penso em você fecho os olhos de saudade
Tenho tido muita coisa, menos a felicidade
Correm os meus dedos longos em versos tristes que invento
Nem aquilo a que me entrego já me traz contentamento
Pode ser até manhã, cedo claro feito dia
mas nada do que me dizem me faz sentir alegria
Eu só queria ter no mato um gosto de framboesa
Para correr entre os canteiros e esconder minha tristeza
Que eu ainda sou bem moço para tanta tristeza
E deixemos de coisa, cuidemos da vida,
Pois se não chega a morte ou coisa parecida
E nos arrasta moço, sem ter visto a vida.

Fagner

Nota: Para escrever a música "Canteiros", Fagner se baseou no poema Marcha de Cecília Meireles.

Só uma palavra me devora, aquela que o meu coração não diz.

Vida da minha vida.
Vida do meu viver...
Viver sem ti não é vida.
Viver sem ti não é viver!

Meus olhos são dois velhos pobrezinhos. Perdidos pelas noites invernosas. Abertos sonham mãos cariciosas. Tuas mãos doces, plenas de carinhos.

Inserida por ajeum

Borbulhas de Amor

Tenho um coração
Dividido entre a esperança
E a razão
Tenho um coração
Bem melhor que não tivera...
Esse coração
Não consegue se conter
Ao ouvir tua voz
Pobre coração
Sempre escravo da ternura...
Quem dera ser um peixe
Para em teu límpido
Aquário mergulhar
Fazer borbulhas de amor
Prá te encantar
Passar a noite em claro
Dentro de ti...
Um peixe
Para enfeitar de corais
Tua cintura
Fazer silhuetas de amor
À luz da lua
Saciar esta loucura
Dentro de ti...
Canta coração
Que esta alma necessita
De ilusão
Sonha coração
Não te enchas de amargura...
Esse coração
Não consegue se conter
Ao ouvir tua voz
Pobre coração
Sempre escravo da ternura...
Quem dera ser um peixe
Para em teu límpido
Aquário mergulhar
Fazer borbulhas de amor
Prá te encantar
Passar a noite em claro
Dentro de ti...
Um peixe
Para enfeitar de corais
Tua cintura
Fazer silhuetas de amor
À luz da lua
Saciar esta loucura
Dentro de ti...
Uma noite
Para unir-nos até o fim
Cara-cara, beijo a beijo
E viver
Para sempre dentro de ti...
Quem dera ser um peixe
Para em teu límpido
Aquário mergulhar
Fazer borbulhas de amor
Prá te encantar
Passar a noite em claro
Dentro de ti...

Não sou alegre nem sou triste, sou poeta.

Inserida por CASSIABERCOT

Calça nova de riscado
Paletó de linho branco
Que até o mês passado
Lá no campo ainda era flor
Sob o meu chapéu quebrado
O sorriso ingênuo e franco
De um rapaz novo e encantado
Com vinte anos de amor....

Inserida por taluchapol

Esse coração. Não consegue se conter. Ao ouvir tua voz

Eu vou te mostrar o amanhecer, vou te mostrar como é lindo ver as flores nascer e como o mundo fica mas colorido com você e só este momento não é o suficiente para descrever tudo que sinto por você. O que tenho para dizer ninguém precisa saber cabe apenas entre eu e você é mais do que prazer e muito mais do que imagina ser, talvez até mesmo algo que nem eu saiba descrever.

Inserida por fagneroliveira

Na boca um sabor de veneno,
No peito aquele nó!!!

Fagner

⁠Vem chegando a velhice. Sinto-me inútil, e não existe misericórdia para a inutilidade. Quando não há serventia, joga-se fora! Toda a velhice é solitária.

⁠Você vai fracassando e escolhendo coisas novas para fracassar novamente. Para cada tentativa, um novo fracasso. Vamos vivendo de fracasso em fracasso. A cada dia um fracasso diferente.