Brenda Torquato

Encontrados 4 pensamentos de Brenda Torquato

Me peguei lendo aqueles velhos textos. Aqueles que eu escrevia pensando em você, na verdade escrevia pra você, na esperança de que os lesse e sentisse uma partícula do meu amor, do quanto você era importante e do quanto eu era sua, do quando você me tinha. Talvez essa tenha sido o problema. As pessoas gostam do que não tem… E eu te pertencia tanto. Deixei tão na cara que era sua. Lia texto por texto, e via cada vez mais o quanto eu era burra. Burra não, eu era mais que isso… imbecil. Lia e pensava “Acha que ele te amava idiota?”. E pelo modo como eu o descrevia parecia ser um príncipe encantado. Coitado do príncipe, ser comparado a um sapo. Sim, você era um sapo, aliás, ainda é um sapo. Sapo covarde, medroso e burro. Tinha uma princesa, não como as convencionais e perfeitinhas, aliás, princesa essa bem complicada, do jeito dela mas ainda sim era sua, tão sua, só sua… Continuei lendo e chegou na parte do ‘pra sempre’… Ah como eu queria avisar pra aquela garota que escrevia os textos “cuidado, ele vai te abandonar, como sempre, ele já fez isso e vai fazer de novo”. Quem dera se tivesse aberto os olhos, enxergado toda a verdade, aliás, toda a mentira, porque todas as palavras desse sapo rabugento tinha sido invalidadas e desmascaradas depois de tantas promessas quebradas e tantas despedidas. Não fazia sentido nenhum os seus ‘eu te amo’, porque quem ama não abandona, e foi o que fez comigo. E não foi uma vez, foram várias, você ia, logo se arrependia e voltava. Eu ingênua aceitava você de volta de braços e coração aberto, achando que iria ser diferente. Achava que nunca me livraria disso. Disso que nem eu entendo, essa vontade louca de você, talvez vontade não seja a palavra certa, era como uma necessidade … Mas isso tem passado, ás vezes volta com toda força, mas nada que o tempo e uma boa conversa com amigos não amenize. Pois é, agradeço não só a Deus, mas a meus amigos, esses que até hoje não me abandonaram e foram as bases da minha estrutura pra que eu não desmoronasse de vez. Você era meu alicerce, e isso mudou, porque o meu alicerce agora sou eu mesma. Percebeu como mudei? Vai, se esforce mais um pouco que logo perceberá como eu sou agora… Palavras secas e as vezes rancorosas e com certeza mais maduras, nesse sentido eu tenho que lhe agradecer, você com certeza me fez amadurecer, na verdade me obrigou. Desde que você se foi aprendi a me amar antes de amar qualquer outra pessoa. Não dava pra ficar se culpando por não ter dado certo, aliás, o culpado disso tudo foi você. Culpado por inúmeras noites de insônia, por várias maquiagens borradas, por várias vezes partir meu coração, por ter tanto medo de ser feliz, por ter acabado, talvez algo que nem havia começado. Não dava pra ser uma garotinha que colocava a própria felicidade nas mãos de outra pessoa. Sou eu quem tenho que carregar esse peso, esse peso de ser feliz. Tem outra também… Essa coisa de só chorar e só se lamentar, isso não serve pra nada, só piora. E por muito tempo me senti insuficiente, incapaz… besteira, porque tenho certeza que eu havia dado o meu melhor. Mas isso passa, seus pensamentos mudam e você enxerga os fatos de um outro ângulo. Talvez o melhor ângulo para se enxergá-los. E eu enxerguei… Enxerguei que tinha que te deixar ir, aliás, você nunca esteve aqui, então deixei seu caminho e destino livre pra outra pessoa tentar te fazer feliz e espero mesmo que ela consiga. Mas com um porém, antes de você realmente acertar eu quero que você erre bastante e aprenda muito. Quero que sinta uma pequena parte do que eu senti. Que sinta saudade, mas que não volte. Que lembre do dia em que nos falamos pela primeira e última vez, mas que não me procure. Que seu novo amor te leve café na cama como eu planejava, mas que ela não te mime quanto eu te mimava, pra você dar valor. Quero muitas coisas, e a principal é que a minha felicidade nunca suma de perto de mim… Foi tão difícil recuperá-lá… Então, tchau sapo.

