Antoine de Saint-Exupéry

1 - 25 do total de 267 pensamentos de Antoine de Saint-Exupéry

O verdadeiro amor nunca se desgasta. Quanto mais se dá mais se tem.

Antoine de Saint-Exupéry
O Pequeno Príncipe

Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos.

Antoine de Saint-Exupéry

Nota: Trecho do livro "O pequeno príncipe" de Antoine de Saint-Exupéry.

Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.

Antoine de Saint-Exupéry
SAINT-EXUPÉRY, A. de. O pequeno príncipe. Rio de Janeiro: Agir. 1994.

O Homem distingue-se dos homens. Nada se diz de essencial acerca da catedral se apenas falarmos das pedras. Nada se diz de essencial a respeito do Homem se procurarmos defini-lo pelas qualidades humanas.

Mulher: a mais nua das carnes vivas e aquela cujo brilho é o mais suave.

A terra ensina-nos mais acerca de nós próprios do que todos os livros. Porque ela nos resiste.

Cada um é responsável por todos. Cada um é o único responsável. Cada um é o único responsável por todos.

Se a vida não tem preço, nós comportamo-nos sempre como se alguma coisa ultrapassasse, em valor, a vida humana... Mas o quê?

O verdadeiro homem mede a sua força quando se defronta com o obstáculo.

A ordem não cria a vida.

Os homens compram tudo pronto nas lojas... Mas como não há lojas de amigos, os homens não têm amigos.

O progresso do homem não é mais do que uma descoberta gradual de que as suas perguntas não têm significado.

Fica responsável por tudo aquilo que domesticaste.

Não há uma fatalidade exterior. Mas existe uma fatalidade interior: há sempre um minuto em que nos descobrimos vulneráveis; então, os erros atraem-nos como uma vertigem.

A grandeza da oração reside principalmente no fato de não ter resposta, do que resulta que essa troca não inclui qualquer espécie de comércio.

Sacrifício não significa nem amputação nem penitência. (...) Ele é uma oferta de nós próprios ao Ser a que recorremos.

Os ritos são no tempo o mesmo que o domicílio é no espaço.

Amar não é olhar um para o outro, é olhar juntos na mesma direção.

Antoine de Saint-Exupéry
, Terra dos Homens. Editora Nova Fronteira. 2006

Nota: Tradução livre do original "Terre des Hommes".

...Mais

Amem quem vos comanda. Mas sem lhes dizer.

Conhecer não é demonstrar nem explicar, é aceder à visão.

O escravo constrói o seu orgulho em função do ardor do patrão.

A grandeza de uma profissão é talvez, antes de tudo, unir os homens: não há senão um verdadeiro luxo e esse é o das relações humanas.

Ao reencontrar os amigos, todos nós já provamos o encanto das más lembranças.

Tenho o direito de exigir obediência, porque as minhas ordens são sensatas.

É o espírito que conduz o mundo e não a inteligência.