Adriano Hungaro

26 - 50 do total de 107 pensamentos de Adriano Hungaro

SONETO PARA AMAR-TE ETERNAMENTE, ALÉM DA VIDA

Quanta história ainda quero te contar
Quantos beijos ainda quero te selar
Quantos caminhos ainda temos que trilhar
Quanto amor ainda vamos nos doar

Nessa história divertida
Quero ter-te em minha vida
Quero ter momentos mágicos
Por pontos finais nos teus fracassos

Amar-te a todo o tempo
Dentro de mim a todo momento
Sem nenhum esquecimento

Amar-te simplesmente com alegria
Nas nossas manhãs e no fim dos dias
Amar-te eternamente, além da vida

Adriano Hungaro
Inserida por AdrianoHungaro

ESSE AMAR É MINHA PAZ

Pode ser que entre nós
Não exista quase nada
Que os olhares que nós demos
Nunca virem duas palavras

Pode ser que tudo é vão
Que assim é vã a espera
Pode ser que entre nós
Nunca existam primaveras

Pode ser que o nosso encontro
E sua grande infinitude
Nunca passe de quimera
Seja apenas - gesto rude

Pode ser que seja isto
Pode ser um pouco mais
Mas até eu concluir
Esse amar é minha paz

Adriano Hungaro
Inserida por AdrianoHungaro

SONETO DO SONHAR EM TE AMAR

Sonhar que vou te amar não é sonhar
Não é... e nem jamais será uma quimera
Sonhar que para sempre vou te amar
É como acreditar na tua primavera

E nessa infinitude dos sonhos
Indistintamente, passam-se as eras
Passa todo infinito de esperança
Passa toda a energia da matéria

E o meu sonhar em te amar
Não passa e nem se acaba
Ultrapassa a vida mais concreta
Sobrepõe-se a toda vã espera

O sonhar em te amar, não é sonhar
Não é... e nem jamais será uma quimera

Adriano Hungaro
Inserida por AdrianoHungaro

SONETO DOS TEUS ARCO-ÍRIS

Que nunca sejam gris teus arco-íris
Que tenham muito mais que sete cores
Que tenham muito mais que amplitude
Que a vida que colorem seja doce

E doce eternamente em bons sabores
Brilhantes num jardim cheio de flores
Radiantes e refletindo sentimentos
Gravando para sempre bons momentos

E que as cores se espalhem pela terra
Perfumadas pelas lindas primaveras
Renovadas pelo amor que te espera

Tuas cores de arco-íris radiantes
Coloridas nos caminhos, cintilantes
Preciosas como os grandes diamantes

Adriano Hungaro
Inserida por AdrianoHungaro

RECEITA DE UM AMOR

Precisa ter carinho, precisa ter abraços.
Precisa ter palavras e gestos delicados.
Precisa ter bons beijos, precisa ter desejos,
Precisa ter paixão, queimando o coração.

E precisam ter sorrisos e muita alegria...
Precisa ter juízo e sempre compromisso.
Precisam ter ajustes e alguma inquietude;
Não pode ter tolices e nem viver mesmices.

E precisa mais que isso.
Não pode existir dor e nem ter falsidade...
Precisa existir sempre... verdade, só verdades.

Para manter um grande amor...
Precisa ter postura, ter doses de loucura
E bom jogo... bom jogo de cintura.

Adriano Hungaro
52 compartilhamentos

SONETO DO POEMA DO AMOR ETERNIZADO

Se te escrevo um verso de amor
Ele será para sempre um verso amado
E dentro de mim pode haver só dor
Mas é a dor do meu amor, não te doado

Se te desenho enfim, novo poema
Para mim há sempre nele um belo tema
Um poema de amor eternizado no infinito
O teu poema de amor sempre tão lindo

E que ecoe para sempre e por toda a vida
Na hora alegre da chegada ou
Na hora triste da fria despedida

O meu poema desenhado é para ti poema amado
Poema que te escrevo por nosso amor
Por nosso amor... para sempre eternizado!

Adriano Hungaro

SONETO DOS POEMAS MAL ESCRITOS

Quanta bobagem eu leio em teus poemas
São poemas que, para mim, não dizem nada
Eu prefiro emudecer e não escrever
Se tiver que desenhar tuas vãs palavras

Teus poemas são de fato: inexpressivos
Os teus temas quando lidos: doem ouvidos
Os teus versos são no fundo: mal escritos
E vive-los faz brotar - um mal sentido

Teus poemas são lamentos e tristezas
Lá no fim, só demonstram tua pobreza
Sem contexto, sem paixão, não têm clareza

Então veja e emudeça nas palavras
Teus poemas - mal escritos - causam náusea
Sem vernáculo, sem idéias e sem alma