Brenda Torquato
2 compartilhamentos

Lá estava eu… Sentada no chão da sala, encostada sobre a porta com o celular na mão. Olhava a caixa de entrada das mensagens de instante a instante, esperando qualquer notícia sua que fosse. Fiquei observando sua foto, aquela que você havia tirado com os amigos em um churrasco de despedida da turma do colégio. Fixei o olhar no seu sorriso, aquele sabe, aquele que eu mais gostava. Fiquei vidrada observando cada detalhe seu, quando a luz do visor do celular se apagou, e antes o que era sua foto agora era apenas uma tela preta e sem graça que mal me refletia. Meus pensamentos rapidamente se voltaram para você, comecei a imaginar onde você estava, se estava bem, se estava feliz, se estava se cuidando direitinho como eu sempre te orientava, pois naquele momento tudo que eu mais desejava era estar ao seu lado, fazendo tudo isso por você, para você. Mas quando me dei conta uma lágrima escorria pelo meu rosto, pois eu sabia que isso não era possível, uma tremenda dor tomou conta de mim, uma dor aguda e gélida. As lembranças vieram impetuosas como se fossem socos e tapas, me fazendo sentir uma enorme saudade de tudo, da nossa cumplicidade, do modo como as coisas eram tão únicas com você. E me lembrar aquilo tudo foi tão doloroso. Mas eu sabia que eu não tinha culpa, a culpa era da sua própria covardia, desse seu medo de ser decifrado, um estranho medo da felicidade. As lágrimas que antes eram de saudades se transformaram em um sentimento de raiva. Raiva pelas promessas quebradas, e juras de amor que eu só havia feito com você, e me fez me sentir insuficiente pra você, quando eu havia dado o meu melhor e como retribuição você pisou com toda força em meu bobo e frágil coração. Coração tolo que te amou com toda intensidade que alguém pode amar outra pessoa, mas eu decidi dar um basta em tanto sentimento por alguém como você, que fez descaso, como se eu fosse sua marionete. Olha como esse amor me transformou, oque antes eram planos pra nós dois, hoje são planos para te excluir de vez da minha vida, do meus pensamentos, apagar da minha memória esse teu sorriso, sua voz envolvente, tudo.. E dessa vez não irei me entregar novamente a você, já dei muito mais que segunda chance pra quem na verdade não merecia nem a primeira. Dessa vez minha decisão vai ser definitava, não aguento mais tanto sofrimento, vou juntar todos os pedaços do meu coração que ainda restaram com todo cuidado e seguirei em frente firme e forte, de cabeça erguida. Só não se esqueça que tudo que vem volta em dobro, toda a dor que eu senti você irá sentir em dobro, boa sorte garoto… te garanto que não será tão facil senti-lá.

Brenda Torquato
Inserida por brendatorquato
1 compartilhamento

Confesso: Doeu além das minhas expectativas. Doeu e me fez chegar ao fundo do poço, mas isso por um lado foi bom, só assim eu pude pegar impulso. E então eu finalmente me desprendi. Olhei aquelas fotos pela última vez como forma de despedida. Li aquelas velhas cartas que havia me enviado, memorizei pela última vez sua letra, seu costume de falar, o modo como me tratava… Senti sua fragrância e me deixei imaginar a temperatura e textura da sua pele, mas aquela foi a última vez que desejaria isso, iria torcer e se precisasse cruzaria os dedos pra nunca mais sentir aquele cheiro que só você possuía. Aquela ali era a despedida definitiva que faltava pra eu me desprender totalmente ao que ainda restava da nossa história. Havia decidido não só mudar o capítulo da história, na verdade decidi mudar o livro, arranquei as páginas mais interessantes dele, e o resto eu queimei. Queimei tudo de ruim que pudesse me fazer lembrar de você, as brigas, discussões, ciúmes, promessas quebradas… Tudo, já as páginas que decidi guardar coloquei em uma caixinha, aquela velha e conhecida caixinha, tem até nome: Saudade. Nela há tanta coisa, flash’s de uma viagem com a família; frases e citações de livros; meu brinquedo favorito; um chaveiro achado em uma das brincadeiras de caça ao tesouro; bilhetes antigos trocados na aula de português; refrões de músicas que marcaram épocas da minha vida; aqueles primeiros olhares de quando ainda se usava a palavra ‘paquera’… Muita coisa boba que pra mim tem valor, pois há um pedaço de mim ali em cada história, e eu não me permito perder mais partes de mim, já perdi tantos pedaços do meu coração. Mas essa caixinha não me impede mais de ser feliz, não me força mais a ficar olhando pro passado, por melhor que ele tivesse sido… E finalmente dessa vez a Saudade já não me amedronta. Ela agora é só mais uma boa companheira, me orienta e mostra o grande valor da vida, ensina a não ter medo de deixar coisas para trás, porque com certeza momentos melhores ainda virão. Pessoas só saem de nossas vidas com o intuito de melhores entrarem, e isso diz respeito também a momentos. Os ruins nos tornam mais fortes e experientes no que se diz respeito à vida, e os bons fazem valer a pena os ruins. Então fica combinado assim: Daqui em diante é um passo de cada vez, mas dessa vez na direção certa.

Brenda Torquato
Inserida por brendatorquato
1 compartilhamento

O meu banho dura mais do que muitos ‘pra sempre’ que falam por aí.

Brenda Torquato
Inserida por brendatorquato