Camila Ortiz

Encontrados 4 pensamentos de Camila Ortiz

Quero uma dose, todos os dias, preciso de doses, quero uma dose de paciência, uma dose de bondade, dose de alegria, de felicidade, quero uma dose de esquecimento, preciso de doses de família, doses de amigos, preciso de uma dose de sorrisos infantis, e de alguns sorrisos adultos também, preciso de uma dose diária de amor, de todo o tipo de amor, imploro por doses de esperança, de crença, de fé.
Mas preciso principalmente de um bar onde me venda todas essas doses, de preferência misturadas, de todos as cores, um arco-iris dentro de um copo, hoje eu quero tomar um porre, hoje eu preciso de todas as minhas doses, e quero tantas delas, mas tantas, que vou esquecer meu nome e meu endereço, hoje eu vou tomar um porre, hoje ninguém me segura, hoje eu vou tomar um porre.
Vou tomar um porre tão grande, que vou dançar sem vergonha alguma, vou sorrir para todo mundo, vou conversar com qualquer um que queira conversar, vou abraçar crianças, comprimentar estranhos, vou gargalhar despretenciosamente, vou fazer amizade com o barman, vou ficar tão amiga dele que vou ganhar várias das minhas doses, hoje vou ser tão feliz como nunca fui na minha vida, vou cantar com pessoas que nunca vi, vou tocar instrumentos musicais que nunca toquei, vou conhecer gente nova, músicas novas, danças novas, vou esquecer de mim, e torcer para que as pessoas não me esqueçam.
Hoje vou esquecer de voltar para casa, só por hoje a minha casa será o mundo, só por hoje não vou sentir culpa, não vou sentir culpa de ser quem eu sou, não vou sentir culpa pelos meus atos, não vou sentir culpa por mim, nem por ninguém, só por hoje, não vou me desculpar. Hoje não vou sentir vergonha, não vou me envergonhar de rir alto, não vou me envorgonhar de falar besteira, hoje vou falar besteira sem culpa e não vou me envergonhar, não vou sentir vergonha das pessoas, e nem vergonha alheia.
Hoje, só hoje, vou ser feliz, não importa o que aconteça, vou ser feliz, e ninguém vai me impedir, hoje ninguém vai me julgar, hoje eu vou ser feliz! E quem quiser me acompanhar faça o mesmo pedido em qualquer bar:
- Garçom, baixa uma dose de felicidade pura, sem inibições por favor!
E repita essa frase muitas vezes, quem quiser me acompanhar abra os braços e grite para o mundo:
-HOJE EU VOU TOMAR UM PORRE!
E por favor não me levem para casa, hoje eu vou ser feliz, só hoje, amanhã eu volto a ser normal!

Camila Ortiz
2 compartilhamentos

Hoje me perguntaram se sou covarde, rapidamente obtive a minha resposta: - Não, não sou, eu sou corajosa. - Mas parando alguns minutos para pensar e analisar, já não tenho tanta certeza disso. Talvez eu não seja covarde para as situações em que eu exponha minha vida ao perigo, em que eu exponha meu corpo, meu físico … o que está fora. Não tenho medo de ir aquele bairro super perigoso, de cair, me arranhar, me machucar, adoraria pular de bung-jump e para-quedas. Mas se eu tiver que expor meus sentimentos, minhas vontades, meus desejos, minhas emoções, o que ta aqui dentro, a situação muda de figura, se o machucado for por dentro, sim eu sou medrosa, a mais medrosa do mundo, sem coragem alguma, me recolho, tenho medo. E toda aquela coragem desaparece. Não tenho medo de arranhões no braço, na perna, na mão seja onde for. Não me amedronto. Não tenho medo de me ferir fisicamente. Tenho medo sim, de me ferir por dentro, machucado, no coração dói muito, na alma então, nem se fala. E quando esses ferimentos são no coração? E quando você, cheia de coragem se entrega e se machuca? Qual o remédio para isso? Você sabe? O meu eu sei. É a coragem de não ter coragem alguma. E se agora vierem me perguntar se eu sou covarde eu vou dizer: depende, se eu me machucar essa dor vai ser dentro ou fora ?