Adriano Hungaro
Inserida por AdrianoHungaro

SONETO DO AMOR NA PRIMAVERA

Dá-me todas tuas rosas nesta nova primavera
Dar-te-ei em troca muito mais do que esperas
Dar-te-ei luz, novas cores, novas eras
E meu amor, muito mais do que quimeras

Por tuas rosas, dar-te-ei a minha vida
Dar-te-ei tudo, tu serás minha querida
Para sempre a minha amada
Pela simples poesia desenhada

E nos caminhos mais floridos, dar-te-ei dias tão lindos
Entre todas tuas rosas, dar-te-ei a minha prosa
Dar-te-ei o meu estar e a razão mais exata de sonhar

Nessa nossa primavera, muito mais que tuas rosas
Dar-te-ei o meu calor, dar-te-ei todo meu ar
Dar-te-ei o meu amor, simplesmente por te amar

Adriano Hungaro
Inserida por AdrianoHungaro

AMAR EU SEMPRE AMEI

Amar... quantas vezes eu amei,
Em tons e cores, edredons, sabores.
Amar de modo indefinido,
Amar sinceramente, de modo lindo!

Um amar inexplicável, um amar mais que bonito
Entre rosas e primaveras, um amar de eras...
Um amar tão lindo, que só se pode
Compará-lo ao fim do infinito!

Um amar cheio de certezas, cheio de clarezas
Um amar sem procurar respostas.
E esse amar como eu amei,
Em versos refinados, em belas prosas.

Amar eu sempre amei; entre poemas e rosas
Entre a magia inexplicável de saber que se sabe amar
Sem precisar saber respostas; de forma indefinida,
Só a forma de amar, a de amar por toda a vida!

Adriano Hungaro
Inserida por AdrianoHungaro

SONETO DOS BEIJOS MOLHADOS DE MALDADE

Era uma vez um amor
Que fez da dor sua morada
Um amor que desamou
No desamor de uma estrada

E no desamor fez história
E dela uns mil poemas
De cada poema brotou
Mil lágrimas, dez mil dilemas

E as lágrimas por pura vaidade
Na boca molhada beijaram
Por desamor e maldade

E o beijo por pura maldade
Nas bocas tão doces que esteve
Deixaram salgadas saudades

Adriano Hungaro

SONETO DOS TEUS BEIJOS

Que sejam para sempre bem molhados
Molhados e com gosto adocicado
Teus beijos em mil beijos bem selados
Teus lábios beijam sempre apaixonados

E além de serem doces e molhados
Que teus beijos sejam em mim despudorados
No toque tão lascivo do pecado
Teus beijos para sempre eternizados

Eu quero ter teus beijos minha amada
Com boca, com tua lingua, com teus lábios
Ter sempre esses beijos bem selados
Bons beijos com o gosto do pecado

Teus beijos entre nós despudorados
Na certeza de um beijar apaixonado

Adriano Hungaro

Já vi muitos carvões virarem diamantes. Todavia, nunca consegui ver nenhum diamante que tenha virado carvão.

Adriano Hungaro
Inserida por AdrianoHungaro

Se a vida me apresenta um mar bravio, eu sorrio. Afinal, adoro navegar por tempestades!

Adriano Hungaro

Permito-me viver apenas com um limite: o limite de viver de forma ilimitada.

Adriano Hungaro

Existem dois tipos de mulheres: aquelas que gritam para chamar a atenção e aquelas que chamam a atenção sem dizer uma palavra.

Adriano Hungaro
125 compartilhamentos

Você pode até conseguir tirar minhas cores, meus sons e meu ar. Você pode até conseguir tirar meus sóis e minhas noites estreladas. Todavia, jamais conseguirá tirar de mim meus sonhos.

Adriano Hungaro

Não pode ser imortal posto que um dia morreremos.
Mas será eternamente infinito enquanto vivermos!

Adriano Hungaro
Inserida por AdrianoHungaro

Fui ali no céu brincar com as estrelas, domar cometas e saltar buracos negros. Um dia me encontro, um dia te encontro. Um dia além dos céus, além de nós.

Adriano Hungaro
20 compartilhamentos

A gente não ganha um verdadeiro amor; constrói-o!

Adriano Hungaro

Não precisa ter tempo, precisa apenas e tão somente ter intensidade, a maior intensidade possível. Porque é preferível passar poucos segundos de intensidade que séculos sem intensidade alguma.

Adriano Hungaro

Existem coisas ditas como imperfeitas e outras como perfeitas. Certamente que todas as adversidades que a vida nos apresenta podem ser ditas realmente como: imperfeitas. Todavia, o nosso encontro, a nossa química, a nossa cumplicidade e a sintonia que temos... são simplesmente: perfeitíssimas! E essa perfeição jamais perderemos!

