Claudio Edemur Pereira

Encontrados 14 pensamentos de Claudio Edemur Pereira

A noite


Quando a noite chega
Penso em ti
Mas não sei até onde
Consigo...

Quando o dormir me arrebata
Sonho contigo
Mas não sei até onde
Posso...

Quando o dia retorna
Quero a ti
Mas não sei até onde
Mereço...

Quando a semana vai
E não te vejo
Sei que espero
Demais...

Quando o mês se finda
A saudade aperta
Sei que a perco
Aos Poucos...

Quando a chance aparece
A esperança volta
Ganhar, Ter, querer
Mesmo que não mais
Me queiras...

Cledpe 23.06.99

Claudio Edemur Pereira
Inserida por cledpe
1 compartilhamento

Alguém, algum dia, em algum lugar
Marcara seu coração com carinho
Inesperadamente, sem consultar
Ganhará emoção e direitinho
A sua vida vai compartilhar.

Neste dia, o seu poeta e amigo
Inspirado talvez faça rima
Louvando para quem tem abrigo
Vida, emoção e um clima
Amante da cumplicidade contigo.

Cledpe.12.12.2001

Claudio Edemur Pereira
Inserida por cledpe
1 compartilhamento

Vendo a chuva que passa lá fora
Vejo as pessoas molhadas a correrem dela
Olhando em meu reflexo nos vidros da janela
Vejo em que me transformei agora

A chuva molha nossos corpos por inteiro
Mas uma brisa nos enxuga e conforta
Mas no meu íntimo, um amor verdadeiro
Embala sentimentos que ninguém se importa

E comparo a chuva a mim
Ela molha o corpo e escorre
Eu vivo esperando um sim
De um amor que não morre

E o arco íris triunfa finalmente
Irradiando suas básicas cores
E aqui sem pesar ou amores
Fecho a janela do presente..

E o desespero cresce e se agiganta
Enquanto o tempo continua a correr
Tudo quero dar e nada posso fazer
Se o amor me aquece e encanta
Mesmo sufocado em meu ser.


Cledpe – 23.06.1999

Claudio Edemur Pereira
Inserida por cledpe
1 compartilhamento

O tempo passa, mas você não. Você que faz questão de me acorrentar Mede exatamente as doses necessárias Para um perfeito cativeiro. Será isso ao acaso ou friamente calculado? Não sei, parece que nunca saberei Passei dias, meses, anos sonhando Com o teu toque, teu tato, teu contato E, quando o senti, fugiu-me a coragem, Encruzilhou-se-me o pensamento e o coração. Tantas coisas não feitas, perdidas no tempo... Nunca ditas, feitas, sentidas, vividas... Mas o fio condutor faz-se sempre presente O jogo continua indefinidamente. E a dúvida sempre está no ar. A verdade não pronunciada não pode ser compreendida. Resolução: não há! Enquanto um manipula, outro é manipulado. E o fim? E o fim?! ...

Claudio Edemur Pereira
Inserida por cledpe
1 compartilhamento

Não sei.... o ontem vivido aconteceu
e o amanhã indefinido ainda virá
Para conduzir a paixão que nasceu
A uma encruzilhada de espírito e alma,
Uma fusão de vento e água
E desejos não contados...

Claudio Edemur Pereira
Inserida por cledpe
1 compartilhamento

Noite fria, noite sem você ...

Acordei e ainda era madrugada
Senti o frio do tempo e o frio no coração,
Encolhi-me para me proteger do vento,
Chorei para cobrir meu coração.

Queria que estivesse ao meu lado,
Queria que não existisse esse abismo entre nós.
Se eu pudesse, encheria-o com todas minhas lágrimas
Assim eu te alcançaria,
Ou ainda, deixaria meu coração escorrer,
E assim também te alcançaria...

Mas não é possível chorar tanto,
Não é possível sangrar o bastante; (não sozinho)
Mas possível é deixar meus pensamentos criarem asas,
E com elas, voar por sobre todo o abismo,
Por sobre qualquer distancia
E te envolver nos meus braços,
Encostar-me em teu corpo e aquecer-me,
Aquecer meu coração ....

Assim foi, até as lágrimas cessarem,
Até o frio passar, até eu conseguir dormir,
Mesmo que através dos pensamentos,
Consegui dormir ao teu lado.

Claudio Edemur Pereira
Inserida por cledpe
1 compartilhamento

O fogo

Assim como o atrito de duas pedras
Produz faiscas e queima
O atrito de nossos dois corpos
Produz desejos e loucuras

Se para alimentar as chamas
Usamos roupas, brincos ou adornos
Para aquecer e manter desejos
Usamos olhares, carinhos e beijos.