Camila Ortiz
Inserida por milaortiz
1 compartilhamento

Brasília, a cidade onde encontrei um anjo em cada esquina, tudo bem que lá não tem esquinas, seriam quadras? um anjo em cada quadra... É até que não fica errado, a cidade em que encontrei um anjo em cada quadra, e todos eles me ajudaram em algum momento, todos eles estiveram comigo e de alguma forma que talvez nem eles mesmo saibam me salvaram, me resgataram, algumas vezes até de mim mesma, esse é o papel dos anjos não é? Agora me digam se não é uma homengem justa e merecida? Não a cidade mas a todos esses anjos, alguns me salvaram da solidão, outros me salvaram de mim mesma, outros ainda me salvaram de antigos anjos que não me faziam mais tão bem, mas todos me salvaram na hora certa e da maneira certa mesmo sem eu ter pedido nenhuma vez ou apenas poucas vezes, hoje eu venho até aqui para agradecer a cada um deles, dos MEUS anjos, eles sabem quem são, normalmente eu os chamo de amigos, foram conquistados de forma tão inusitada, alguns foram anjos que me resgataram e ao mesmo tempo fizeram de mim um anjo que vem em resgate, outros nem sequer sabem que eram meus anjos e o quanto já fizeram por mim.
Mas existe algo de que me deixa triste, foi ter saido dessa cidade de anjos sem ter falado a cada um deles o quanto me foram importantes, e muitos deles nem sabem disso, tenho por anjos algumas pessoas que mal me conhecem mas naquele momento que realmente precisei eles simplismente passaram por mim e sorriram e esse simples gesto os guardou em mim e na minha lista de anjos, outros se tornaram anjos por, acreditem vocês ou não, não ligarem para mim, exato tenho anjos que em tal ocasião me serviram de "inimigos" por que de alguma forma eles estavam certos me mostraram que eu sou humana e também tenho defeitos, tenho anjos que brigaram comigo, me afrontaram e ainda sim são anjos, cada pessoa que passou por mim ficou guardada como um anjo por que cada uma delas me ensinou alguma coisa, da mãe que negou um algodão doce ao filho no parque da cidade, da aquele individuo que passou por mim quando eu estava atrasada pro trabalho e logicamente correndo que nem mesmo me olhou, até aquele anjo que chorei ao me despedir, até aquele anjo que disse que jamais me esqueceria, até aquele que não se despediu de mim por que desta maneira pareceria que eu ainda estava lá e a este anjo em especial eu gostaria de dizer que eu ainda estou lá, não no corpo mas em cada pessoa que me viu algum dia nessa cidade, em cada pessoa que me fez de anjo também, em cada pessoa que me provocou um sorriso, em cada um dos meus anjos eu estou presente, em cada lugar dessa cidade, eu estou presente, eu não fui embora por completo e nem iria se pudesse, eu amo os meus anjos e jamais poderia viver sem eles, por que até mesmo de longe, quando vou desmoronar eles me seguram e me fazem seguir em frente e eu sigo, por cada um deles eu sigo em frente, eles me carregam.
Neste post eu gostaria de agradecer aos meus anjos, a cada um deles, obrigada MEUS ANJOS por me segurarem, por me levarem no colo muitas vezes, obrigada!
Obrigada aqueles anjos que nem sabem que eu existo mas que são meus anjos.
E principalmente obrigada aos anjos que me permitem tal intimidade a ponto de chama-los amigos a ponto de chama-los de meus irmãos e de minhas irmãs, vocês não são capazes de saber o tamanho da divida que tenho com cada um de vocês, obrigada por me deixarem chorar até perder as forças e sem falar nada me ceder um colo e sem eu pedir estarem lá, obrigada por me lembrar que a calmaria sempre vem no dia seguinte mesmo que nós não acreditemos, obrigada por não desistirem mesmo quando eu já havia desistido, obrigada por me fazerem sorrir em todos os momentos, obrigada por não me deixar vir sozinha, obrigada por virem comigo, obrigada por estarem aqui e obrigada por me deixarem ficar. Obrigada meus amigos!
Obrigada aquele anjo em especial que no dia em que nos despedimos em uma estação de metrô me disse para não chorar, obrigada a você meu anjo, obrigada por estar aqui todos os dias, obrigada por fazer falta, obrigada por me permitir fazer falta, obrigada meu anjo, obrigada por me compreender, obrigada por nunca me repreender, obrigada pelas brigas, obrigada pela saudade, obrigada pelo sorriso, obrigada pela lágrima, obrigada por nossos momentos, obrigada MEU ANJO! Obrigada MEU AMIGO!

Camila Ortiz
Inserida por milaortiz
1 compartilhamento

Conto de fadas feminista

Era uma vez um casal que fazia bodas de prata e estava também celebrando seus 60 anos de idade.
Durante a celebração, apareceu uma fada e lhes disse:

- Como prêmio por terem sido um casal exemplar durante 25 anos, concederei um desejo a cada um de vocês!

- Quero fazer uma viagem ao redor do mundo com o meu querido marido! - pediu a mulher.

A fada moveu a varinha e... zas! As passagens apareceram nas mãos da senhora.
Em seguida foi a vez do marido. Ele pensou um momento e disse:

- Bem, esse clima está muito romântico, mas uma chance dessas só se tem uma vez na vida. Então... Bom, desculpe, benzinho - disse, olhando para a esposa - mas meu desejo é ter uma mulher trinta anos mais jovem do que eu!

A mulher fica chocada, mas pedido é pedido: a fada faz um circulo com a varinha e... zas!
O homem ficou com 90 anos!

Moral da história:
Todos os homens são sacanas, mas as fadas madrinhas são mulheres!

Camila Ortiz
290 compartilhamentos