Edite Lima 60

Encontrados 7 pensamentos de Edite Lima 60

⁠Dia cinzento

dia de chuva

Vejo lindas flores

respingadas no jardim

ouço o pipilar

do passarinho escondido

entre as folhas da mangueira

E você ????

O que vê?

O que ouve ?

editelima 60 / Janeiro 2022

Inserida por editelima

⁠Um dos meu momentos preferidos é sair para uma caminhada à tarde

. O entardecer é a hora mágica. Aos poucos o sol vai declinando e trazendo as sombras que culminarão com o anoitecer.
Enquanto há claridade meu olhar segue acompanhando
o declinar do sol por entre a ramagem verde.
Sol que brinca de esconde- esconde.
Sol que me cega com seu brilho .
Sol que me mostra que não estou só....
Neste momento sinto a energia Divina agindo em mim.

Eu sinto o calor do sol
Eu vejo o brilho
da luz de diamante ,
luz da humildade
luz da sabedoria
luz da misericórdia
Luz que aquece minha pele
Mas também aquece meu coração

O pulsar do sangue correndo em minhas veias,
as batidas do meu coração,
a sensação de liberdade,
o sentir a natureza ,
o vai e vem
no balanço das folhas ,
a brisa que roça meu rosto
me falam de um Deus que me acompanha.
Que me diz : "estou contigo e não abro mão "

Mesmo que não haja sol ,
e as nuvens possam estar escuras

Meu brilho te acompanhará
Sempre !!!

Inserida por editelima

Chuva e poesia

⁠Lá fora a chuva fina , chuva fria

Chuva que continua a cair

chuva que fertiliza a terra

Traz um pouco de nostalgia

Mas também ao coração alegria


Olho pela janela

Vejo a paisagem cinzenta

a chuva continua fina e lenta



Parece que o dia demora

a tarde que se prolonga

a chuva a cair lá fora

nesta monotonia fria e modorrenta

Um silêncio que perdura

e a vontade de madornar aumenta



edite lima 60

2017

Inserida por editelima

⁠Sempre admirei a arte do bordado. Minha habilidade nesta arte não é das mais apuradas, mas o suficiente para me perder na magia que envolve todo seu significado.

Alguns autores dizem que bordar o tecido é o mesmo que bordar dentro de nós. A arte de bordar se mistura com a arte de viver.
Uma bonita analogia quando se compara as tramas do tecido com as tramas da vida. No entrelaçamento dos fios e linhas os entrelaçamentos próprios da vida cotidiana.
O cuidado na escolha dos matizes é o mesmo cuidado na escolha das amizades.

Escolher com atenção os afetos que irão deixar nossa vida mais colorida e alegre. Com fios preciosos e de boa qualidade o resultado final será um bonito desenho. É como colocar ao nosso lado pessoas especiais que deem significado às nossas vidas e que realmente nos valorizem.

.Em cada ponto dado, um passo na caminhada do dia a dia. Quando bordamos procuramos sempre dar os pontos certos para chegar ao desenho desejado. Mas, acidentes acontecem. E pode-se perder algum ponto. Ou se desviar do gráfico tracejado.

Então é preciso voltar atrás. Desfazer o erro é desmanchar o bordado. Recomeçar tudo de novo com muita paciência. Pode acontecer de ficarem marcas grandes ou pequenas. Como na vida. Mas o importante é o valor que se dá a cada ponto. Ou a cada passo.

Errar, desmanchar. Cair, levantar e continuar...
Dizem que um bonito e perfeito bordado se admira pelo avesso. É no avesso que nos revelamos. O avesso do bordado revela o capricho da bordadeira. O avesso da vida mostra nossa capacidade em lidar com frustrações e eventuais fracassos. Revela nosso eu interior
.
Um avesso cheio de nós, pontas soltas ou embaralhadas revela uma pessoa descuidada, preocupada apenas com a aparência. E não devemos deixar nos levar apenas pelas aparências.

É no avesso que mostramos nossa capacidade em desembaraçar os nós também da vida. Mostramos nossa retidão e nossa capacidade de superação. Se não se chegou à perfeição, pelo menos tentou caminhar com equilíbrio e bom senso.

O avesso do bordado cheio de nós , pontas soltas ou embaralhadas, revela não só as dificuldades como também nas marcas deixadas pode-se notar sinais de coragem e persistência na tentativa de desembaraçar nós e unir pontas soltas.

Unir pontas soltas ou desembaraçar nós é bordar a vida com amor e paciência para vencer os medos, as angústias, a solidão, as frustrações.
E assim, em cada ponto dado, em cada emaranhado de linhas, ora seguindo adiante, ora desembaraçando nós, vamos bordando a vida. Escrevendo e delineando a própria história.

EDITELIMA 60/ 2016

Inserida por editemendes

⁠Árvores desnudas
galhos esqueléticos
um dia cheio de folhas
folhas que o vento levou
galhos que um dia acolheram visitantes
pássaros que ali fizeram seus ninhos
pássaros saudosos
empoleiram nas extremidades dos galhos
hoje secos ,
cheio de cicarizes,
marcados pelas intempéries
Árvore amiga, sempre acolhedora
Árvore que lamenta
as atrocidades feitas
não só pelo tempo
Mas também pelas mãos do
homem,
insensível, arrogante, prredador
Ah, homem !
Sábio,
inteligente...
Ignoras que a natureza
nosso maior bem
Supre todas nossas necessidades
mas não supre sua ganância .
O preço é alto
Irreversível

editelima60

Inserida por editemendes

⁠A vida é tão passageira, tão fugaz. Muito se aprende com os livros , mas tem coisas que só a vida ensina.
Viver é um risco ! E a duras penas aprendemos isso .
Mas,uma hora tudo passa . Tudo tem seu tempo e seu lugar . Pode não ser agora ,mas uma hora tudo vai melhorar.
Aprendemos tanto , mas às vezes parece que não aprendemos quase nada .

Inserida por editemendes

⁠Dizem que "o tempo cura todas as feridas "
Pode ser , mas o amor , a compreensão , a intenção de perdoar, a fé... colabora muito.
E hoje , ficaram só a lembrança desses versos .
"Clamei ao Senhor e Ele ouviu a minha oração . Obrigada, Senhor."
As cicatrizes eu as carrego como troféus . Elas simbolizam uma dor superada, uma batalha vencida , um amor reconquistado .
Já não doem mais .

Inserida por editemendes