Passado o ímpeto inicial de calor
Restam cinzas e a brasa
Da fogueira.
E restará um imenso amor
E lembranças impagáveis
De momentos que
Vivemos...

Cledpe – 31.07.2001

Claudio Edemur Pereira
Inserida por cledpe
1 compartilhamento

PELE E LENÇÓIS


Que contraste entre duas semelhantes
Coberturas de belezas amigas
O linho que esconde gotas brilhantes
De suor de amor e fadigas
Amortecidos pela loucura que antes
Explodiram em bocas e vigas
Que se buscavam incessantes.

E agora, passado o fogo do desejo
Olho a ti, submissa, a sussurrar
Elevo-te a meus lábios e um beijo
Nasce espontâneo e vem se depositar
Em sua pele macia que é onde almejo
Para todo sempre possuir e amar.

O reflexo num espelho mostra na meia luz
Metade cor morena de sua pele bela e amada
Enquanto a outra metade sob o lençol me seduz
Porque sei que a metade aparente é somente a metade
Da outra metade do todo que amo e que me reduz
A ser para você metade amor, metade saudade.

Claudio Edemur Pereira
Inserida por cledpe
1 compartilhamento

Pensando em ti

Quando a noite cai e o silêncio vem me acalentar
Penso em ti
Quando procuro seu numero, seu nome, sua voz
Penso em ti
Quando fecho os olhos e imagino rostos e corpos
Penso em ti
Quando procuro imagens, sons e carícias
Penso em ti

Porque, pensar em ti é ter-te sem possuir-te
Porque pensar em ti é amar-te sem magoar-te
Porque pensar em ti é viver cada minuto
Saboreando a maior dádiva do mundo:
Exaltar a vida.
A vida que exala
de ti...


Cledpe – 31.07.2001

Claudio Edemur Pereira
Inserida por cledpe
1 compartilhamento

Real ou Virtual

Se em uma realidade diferente
Encontrasse uma razão de vida e sentimentos belos
Consideraria acaso ou será que seria somente
Um irreal encontro de destinos paralelos??

Mas como definir o que é virtual?
Sentir carinho é abstrato
e no entanto tão real
Que mesmo após constatar um fato
Separar sentimento é normal
E o que sobra do ato
São só lembranças...
afinal.

Cledpe – 30/12/2001

Claudio Edemur Pereira
Inserida por cledpe
1 compartilhamento

Urgencia

Se em seu coração que palpita
Bater a falta urgente de amor
Procure meu sorriso e carinho
Para confortar essa dor.

E depois de devidamente curada
Faça um pagamento correto
Devolva amor a quem te amou
Me fazendo seu predileto..

Claudio Edemur Pereira
Inserida por cledpe
1 compartilhamento

Os meus sonhos, dormem e sem acordar
Me forçam a lábios e boca lembrar
Os meus sonhos, os seus traços
Pois estarão sempre a repousar
nos Teus braços ..

E não importa o tempo que dure
porque enquanto de sonhar
e meu coração por ti palpitar
Será como se estivesse com Você
Posso sonhar, sonhar e sonhar.

...o tempo se vai, passam-se anos assim...
mas algo sempre guardarei...
o Teu amor, que um dia eu encontrei
A ainda morar inquieto dentro de mim.

Minhas lembranças, nada pode levar
Um amor tão belo não deve acabar
Os meus sonhos, o tempo não vai enterrar
Porque vida que recebi ao te amar
Ficou imortal ao reter um sorriso
Ficou divino ao entender que é preciso
Reconhecer que a vida que nos faz chorar
É a mesma que um dia me fez te encontrar.

Claudio Edemur Pereira
Inserida por cledpe

Distância

Se na imensidão das estrelas brilhantes
Meu coração fosse procurar o que sente,
Com toda certeza, hoje, mais que antes
Seria a vontade de te ver novamente.

E se te reencontando renascesse o desejo
De fundir nossas almas em ternura caliente
Poderia passar a eternidade num beijo
Que nos unisse em dueto ardente

Onde eu seria você
Você seria eu
E ambos seriamos só um.
E seriamos teu e meu.

Claudio Edemur Pereira
07-05-2017

Claudio Edemur Pereira
Inserida por cledpe

Sinceramente, todos os dias quando penso na gente,
Lembro que eu gostaria de ter ficado mais.
Eu gostaria de estar ao seu lado, ou em frente
Para quando as coisas começarem novamente.
Se o mundo permitisse de novo, aportar em seu cais.
Lançaria as amarras para o resto da vida
e estaria para sempre te fazendo querida.
Mas fechei meu coração,
E quem lá estava...
Ficou.
Nada mais a fazer...
Resta-me relembrar e reviver.

Claudio Edemur Pereira
Inserida por cledpe