Adriano Hungaro
Inserida por AdrianoHungaro

OS TEMPOS DA MINHA VIDA
Faço questão de viver sempre os melhores tempos da vida, os tempos mais coloridos e apaixonados. Já fui o oposto, mas me rendi frente à felicidade que as coisas boas me deram. Hoje, necessariamente, eu vivo o tempo dos mais vivos e com ele faço nascer o amor dentro de mim e dos que estão comigo. Hoje eu vivo o tempo de plantar os melhores relacionamentos para que possa colher as melhores amizades; eu vivo o tempo de curar as dores da alma daqueles que se sufocam silenciosamente; eu vivo o tempo de edificar grandes histórias de vida; vivo o tempo de rir, sorrir, o tempo de gargalhar e de lançar fora o pranto. Hoje, necessariamente, eu vivo o tempo de dançar as melhores músicas, as músicas que alegram a vida. Eu vivo o tempo de ajuntar pedras – “para construir castelos”. Hoje, necessariamente, eu vivo o tempo de abraçar; eu vivo o tempo de buscar as melhores soluções para os conflitos e de perder aquilo que definitivamente não vale à pena. Vivo o tempo de guardar os melhores momentos – mesmo que sejam vividos em frações de segundos. Hoje eu vivo o tempo de lançar fora os erros do passado, de rasgar as máscaras e panos que cobriram o rosto. Eu vivo, necessariamente, o tempo de coser feridas e cicatrizá-las sem deixar marcas. Eu vivo o tempo de me calar para as ofensas, bem como o tempo de falar: “te amo sempre”! Hoje eu vivo o tempo de amar, de amar sempre, abduzindo o ódio do meu caminho. Hoje, por qualidade de vida, abri mão das batalhas e das guerras... vivo, necessariamente, num tempo de absoluta e infinita paz.


PS:
Os piores momentos que a vida me apresenta eu absorvo-os, filtro-os e faço deles lições de vida, lições que se forem bem aceitas, assimiladas e postas em prática, jamais me darão trabalho.

Adriano Hungaro
16 compartilhamentos

POEMA DOS ENAMORADOS

Eu quero passar todos os dias na tua vida
Na hora da chegada e na breve hora da partida
Ouvir tua voz em tantos sons e melodias
Lembrar de ti por tua paz, por teu amor e alegria.

E na alegria eu vou passar todos os dias do teu lado
No aconchego do teu corpo delicado
Dar-te meus braços em abraços bem selados
Trocar contigo mil beijos e afagos

E nesses tantos beijos e afagos tão bem dados
Faremos juntos um caminho de carinho escancarado
Cumprindo bem nosso destino lado a lado.

Nosso destino de sermos dois e, assim, de sermos sempre:
Dois amantes, dois amados, dois corações apaixonados...
Eternamente, entre nós, enamorados!

Adriano Hungaro
23 compartilhamentos

QUERER-TE... PERDER-TE...

Tão fácil te querer... Impossível te esquecer. Como é impossível esquecermos as coisas mais maravilhosas da vida. Tão fácil te querer... impossível te perder. Como é impossível nos perdermos do dia e da noite, do calor e do frio. Tão fácil te querer... tão impossível estar sem você... seria um sentido vazio, sentimento vazio. Porque não perdemos, não esquecemos, não nos ausentamos dos tesouros mais preciosos; porque não os vendemos e muito menos os trocamos. Tesouros preciosos estão guardados eternamente dentro de nós. E você, jóia rara, há tempos esta guardada e também tatuada no meu coração. Querer-te... te quero sempre! Perder-te... não perco nunca!

Adriano Hungaro

CONSTRÓI-SE UM AMOR...

Um amor nunca se constrói por regras; porque as regras acabam e o amor acaba junto. Um amor nunca se constrói em meio ao ciúmes e ao medo. Porque o ciúmes e o medo minam e matam o amor... ainda cedo. Um amor nunca se constrói em meio às cobranças e a desconfiança. Porque elas também minam e destroem o amor... com muita dor.

Um amor se constrói de sutilezas, de boas intenções e de boas maneiras. Se constrói do aprimoramento de idéias, do desapego da matéria, de histórias compartilhadas e memórias lembradas. Se constrói por afinidades, sem vaidades, com coragem. Se constrói da adição de cores, de toques suaves, de sabores. Se constrói da química entre os corpos e pensamentos. Se constrói em meio às verdades, à cumplicidade... cumplicidade de dois, sendo apenas um.

Constrói-se um amor assim... um mais um somando dois... e dois somando apenas um. Em corpo, alma e espirito. No mesmo caminho... como os mesmos sonhos, com os mesmos ideais e sempre, sempre, sempre... eternamente apaixonados.

Adriano Hungaro
2 compartilhamentos